2.28.2008

5
Fiambre da perna extra


Questão filosófica: qual é a perna extra...?



2.27.2008


A esperança é a última a morrer.

Mas morre.


(nota-se muito que sou do sporting...?)

2.26.2008

5
Arroxamento's anatomy: A anatomia do arroxamento (lool)

(Angie, este post é para ti dedicado às nossas exemplificações das diferentes maneiras como se pode arroxar -> nós tínhamos um vídeo! que não posso mostrar aqui porque graças a Deus o meu telefone não tem cabo. lol)

Ora bem, se há coisa que eu acho curiosa e interessante é a anatomia do arroxamento em pé (aliás, sentado). Principalmente porque é aquele que se dá mais em público, como nos comboios (durante o dia e principalmente de madrugada quando se vem da Queima...), nas paragens de autocarro, nos bancos das salas de espera, no sofá, nas aulas de estatística ou de comportamentos anti-sociais, enfim, e tantos outros lugares onde se pode adormecer sentado. E é giro, porque vem geralmente acompanhado de um ronco (tipo RONC!). É bonito. Até há quem se babe e tudo. O arroxamento é um fenómeno mundial que vale a pena estudar.


E como é que se pode arroxar sentado? Eu explico (momento didáctico):

1. Para trás: eu adoro este arroxamento. Este é o que eu sei exemplificar melhor mas aqui tenho de me limitar a descrever. Como é que se arroxa para trás? Pois é o mais comum.
A pessoa encosta-se.
Os olhos começam a pesar.
(não, não é uma sessão de hipnose do prof Carlos Pires)
A cabeça vai-se inclinando lentamente para trás, a boca fica aberta até que
RONC!
chega a um ponto em que não inclina mais, a pessoa dá um ronco estranho e acorda sobressaltada tipo "eu só fechei os olhos. só descansei os olhos. será que alguém reparou..?"
Depois de repetir umas vezes, a pessoa chega a um ponto em que ou acorda de uma vez ou arroxa mesmo, adormece sem RONC, de boca tão aberta que até dá para lá meter um dedo e tirar uma foto sem ela notar (xii boca feia..mas vá, não disse quem era..eheheh), vai mexendo o nariz com comichão e baba-se toda (estou-me a lembrar de outro alguém, mas não vou ser ruim).

2. Para a frente: este era o arroxamento que a Ângela exemplificava (volta, Angie, estás perdoada). Este é o arroxamento mais comum nas aulas em que não há mesas (lol). E como é que se arroxa para a frente?
A pessoa está sentada, cansada, com os braços caídos.
Braços pesados, cabeça pesada.
A cabeça começa a pesar muito, os olhos também, tipo chumbo.
Os olhos vão fechando.
(não, também não é desta que vemos uma das deslumbrantes sessões de hipnose ou de catalepsia do prof Carlos Pires)
A cabeça inclina-se para a frente.
Até que não pode inclinar e das duas uma: ou mais um RONC, a pessoa acorda de repente e fica a ver se alguém viu ou então fica mesmo assim, tombada para a frente, com um torcicolo a preparar-se no forno.


Pois cá está, como se pode ver (aliás, ler), a anatomia do arroxamento é muito complexa. Mas é uma coisa bonita de se ver. Aliás, gente a dormir de boca aberta e a babar-se em locais públicos é o delírio. Eu até já pensei em não sair do comboio e andar o dia todo na mesma carruagem para ver quantas pessoas arroxam numa carruagem por dia. É o meu futuro. Psicóloga? Não. Contadora oficial de arroxamentos da CP. Lindo.

2.25.2008

9
Joanas dominam o mundo (e arredores)

As Joanas.
Ora Joanas é coisa que não falta por aí.

Mas não é exactamente disso que venho falar aqui agora já. O que eu venho mostrar-vos é como é que elas dominam o mundo, desde a presença no reino animal até ao reportório do Marco Paulo, passando por actuações internacionais, cinema e personalidades de culto.

No ambiente, nas bolachas, na religião e nas personalidades do Mundo:

  • Joaninhas: Coleópteros coccinelis (ou coccinelídeos.). Não só são giras, como têm várias cores, andam em todo o lado e vá, em inglês são as "senhoras dos insectos"(as belas ladybugs ou ladybirds). Nem mais, gosto disso. Se bem que isso faz-me ter pena do joaninho.. é um bocadinho gay...
  • Biscoitos Joaninhas: quem não conhece essas maravilhas da triunfo cobertas de chocolate..? Pequenas, mas boas.
  • Jane Doe: o feminino do mítico "zé ninguém" em inglês é uma Joana. Eu só não sei se isto é muito abonatório... Mas vá, Maria? Sara? Cornucópia? Não. Joana.
  • Joana D'Arc: esta era muito óbvia.
  • Princesa Sta Joana: padroeira não sei bem de quem. Pode ser das pessoas que tadinhas vão ao dentista xD
  • Joan of Arcadia ("a missão de Joan"): Têm direito a uma série e tudo.
  • ...(são muitas mesmo, mas há coisas mais interessantes)



Na música!

  • Eddie Grant: Gimme hope Joanna ("Gimme hope, Joanna, hope, Joanna, before the morning comes...")
  • Da Weasel: Joaninha (bem vinda)
  • Tony Carreira: Joana, Joaninha (essa pérola.. "Oh Joana, Joaninha, qualquer dia serás sempre minha..")
  • Ana Carolina: Joana
  • a cantora brasileira Joanna
  • Come a papa, Joana come a papa
  • Banda sonora do Sweeney Todd: I feel you, Joanna...
  • e claro, MARCO PAULO: JOANA (esta é impossível não referir, lançada em 1988, tal como eu, o ano da melhor colheita, naquele grandioso cd "maravilhoso coração", cujo hit(mesmo tipo hit me please, shoot me!) foi essa grande música, "taras e manias": "e mexe, remexe, se encosta, se enrosca, se abre se mostra p'ra mim..." -> diga-se que não percebo porque é que estas duas músicas estão no mesmo álbum. As Joanas são inocentes, toda a gente sabe disso.) (http://www.lastfm.com.br/music/Marco+Paulo/_/Joana ... "ahah, ahah Oooh Joanaaa, Pensar que estivemos tão peeerto, Dos sonhos agora desperto, Só não quero ouvir o sim que dirás, ahah, ahah Oooh Joanaaa, Recordo agora os momentos, Passaram nos meus pensamentos, Mas longe de mim sei que ficarás..." magnífico!)

Nota-se perfeitamente o domínio das Joanas é enorme. Estão em todo o lado. Até na Wikipédia. São mais que as mães. Têm direito a expressões próprias. "Deves pensar que isto é o da Joana." Exacto, o da Joana é muito importante (até é um blog) e não deve andar assim nas bocas do mundo. (:) é dois pontos entre parênteses. Mas (::) já é uma Joaninha.

E quem goza com gajos ligeiramente gays a cantar "i feeeeel you joaaaana..." ou com o Marco Paulo ou com o Tony Carreira é porque tem inveja de não ter tantas pérolas com o seu nome.

É para vocês verem. As Joanas dominam. Nós dominamos. Dominamos o mundo e arredores. "Para o infinito e mais além!!". A começar em mim e a continuar não sei em quem.

3
Coisas que sabem a outras coisas

A ver mais um dos profundos vídeos do grande RAP (aka Ricardo Araújo Pereira), lembrei-me dessa dúvida existencial que já assomou à minha mente: porquê coisas com sabor a outras coisas? Vejamos: são umas coisas. Mas se souberem a outras deixam de ser essas coisas para passarem desempenhar o papel do que não são.

Note-se:
A água: líquido incolor, insípido e inodoro. Logo, água com sabores já não é água. Não faz sentido. Para quê água com sabores?! Água é água sem cor nem sabor e ponto final. O único sabor permitido na água que a deixa continuar a ser água é o do azeite lá em Miranda. E mesmo assim...
O chocolate com sabor a menta ou a morango: se é chocolate é chocolate. Não é mentol nem morango. E porque é que pode ser de leite e não de menta ou morango? O chocolate não sabe a leite. O chocolate pode fazer-se com leite. Mas nunca ninguém viu chocolate feito de menta ou de morango. Não faz sentido. Se é para saber a menta ou a morango que se coma menta ou morango. Não se vai estar a estragar chocolate. (e chocolate de morango soa muito mal).
As batatas fritas de sabor a churrasco. Se compramos batatas fritas é porque queremos batatas fritas, não porque queremos churrasco. Se quisermos churrasco compramos frango e pronto.

E tantas outras coisas. Para uma melhor exemplificação do absurdo que é dar sabor de umas coisas a outras coisas vejam o vídeo do RAP (e o seu igual desagrado pelo que se passa no mundo das águas. É que isso das águas é uma daquelas situações flagrantes que não devem passar impunes). -> http://videos.sapo.pt/2DeJOTmlsKIcRC3CrPcD

2.22.2008

7
Bebé a bordo

Ora aqui está algo sobre o qual o meu pensamento se debruçou hoje: os belos dos autocolantes "bebé a bordo".
Qual é, no fundo, a finalidade disto? Ok, muito óbvio: avisar as pessoas de que vai um bebé naquele carro. Mas para quê?
  1. Raramente vejo bebés nos carros que têm estes avisos;

  2. Este autocolante é feio. Os do Vitinho eram muito mais giros;

  3. "Hoje apetece-me bater com o carro. Ah, mas não vou bater naquele Opel, leva lá um bebé a bordo..." Pois claro, está-se mesmo a ver;

  4. Ninguém vai deixar de ultrapassar o carro que leva um autocolante destes;

  5. Ninguém vai deixar um carro com um autocolante destes meter-se à frente;

  6. Ninguém vai ligar àquele autocolante;

  7. "Bebé a bordo? Yupi, não caibo em mim de contentamento" (caibo?! caibo: do verbo caiber, no presente do indicativo: eu caibo, tu caibes, ele caibe. Nós caibemos, vós caibeis, eles caibem. É um verbo muito comum: "eu não cumbe no buraco". Este já é no passado.);

  8. O autocolante não dá prioridade, não serve como cupão de desconto e a cadeirinha obrigatória não é mais barata se o carro tiver um aviso;

  9. O autocolante custa dinheiro;

  10. E não serve p'ra nada, excepto para os pais fazerem publicidade ao filho. Principalmente aqueles autocolantes interessantes tipo "Pedro a bordo". "Olha, aqueles têm um filho que se chama Pedro!" Ena, que bom p'ra eles.

No entanto, eu acho que sei uma hipotética finalidade para o estúpido do autocolante "bebé a bordo" (mas quem é que liga a "bebé a bordo"?!!): é um aviso. Mas não é um aviso para termos cuidado para não acontecer nada ao bebé que vai a bordo. É um aviso para nossa própria segurança.

"Bebé a bordo" = "Mantenha-se afastado deste carro pelo menos duas margens de segurança, antes que leve com um guardanapo babado ou um babete vomitado ou um copo cheio de qualquer coisa ou uma chupeta ou qualquer outro objecto que nas mãos de uma criança se torne potencialmente voador pela janela fora".

Sim, deve ser isso. Os bebés são perigosos. Além do manual de instruções deviam trazer um sinal de perigo. Apesar disso, continuo a achar o aviso muito estúpido. É que quando há putos não há autocolante que nos salve...

(No caso do Vitinho a finalidade é óbvia: os pais aproveitam-se dos filhos como desculpa para usarem o Vitinho. Essa é uma finalidade que eu também posso vir a ponderar um dia. O Vitinho está bem. Não é um autocolante estúpido de "bebé a bordo". É o Vitinho!!)

Volta, Vitinho, estás perdoado!

2.20.2008

2
A lógica da batata


Penso, logo existo.
Batatas não pensam, por isso não existem.



A mítica lógica da batata. Num futuro post retomarei este assunto.

2.19.2008

4
Dez coisas que o dentista onde trabalho diz às pessoas e que não são verdade:

  • "_Não se preocupe, a anestesia não vai doer."
  • "_Se doer não se preocupe, só dói até desmaiar. Depois já não dói nada. Bem, às vezes há pessoas que começam com convulsões e tal que até se abanam todas no chão, mas não, geralmente não dói mais."
  • "_Se doer alguma coisinha, agarre com força no braço da Joana que ela deixa."
  • "_Ainda lhe está a doer? Sabe que ultimamente a Joana tem-se divertido a substituir as anestesias por água..."
  • "_Mas se não fizer efeito não se preocupe, a Joana dá-lhe com o cabo da esfregona e isso passa logo."
  • "_Sabe que até foi a Joana que me quis pagar a mim para poder vir trabalhar para aqui, só para poder ver sangue todos os dias."
  • "_Nós tínhamos outras coisas para fazer, mas olhe, arrancámos-lhe um dente. Como a Joana queria ver sangue hoje e eu já não a podia ouvir..."
  • "_Doeu? Não sei se reparou, mas quando a Joana não estava aqui não lhe estava a doer..."
  • "_Oh Joana, mais cuidado com o aspirador! Não vês que estás a magoar as pessoas?"
  • "_Se te portares mal é a Joana que te dá a anestesia!"

E outros.. enfim.. as pessoas saem dali a olhar para mim de uma maneira..

Mas sim, quem quiser ver-me a ser moralmente massacrada por um dentista, ou quem quiser ouvir um dentista chamar-me "ooooh joana!", qual marco paulo, ou quem quiser ir a uma clínica onde se ouve na sala de espera a tv do consultório em altos berros ligada no contacto a ouvir a ronalda cantar uma porcaria qualquer, ou quem quiser ouvir um dentista trautear josé cid, ou quem quiser pura e simplesmente sentar-se naquela bela cadeirinha, pode sempre passar por lá.

Dentista é boooom, oh sim, toda a gente gosta!! Se não fosse eu..


A preguiça é a mãe do progresso.
Se o Homem não tivesse preguiça de andar, não tinha inventado a roda.

(isto continua a não colar com a minha mãe..não imagino porquê...)

1
Dissertação pós "Uma verdade inconveniente". Fiem-se no que vos digo: VER TV FAZ MAL!

Eia o nosso planeta.
Aquele que ah e tal devemos preservar e não sei quê, parece que está em vias de extinção, como os tigres da sibéria e outras espécies assim..

Eu disso não sei. O que sei é que o sr Bush pôs numa balança o planeta e a economia.

1. Não sei como lá enfiou o planeta (a economia é fácil, que é bem magrinha. Pelo menos a minha é..). O planeta é gordo demais para uma balança! (a menos que seja uma daquelas em que o meu irmão camionista põe o camião, em que a balança está no chão e é so passar por cima dela. Mas mesmo assim não me cheira.). Não tou a ver outra maneira de pôr o planeta numa balança. Diz-se por aí que o planeta até é grande e tal, o que me confunde ainda mais.

Mas o que eu também gostei nessa comparação do tal Sr Não Sei das Quantas Bush foi a prova indubitável de que temos de começar a pensar nas alternativas extraterrestres para o nosso futuro. Tal como os seres gigantes há milhões de anos deram cabo dos dinossauros com o seu poderoso gás e deixaram as baratas e foram-se embora, agora é melhor irmos ter com eles. E como é que eu sei que há provas indubitáveis da existência desses seres ET grandes e gordos e pesados e que produzem baratas...? (as baratas é facil, elas reproduzem-se sozinhas e a uma velocidade incrível. Ainda bem que mais de metade dos óvulos delas não dá em nada, senão a esta hora nós tínhamos computadores e as baratas tinham-nos a nós..) Sei porque:

2. o Sr Bush disse que a economia pesava mais do que o planeta. e o Al Gore viu! Ora se a economia pesa mais do que o planeta é porque se pode fazer noutro sítio qualquer. Sim, realmente, nunca percebi muito bem porque é que fazemos economia no nosso planeta, mas pronto, são os sinais dos tempos e a juventude está perdida..



Ando muito preocupada com o futuro da nossa juventude..e do nosso planeta..ah e tal, economia e planeta..também, não sei bem que comparação foi essa, não se compara uma sra magrela com um gajo velho e gordo... mas pronto... a juventude está mesmo perdida..



(apeteceu-me dissertar sobre o planeta!o planeta? qual planeta? o planeta! aaaaahh o planeta..! sim, eu podia ter dito logo..)

1
uma dissertação que bem podia ser minha mas não é: minas e armadilhas

Ora encontrei um blog de alguém meu semelhante! Estava a lê-lo e a pensar que bem podia ter sido eu a pensar naquele assunto! E como tenho que dar a mão à palmatória cá fica um excerto de um post que não é meu mas que de tão estupidamente inteligente que é bem podia ser, sobre o facto de a polícia rebentar as mochilas perdidas com aspecto suspeito :P
(o resto e mais em http://radioactivos.blogspot.com/)

"(...)
1. As mochilas não têm "aspecto suspeito". São objectos, logo, sem aspecto. Aspecto suspeito tem o Avô Cantigas, e a esse nunca ninguém rebentou não sei porquê.

2. Se o objecto, neste caso uma mochila, fosse uma bomba, rebentar com ele não provocaria ainda mais danos? Eu pensava que os explosivos, quando expostos a algo - digamos, que rebente - rebentavam ainda mais, e a explosão daí resultante seria maior.

...não estará na altura de as brigadas de minas e armadilhas reverem o conceito de "trabalho bem feito"?Não é por mim. É porque eu estou a ver que no dia em que explodirem com um objecto que seja de facto uma bomba, a devastação será ainda maior do que aquela causada caso esse objecto explodisse por si só.

Isto é só uma ideia. Ou então é parvoíce, porque eu não percebo nada de explosivos. O mais explosivo que tive na mão foi uma bombinha chinesa, por alturas do carnaval de mil-nove-noventa-e-seis....e não estava acesa.


Sempre que ouço a expressão "brigada de minas e armadilhas" penso numa pandilha de seres humanos que anda assim muito juntinha e que tem como actividade principal jogar Minesweeper."

posted by david



Porque a minha sabedoria não é só estupidez...Aqui fica uma citação porreira...

"(...) Fizeram-nos acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade.
Não nos contaram que já nascemos inteiros, que ninguém na nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: crescemos através de nós mesmos. Se estivermos em boa companhia é só mais agradável.."


2.07.2008

3
Bichas. Aliás, filas.

As filas... não se pode viver com elas, não se pode viver sem elas...
Não sei que mal tem chamar-se bicha a uma fila. Só porque há uma cambada de ... que começam logo com trocadilhos badalhocos (eu não sou nada assim) não quer dizer que tenha algo de mal! "Olha põe-te aí na bicha!" Isto pronto, já pode soar um bocadinho mal, mas sempre é melhor do que "enfia-te aí na bicha", isso sim causador de alguns mal-entendidos.
Mas o interesse pelas bichas, digo, filas, não se limita a nomes engraçados e trocadilhos badalhocos. Vai muito mais além, ou não dissertasse eu apenas sobre coisas muito profundas (com pelo menos 5 metros..)

Temos sempre aquela bela tendência de ir para a fila mais curta, quando há mais do que uma para escolher. Se formos para a mais curta, essa torna-se subitamente a mais longa. E o que é mais triste é que se estivermos à espera numa longa fila, as pessoas logo atrás de nós são reconduzidas para uma fila nova e mais curta. Eu cá acho isto muito mal. Acho que deviam sair leis de filas ou qualquer coisa assim que regulamentem as filas e que impeçam as pessoas de nos passarem a perna. Até porque se estivermos numa fila curta, as pessoas que estão à nossa frente deixam passar os amigos e tal e quando vamos a ver já vai numa filazona e nós ali à espera sem saír do sítio.

Outro pormenor das filas é que, não sei se já se aperceberam mas, geralmente, uma pequena fila à porta de um edifício transforma-se numa longa fila dentro do edifício. Isto aplica-se especialmente à secretaria geral da UC. Isso e o facto de quanto mais tempo se esperar numa fila, maior ser a probabilidade de estarmos na fila errada, e muitas vezes quando nos apercebemos é quando já estamos a ser atendidos e o outro serviço onde era suposto estarmos já fechou ou tem também uma fila enorme. Isto também se aplica a hospitais e serviços de finanças e afins...


As filas são um grande problema. Têm várias complicações. Até pelo simples facto de que a fila do lado anda sempre mais rápido. Isto tanto é válido na fila do almoço, como na fila do supermercado como na fila das portagens. Não interessa onde seja, anda sempre mais rápido. A parte triste disto é que não adianta mudar de fila: a do lado anda sempre mais rápido. Se mudarmos de fila, aquela de onde acabámos de sair e que até podia estar parada há uma hora começa a avançar muito mais depressa do que aquela para onde nos mudámos. Além disso, se voltarmos a tentar mudar de fila irritamos toda a gente.
No entanto, nem tudo é mau nas filas. Olhem uma coisa gira é que se permanecermos tempo suficiente num local, formar-se-á uma fila atrás de nós. As pessoas gostam muito de ajuntamentos e de formar filas estúpidas mesmo que nem saibam para o que vão ou porque estão ali. Mas é giro. Estúpido, vá, mas giro.

0
Leis de Murphy: sorri, amanhã será pior

Para quem não sabe (incultos!!), as Leis de Murphy são vá, os princípios mais realistas que regem o mundo. Não é pessimismo, é mesmo realismo. "Sorria, amanhã será pior" e "se te estás a sentir bem não te preocupes, isso passa" são exemplos desta filosofia de vida que é Murphy. Quem era Murphy? Isso agora não interessa nada. O que interessa é que ninguém tem dúvidas da verdade destas afirmações. E eu passo a mencionar e exemplificar algumas das mais importantes que toda a gente deve ter em atenção. Porque prevenidos valemos por 2..ou não.. ;)
"Nada é tão fácil como parece", "Tudo leva mais tempo do que se julgava", "sempre que você se decidir a fazer alguma coisa, haverá qualquer outra coisa que terá de fazer primeiro", "Experimente o botãozinho que diz 'on'" e "quando mais nada funcionar, leia o livro de instruções": todas estas são bastante pertinentes. Quanto menor é o tempo de que dispomos, mais tempo leva a tarefa que estamos a executar. Isso e o mítico português, que tem aquela grande teoria de tentar tudo e mais alguma coisa para um aparelho funcionar antes de ler o livro de instruções. Porque somos muito espertos, pois claro.

Além disso, "há sempre uma maneira mais fácil de o fazer". O problema é que geralmente só descobrimos depois de já ter tudo feito, o que nos conduz a "quando você finalmente chega com a grande solução que só se encontra uma vez na vida, outra pessoa qualquer terá acabado de resolver o problema" e "quando um erro tiver sido detectado e corrigido, descobrir-se-á que afinal não havia nada de errado". Esta última aplica-se especialmente a trabalhos, principalmente depois de já serem entregues. Não que tal coisa já me tenha acontecido..não..claro que não..
Quanto a aulas, trabalhos e exames há muitas que se apliquem... "As expectativas negativas atraem os resultados negativos. As expectativas positivas atraem os resultados negativos", "quando se revêem apontamentos antes de um exame, os mais importantes estarão ilegíveis", "no exame final, 80% da matéria em teste será a da única aula a que se faltou, sobre o único livro que não se leu", "todos os professores assumem que o estudante não tem mais que fazer se não estudar para a cadeira que eles próprios leccionam" e "a citação mais valiosa será sempre aquela cuja origem não se consegue determinar" são apejas alguns exemplos que retratam bem a vida estudantil.
Além disso, há umas leis de Murphy que se aplicam particularmente à minha vida:
  • "A probabilidade de o elevador estar no último andar é proporcional à necessidade que você tem dele". Isto acontece-me especialmente quando chego ao meu grande prédio e me dá uma vontade repentina de ir à casa de banho. Pois que o estupor do elevador ou está no último andar ou está nalgum andar parado porque o fecharam mal. GRRR!
  • "Não se perdem livros por se emprestarem, a não ser aqueles que se deseja reter particularmente". O único livro que perdi na vida (além d'Os Maias, mas esse não conta porque ninguém perde livros no cacifo. Mas também ninguém tem um cacifo como o meu e da Rita...) foi o meu livro favorito. Não me lembro minimamente a quem o emprestei que nunca mais devolveu. (se esse alguém estiver a ler este blog e tiver o meu livro do Nicholas Sparks que se pronuncie)
  • "Uma partícula em vôo procurará sempre o olho mais próximo", quer se ande a pé, de bicicleta, etc..e mesmo que se ande de óculos não se está a salvo..
  • "O único bolo que tinha na ideia quando entrou, será pedido pela pessoa que entrou logo antes". Isto aplica-se aos bifinhos de perú e a quando os publicitei a toda a gente e o gajo à minha frente ficou com o último. Depois admirem-se se daqui a uns anos me nascer um puto com cara de bife de perú... (o que é mais um belo tema para um post: será que os desejos das grávidas podem ter o mesmo efeito se forem muito antes de estarem grávidas?Porque não?lool)
  • "Um autocarro que nunca mais aparecia aparecerá apenas quando o utente já foi andando até um ponto em que já não lhe vale a pena apanhá-lo. Um autocarro é um veículo que passa do outro lado da rua, na direcção oposta à que desejamos". Eu não ando muito de autocarro mas conheço perfeitmente esta realidade, o que me conduz aos comboios:
  • "Se você chegar atrasado, perderá o comboio. Se você se matar para chegar a horas, o comboio atrasa-se. Se você simplesmente chegar a horas, quando o comboio vai para arrancar pára porque alguém se atrasou". Isto é tããããããão verdade!!!!!
  • "Se só houver dois programas que valha a pena ver, serão os dois à mesmo hora em canais
    diferentes
    ", "o único programa que vai estrear e que vale a pena ver será adiado" e "O programa que você passou a semana toda à espera de ver será cancelado". Isto faz-me lembrar os fox e a greve dos guionistas...
  • "O telefone toca sempre quando se está do lado de fora da porta de casa, à procura das chaves. Quando as encontrar será no preciso momento em que ouvirá o clique do telefone a desligar" e "quando um corpo está imerso em água, o telefone toca". Agora já não é tão comum com os telemóveis e tal.. agora é mais "O telefone toca sempre quando se está à espera do lado de fora da casa, com as mãos cheias de sacos e as chaves na mão e uma grande atrapalhação para abrir a porta".lol
  • "Aquilo que se encontra está sempre no último lugar onde se procura". Ámen!
  • "Para que uma coisa fique limpa, outra coisa qualquer terá de ficar suja". Só a minha mãe é que não percebe isto. Mas eu posso sempre deixar tudo sujo sem limpar nada. Tadinha dela.

Murphy era, decididamente, um poeta. E ele é que sabia.

2.06.2008

0
Como é que se muge uma soja?

Esta é uma dúvida existencial que já me acompanha a mim (e ao pessoal que me conhece e que volta e meia andava a meditar sobre isto) há muito muito tempo ("..era eu uma criança que brincava ao baloiço e ao pião.." loool avé José Cid!). De onde vem o leite da soja?

Ora toda a gente sabe: de onde vem o leite? Das vacas, em primeira instância (não de todas, mas pelo menos das de 4 patas e também é esse que interessa, a menos que se seja um puto recém-nascido ou alguém muito tarado..), das cabras (a que se aplica o mesmo que às vacas, pois que anda por aí muita cabra que nunca reparei que tivesse dado leite..pelo menos em público!), das ovelhas (méééés não tanto, é mais pra queijo)..Mas... e de onde vem o leite da soja? É óbvio que vem da soja, está bem, nem eu sou asim tão estúpida p'ra não saber isso..A questão é.. como é que vem da soja? Toda a gente sabe (digo eu!!) como é que se tira o leite das vaquinhas (as de 4 patas).. mugir a vaca.. Àparte a técnica complexa envolvida, basicamente é pegar-lhe nas tetas e "espremer" para um balde (loool coitadinhas, elas claramente têm sorte de eu nunca ter mugido nenhuma.. xD ). Claro que não é só isto e não é nada assim, mas pronto, foi a melhor imagem mental que eu arranjei agora (não que eu queira que o pessoal ande para aí a pensar na partes íntimas das pobres vaquinhas a serem espremidas pra darem leitinho).

Daqui parece-me simples depreender onde eu quero chegar: como é que se muge uma soja?
Ora eu nunca vi nenhuma soja (nunca ninguém viu, mas toda a gente sabe que elas existem..."the truth is out there!"), mas acho que é do conhecimento geral que as sojas não têm tetas. Nem nada que se pareça (aliás, aqui está à direita um exemplar seco e confirma-se, não há tetas à vista). Olhando para esta leguminosa é bastante pertinente perguntar: como é que se muge uma soja? As sojas não têm tetas, são vegetais e, como se isso não chegasse, são leguminosas. Como é que sai leite dali?! Será que se se apertar um daqueles bagos/sementes sai de lá leite..? Não me parece.. Então parece-me bastante claro que o pessoal anda a ser enganado (eu não, que a mim não me enganam e eu não consumo disso!)... Porque olhando p'ra ela vê-se bem: não é minimamente parecida com uma vaca (é melhor pôr a imagem em baixo, para os mais cépticos compararem) ou qualquer outro animal de 4 patas que dê leite para o nosso fornecimento. Não tem tetas que se possam mugir. Ainda por cima assim seca.. Só se for leite em pó... lool

5
3 ou 5 portas. A mala é uma porta?!!

Está na altura de mais uma daquelas dissertações muito profundas: porque é que se diz que os carros têm 3 ou 5 portas? Não percebo.. Juro que não percebo..
Dei-me conta disto quando me apareceu um carro ao pé de mim (p'ra me levar ao cinema!! ;) ) que reparei que era de 3 portas (só quando cheguei a casa é que reparei, mas não, não tinha bebido..epah era de noite..!). E pus-me a meditar sobre o assunto. Porquê 3 portas?
Ora bem, nos carros de 3 portas (lol) há:
  • a porta do condutor;
  • a porta do pendura;
  • a mala!

Parece-me bastante fácil perceber que a mala.. se é mala.. não é uma porta! Porque se fosse uma porta não se chamava mala! Ou é uma porta ou é uma mala! Não é chamarem-lhe mala e depois dizerem que o carro tem 3 portas! Tá bem que a mala pode ser a porta dos animais, mas isso já é outra história! De resto a mala é tão porta como o capot! Porque é que, se a mala é uma porta, o capot também não é?! É uma porta para o motor e afins, nessa linha de ideias! Mas não! Nem o capot é uma porta nem a mala é! Então estes carros não têm 3 portas mas sim 2 portas e uma mala. Ok, é um bocadinho mais comprido, mas pronto, é muito mais correcto!

Nos carros de 5 portas é completamente diferente:

  • porta do condutor;
  • porta do pendura;
  • porta de trás esquerda;
  • porta de trás direita;
  • MALA!

Porta não sei quê, porta não sei das quantas.. 4 portas..e uma mala! Logo, mala não é uma porta!

Fica aqui a ideia (muito importante e de interesse nacional) para fazer um abaixo-assinado (abaixo e não "baixo-assinado", que eu cá não faço coisas baixas, jogo sempre limpinho..) para os senhores lá dos carros que falam em 3 e 5 portas começarem a falar em 2 ou 4 portas e MALA. Porque é muito estúpido uma pessoa comprar 3 ou 5 portas e uma delas ser uma mala. Pode ser considerado uma burla... xD



Como a Angie me fez lembrar agora.. "There can be miracles when you believe..."

2.05.2008

1
Eu fui ver e é muito bom: Sweeney Todd - O Terrível Barbeiro de Fleet Street

Não só é um filme de Tim Burton como ainda tem um belo leque de actores como Johnny Depp (Sweeney Todd), Helena Bonham Carter (Mrs Lovett) e Alan Rickman (Juíz Turpin). Nunca tinha eu pensado ver um musical sangrento assim. Muito à frente.
Johnny Depp (aliás, Sr Johnny Depp!!!) é Sweeney Todd, um homem injustamente condenado à prisão, que jura vingar-se não só do cruel castigo, mas também das consequências demolidoras que o mesmo teve na mulher e na filha. Quando regressa à barbearia para a reabrir, Sweeney Todd assume-se como o Terrível Barbeiro de Fleet Street, que “rapou a cabeça de cavalheiros de quem nunca mais se ouviu falar”.
Ao lado de Johnny Depp está Helena Bonham Carter, que dá corpo à Sra Lovett. Além de fabricar umas diabólicas empadas de carne, esta torna-se cúmplice amorosa de Sweeney. Alan Rickman é o pérfido Juiz Turpin, responsável pela injusta condenação de Sweeney, condenação esta que deu origem à sua sede de vingança.
As canções são todas cantadas pelos próprios actores, tendo tanto a música como a letra sido tirada do musical de Stephen Sondheim.
A lendária produção ganhou 8 Tony Awards incluindo o de Melhor Musical. A sua chocante mistura de macabro com o cómico e o dramático suportada pela banda sonora ao estilo cinematográfico de Sondheim, já conheceu centenas de produções em todo o mundo, tendo sido a mais recente uma produção muito elogiada da Broadway. Outrora visto como controverso e vampiresco, “Sweeney Todd” é agora uma peça deliciosamente divertida e muuuuito sangrenta.

2.04.2008

3
sondagem "o drama, o horror, a tragédia!"

não se esqueçam de responder a essa grande sondagem que há-de andar por aí algures na coluna do lado direito!!

0
Grandes são as t-shirts do Cão Azul!






































































































































































http://www.caoazul.com/

0
INEM e B.V.Mafamude. LooL

RAP, tu é que sabes!



Magnifico...

1
F*R*I*E*N*D*S!



O grande Smelly Cat..


Christmas song..


e uma das melhores cenas de sempre..."_é branco.._ papel..neve..fantasmas!!!!"

1
Savage Garden: "Affirmation". Uma excelente letra.

I believe the sun should never set upon an argument.
I believe we place our happiness in other people's hands.
I believe that junk food tastes so good because it's bad for you.
I believe your parents did the best job they knew how to do.
I believe that beauty magazines promote low self esteem.
I believe I'm loved when I'm completely by myself alone.

I believe in Karma; what you give is what you get returned.
I believe you can't appreciate real love 'til you've been burned.
I believe the grass is no more greener on the other side.
I believe you don't know what you've got until you say goodbye.

I believe you can't control or choose your sexuality.
I believe that trust is more important than monogamy.
I believe your most attractive features are your heart and soul.
I believe that family is worth more than money or gold.
I believe the struggle for financial freedom is unfair.
I believe the only ones who disagree are millionaires.

I believe forgiveness is the key to your unhappiness.
I believe that wedded bliss negates the need to be undressed.
I believe that God does not endorse TV evangelists.
I believe in love surviving death into eternity.

0
Only good die young: Heath Ledger

É verdade.
Mooooorreu.
Era tão bom actor...
Heath Ledger. 28 aninhos. Australiano (com um belo sotaque..). Era capaz de ter um metro e tal (lol). Lourinho. Bastante jeitoso. E até tinha talento e tudo. É uma grande perda. "Only good die young".
1979-2008. R.I.P.
Depois de se ter estreado em adolescente numa série ("Sweat") em que fazia de homossexual (não tanto como no Brokeback, calma), entrou no "10 coisas que odeio em ti", ao lado de Julia Stiles, seguindo-se papéis de destaque em filmes como "O Patriota" (ao lado de Mel Gibson), "Casanova" (ao lado de Sienna Miller), "Monster's Ball", "A Knight's Tale" e, o que lhe podia ter levado o Óscar de Melhor Actor, "Brokeback Mountain", em que toda a gente sabe perfeitamente o que acontece e não vale a pena estar a relembrar aqui porque é muito triste (esse Óscar foi perdido para o Seymour Hoffman pelo seu papel em "Capote", não deixando o Ledger de ser o nomeado para um óscar de melhor actor mais novo de sempre, com 26 anos). A estrear em Portugal este ano (filme candidato aos Óscares), fez uma das personagens do Bob Dylan do filme "I'm not there" e ainda vestiu a pele de Joker, na nova sequela de Batman, "The Dark Knight", a estrear por cá no Verão.

Volta Ledger, eu perdoo-te essas cenas badalhocas com o Gyllenhaal no Brokeback Mountain... Volta, estás perdoado..

0
Riso Maquiavélico

Numa daquelas grandes viagens de Miranda City para a Serra da Lousã, dei comigo a convidar a malta para um concurso de risos maquiavélicos. Tudo a propósito de quê, perguntam vocês? Pois já não me lembro, mas também não interessa nada, que a estupidez não tem justificação. (é agora que eu tento observar se esta frase é uma frase bem formada -> é no que dá ainda ter exame de raciocínio e linguagem por fazer..). Pois o que interessa é que ia eu a falar com a minha grande prima (também conhecida por popota -> se bem que eu discorde, porque a popota é uma promíscua e uma badalhoca que se abana toda para as criancinhas e não gosto nada dela, mas isso são dissertações para outros posts..) e lá estava eu a pensar em qualquer maquiavelice e ri-me desalmadamente, tipo "AhahAHaHAhaHAhaahH!". Foi quando lhe disse "epah, mostra-me o teu melhor riso maquiavélico!". Íamos nós a chegar à maravilhosa cidade do Espinho (concelho de Miranda, não confundir), cidade grandiosa que tem postes a servir de rotundas, quando tive mais uma daquelas ideias muito muito vá, estúpidas, e me lembrei de organizar (porque eu só organizo disso) um concurso de riso maquiavélicos. Até estamos no Carnaval e tudo e há que entrar no espírito. No concurso ninguém alinhou, vá-se lá saber porquê (não percebo, é bastante pertinente...) mas houve uma grande dissertação grupal sobre os termos do riso maquiavélico, o seu estatuto, o seu significado. Eis que chegámos às seguintes conclusões:
  • "nhanhanhanhanhanha": mais do que uma afronta, mais do que uma qualquer prova de estupidez desmesurada do praticante, esta é a forma infantil, isso sim, do riso maquiavélico. É verdade. Para quem nunca pensou no assunto com real substância cinzenta que pense agora, que reflicta e que verifique se não é da importância geral descobrir que "nhanhanhanhanhanha" é um riso maquiavélico infantil. Assim vamos pensar duas vezes antes de responder aos miúdos na mesma moeda.
  • "hihihihihihihihihihi!": riso maquiavélico è bruxa, que já vem do tempo em que a sabrina dava na tv (medo) e que pronto ah e tal não me lembro de mais nada para dizer sobre isto por isso passemos ao seguinte (excelente forma de mudar de assunto!)
  • "ohohohohohoh!": riso maquiavélico à gordo que se rebola todo para se conseguir rir. ATENÇÃO: NÃO CONFUNDIR COM O PAI NATAL. O Pai Natal é gordo mas toda a gente sabe que os "oh" dele são só 3: "ohohoh". Não confundir, é profundamente diferente!!
Chegámos a outras conclusões igualmente importantes e interessantes, das quais não faço a menor ideia agora. Mas acho que isto já é suficiente para elucidar o povo.
O riso maquiavélico é uma coisa que, pronto, é estúpida, mas no fundo no fundo faz algum sentido discutir sobre ele. Ou então não, mas como sou eu o pessoal perdoa.

E o primeiro post vai para..



Pois é. O Garfield é que sabe.

0
Grandes Séries