10.31.2008

2
E este é (mais) um post completamente idiota.

Hoje é Halloween.

Então BOOO! para vocês.


Agora corram desalmadamente e gritem como se não houvesse amanhã. Basicamente a reacção que têm quando pensam num dentista. Ou num encontro com o José Castelo Branco.

10.30.2008

0
Conselho amigo:

Quando derem por vocês a darem demasiada importância ao que eu escrevo...

Epá, arranjem uma vida.


10.29.2008

6
Se ouvirem falar...

... em mortos e feridos lá para os lados do distrito de Coimbra... nomeadamente senhores das obras com picaretas pela cabeça abaixo...

... sou eu. É que isto de ter gente no andar de cima a arrancar o soalho e obras afins desde as 8 da manhã é um bocado vá, para despertar os instintos sanguinários que há em mim. No mínimo.

10.28.2008

3
E o prémio para melhor cartaz da Latada vai para...


"Sugababes: Eu vim.
Elas é que não."

(sátira ao facto delas terem desmarcado na própria semana do concerto)


O meu nabo era tão famoso que fez parte de uma peça de TV.
Rakeluças, eu e a Morena: as 3 futuras pseudo-psicólogas da vigairada cujos nabos permanecerão para sempre (ou vá, uma semana) preservados pelas fitas da RTP.

10.27.2008


Já toda a gente ouviu falar do assunto.

Não sou só eu que acho um excelente trocadilho chamar "Stayin' Alive" à música que tem o ritmo ideal para se fazer uma massagem cardíaca em condições, pois não?

"Life’s goin' nowhere. Somebody help me."



E por falar em músicas e por me lembrar de uma pomba quase sem cabeça que estava numa rua qualquer a caminho da faculdade há umas semanas (nada sádico, né Morena? Andar à procura de cabeças de pombas degoladas à beira da estrada...):

"I killed a bird and I liked iiiit" (em homenagem à Flora)

1
Amanhã é dia disto:



Cortejo da Latada da UC 2008

Pesa 800 gramas. Dá um bom jantar para alguns caloirinhos.

"Laranja em cima e o resto em baixo". (E são estas as psicólogas do amanhã. Esta juventude está mesmo perdida.)

Entretanto deixo uma boa notícia referente ao código da praxe para os que, como eu, vão no carro e põem fitas um ano mais cedo do que se fazia antigamente (antigamente tipo vá, no ano passado.): "Só os estudantes que estejam em condições de acabar o 1º ciclo nesse ano lectivo, podem usar Insígnias Pessoais. No entanto os Veteranos, no último ano do 2º ciclo, podem voltar a usar as Fitas no dia da Serenata Monumental da Queima das Fitas." (in AAC) Finalmente vejo um bocadinho mais de sentido nesta revolução da praxe.

E eu bem digo que este blog é informativo.

10.26.2008

1
"McDrive aberto todos os dias até às 2h"


Questão filosófica do dia:

Se hoje às duas era uma... será que o McDrive esteve aberto até às 3...?

10.22.2008

4
O boneco que sabia demais




Este boneco era giro. Era simpático, a apontar-nos os números para marcarmos o código. Tinha pinta ao traçar a sua perna. Foi traído pela própria rede SIBS quando esta meteu uma senhora a fazer de voz do multibanco quando o boneco é claramente homem.

Quiseram calá-lo, o boneco que sabia demais. Afinal, tantos anos no multibanco que já devia saber qualquer coisa. Num dia estava lá e noutro dia puff, fez-se o chocapic. Que é como quem diz, desapareceu.


E agora vem-me uma aventesma de braços nos ar pedir-me para introduzir o cartão quando lá chego. Quando vou ao multibanco tenho um sério receio que esteja alguém por trás de mim a apontar uma arma ao boneco. Ele tem mesmo ar de "mãos ao ar, isto é um assalto". Ainda por cima no multibanco.

Eu como futura-pseudo-psicóloga acho que deve ser trauma da última moda de atentados contra as caixas multibancos. O bicho agora, digo, o boneco, está traumatizado e já levanta os braços a toda a gente. Esperemos que não cheire mal dos sovacos.




Agora a sério, é que este boneco tem mesmo cara de parvo.
Até parece que o estou a ouvir: "Levem tudo menos a caixa!"



(a tese da reforma choruda do boneco do multibanco em http://iva.caoazul.com/blogiva/archives/516)

10.21.2008

0
De cu para o ar


"Foi assim que a Alemanha perdeu a guerra."


E que muita gente ganhou a vida.

2
e-Universidades: uma pessoa tem de saber impôr respeito.

Eu disse: “Ó ti ‘Sócres’, companheiro, você acha bem dar portáteis aos putos da primária quando eu tenho de pedir emprestado se quero para trabalhos lá da faculdade? Acha isso bem? Eu cá não acho nada bem… (Raios partam as criancinhas...) Seja amigo e lembre-se dos pobres, nomeadamente aqui da Redinha, está bem? Vá, faça lá o jeitinho..."

E a verdade é que aí vem ele este ano: e-Universidades. Um bicho Toshiba que me parece de qualidade. Com facilidades no pagamento (notem que eu disse facilidades, não "redução". O bicho não sai assim tão barato...) Não são os 150€ do e-Escolas, mas também é melhorzinho… Vamos lá ver…


10.17.2008

Depois de andar a ler sobre Psicologia das Organizações (coisa extremamente interessante, então não...), a frase do dia sobre relações em contexto de trabalho (meeesmo relações, se é que me entendem) é

"Onde se ganha o pão não se come a febra".


Ora disto não ensinam nas aulas, não...


(por falar em carne, comi uma carne de borrego tão rija que devia ser mesmo velha. Às tantas ainda era do borrego que o Abrãao sacrificou em vez do filho não sei quantos mil anos antes de Cristo...)

10.16.2008

1
Modernices...

Hoje vi uma senhora que tinha pastilha elástica colada nas calças.

No meu tempo não havia nada disto. Colavam-se as pastilhas debaixo dos bancos, não em cima...

A LP deu-me uma bonita ideia. Vocês, os 3 leitores que cá vêm parar por acidente, digam de sua justiça formas interessantes (ou humilhantes, que também é giro), de se morrer.


Começo pela humilhação de ser atropelado por um camião da Moviflor.

Ou pelo Pantufas.

10.15.2008

"Uma em cada quatro pessoas é desequilibrada. Pensa em 3 amigos; se eles te parecerem bem, então és tu essa pessoa".


Vocês podem não pensar isso, mas eu sou uma pessoa equilibrada.
.

3
Teorias do suicídio - 9 formas de se matar, das quais 6 envolvem sangue (ou "um post um bocado mórbido")

O suicídio do sr. assassino_inimputável_fugido_do_sobral_cid veio acender a discussão sobre a temática do suicídio.

E fez isso porquê?, perguntais vós almas curiosas.

Não porque se tenha matado (morto morrido), até porque, segundo as opiniões que fui ouvindo, “é menos um” (gente simpática, esta). Mas sim porque teve um bocado falta de bom senso e matou-se ao pé da linha, lixando a vida aos passageiros da CP que viram a circulação ferroviária interrompida. Tal fez-me pensar que às tantas o senhor já tinha sido cliente da CP e tinha aproveitado a ideia de “ah, vou dar dois tiros na cabeça!” para os chatear também um bocadinho.


Atirar-se para debaixo do comboio:Lembrei-me logo de uma prima minha que dizia que, se se fosse matar, atirava-se para debaixo de um comboio em Lisboa, num sítio cheio de gente e à hora de ponta, para lixar a vida à maior quantidade de pessoas possível. Acho uma boa ideia. E se for o comboio em que o seu patrão vai, ainda melhor. Com sorte acertou no dia da reunião importante e os outros sócios despedem-no e deixam-no na rua da amargura e ainda se matam também.
A ideia de atirar para debaixo do comboio parece-me boa. Mas atenção, que nem todas as almas morrem. O que é um bocado triste. Mais triste do que se tentar suicidar é tentar e falhar. Por outro lado, as almas inteligentes que se atiram para debaixo do comboio têm de pensar seriamente: ou se atiram para debaixo de um que os deixe completamente estralhaçados e irreconhecíveis ou deixam um bom dinheiro à família, uma vez que esta (além do funeral!) ainda tem de indemnizar a CP pelo tempo em que o comboio está parado para a remoção do corpo. A isto chama-se aproveitar-se da desgraça alheia. Coisa que eu nunca faria.
Além disso notem: se estão parados no meio da linha à espera que o comboio chegue é óbvio que ele vai parar. Se estão de lado e se atiram quando ele vem habilitam-se a ir contra a carruagem em vez de lá ficarem debaixo.
Se querem um bom sítio, Miranda City tem a curva ideal, já testada por inúmeras pessoas que, de facto, morreram, embora aí o comboio já não venha muito depressa. Mesmo em frente ao centro de saúde, o que faz com que venha logo a equipa médica: não vos impede de morrer mas ajuda na rapidez de remoção do corpo de maneira a que a família não pague muito à CP depois. Útil, prático e barato.

Acidente de carro:
Outra hipótese bonita é pé a fundo no acelerador ou, se anda a pé, atirar-se para debaixo de um carro. Ou camião. Ou uma camioneta da Moviflor. Ou do Pantufas (desaconselhável: duvido que ele mate alguém a 20 km/h). Se for numa passadeira e não houver testemunhas e achar que não morre (complexo Claire – Heroes), habilita-se ainda a ganhar uma rica indemnização.

Comprimidos:Acho os comprimidos para fraquinhos que não gostam de sangue. Ou que querem chamar a atenção, derrubando o frasco sem nada em cima do recado de despedida. Na. Fraquinhos.

Cortar os pulsos:

Parece-me um bocado exibicionista como os comprimidos. E também para fraquinhos.


Afogamento:

Isso é que não. Depois é um cheiro que não se aguenta. Lembre-se: você quer matar-se, não é transformar-se em sabão.


Homicídio–suicídio:
Parece-me levar ao extremo a ideia de “agora já não me apanhas”. No entanto até compreendo. Já que a pessoa se vai matar, ao menos que tenha um bocado de emoção antes. E se não pode ter uma perseguição à americana como o do Sobral Cid, então que mate o vizinho do lado que deixa o cão uivar à noite. E a vizinhança agradece.

Enforcado:Esta é uma medida para homens inseguros e um tanto exibicionistas. Matam-se de forma a ejacular depois de mortos e, se não forem retirados da forca a tempo, habilitam-se a ficar com uma erecção para sempre. Tipo, mesmo. Ora aqueles que se enforcam num sítio onde sabem que tão depressa não os encontram estão-se mesmo a meter a jeito. Morrem, mas toda agente fica a falar deles, sobretudo se no funeral não se conseguir fechar o caixão.

Tiro na cabeça:
Só se tiver a certeza que acerta. Esta é uma boa opção para quem tem algo contra a empregada e se quer matar em casa, pois ela provavelmente será a primeira pessoa a ver o espectáculo e ainda tem de limpar depois.

Kamikaze:
Kamikaze é levar ao extremo a ideia de lixar a vida alheia. Mas eu não gosto deste género. Para lixar a vida alheia convém que as pessoas fiquem vivas para poderem ficar chateadas.

10.13.2008

3
Próximo capítulo: teorias do suicídio - aprenda como sair em grande estilo, fazer o maior estrago possível e ainda lixar a vida ao seu patrão!

E ainda a falta de figos em Coimbra, a importação de figos de Leiria e o boicote do elástico desaparecido. Tudo num blog perto de si.



Não é um blog, é O blog: 8 meses a informar.

.

10.10.2008

2
Por falar em drama, tragédia e horror... (ou "eu quero é sangue!")

Quando a linha fechar para obras eu vou sentir falta desta animação.
"Qual animação?", perguntais vós, mentes incultas que não vêdes notícias.

ESTA animação.

Houve literalmente mortos e feridos. E saaangue. E comboios parados umas horas à espera. Emoção, muita emoção!!!


Sabia-se que havia um fugitivo: confirma-se.
Tinha havido tiros: confirma-se.
Que um polícia tinha sido baleado: também se confirma.
Agora porque raio é que o homem andava a fugir é que ninguém atinava. Desde assaltar um café a assaltar umas bombas de gasolina, o homem passou por um belo ladrão. Afinal não, era só um maluco assassino fugido do Sobral Cid (hospital psiquiátrico de Coimbra). Gostei especialmente da versão em que o senhor estava a assaltar um banco na região e que até tinha reféns - não sabiam essas pessoas que o senhor a essa hora já estava dentro de um saco de plástico.


Com estas confusões todas, quase tenho pena do sr. chanfrado "ah_eu_matei_o_meu_filho_há_2_anos_e_agora_é_a_minha_vez", que até passou por ladrão. Já o homem estava morto e as pragas dos senhores utentes da CP lhe caíam em cima. Porque uma coisa é certa: o senhor podia ter rebentado com os miolos um bocado mais para o lado.

10.07.2008

1
O drama, a tragédia, o horror. Ou uma coisa parecida.


Só para expressar que é um bocado deprimente morar ao pé de um quartel de bombeiros. Isso acrescido ao facto de ter um cão.

O que implica que toquem duas sirenes quando há problemas.


(tenho um sério receio que qualquer dia os bombeiros se enganem e entrem no meu prédio em vez de entrar no quartel)

10.06.2008


Ao fim de uma dia a meditar no assunto continuo a achar que se jogassem sozinhos tinham perdido na mesma.

(Mas eu até percebo o Rui Patrício. Ninguém está à espera que um badameco qualquer como o Bruno Alves marque assim um golo de livre. E que depois mande outra bola à barra. Mas depois de ver o Nuno Gomes marcar grandes golos de cabeça, temos de aprender a esperar o imprevisível.)

Se isto não melhorar eu juro que me dedico à pesca. Ou faço como o Zé Diogo e afirmo que como as minhas próprias barbas. (Mas quanto a isso ainda não há crise.)

1
Oferecem-se pontos do campeonato. E ainda leva uma galinha de bónus. E duas couves trouxas para a sopa.


E no jogo coxos contra aleijados, ganharam os aleijados.

Nunca vi ninguém seguir uma bola com tanta atenção como o Rui Patrício.

Alguém explica ao Derlei que o objectivo primário do jogo é marcar golos na baliza do adversário e que isso passa por, nomeadamente, ACERTAR NA PORCARIA DA BOLA?!

Sporting Clube de Portugal, nem o Mirandense anda a jogar tão mal.

10.03.2008

4
Devolvam o queijo ao Pauleta.

"Nos Açores o tempo pode alterar entre o sol e a chuva várias vezes no mesmo dia".
(publicidade do Queijo Flamengo)

Porque no resto do país não, não é? Os Açores são um fenómeno estranho...

10.01.2008

2
Considerações futebolísticas pré-Basileia:


Se o Sporting e o Porto jogarem tão bem como no último jogo de cada um (leia-se, Benfica e Arsenal), Domingo teremos um renhido jogo coxos contra aleijados.


Aquilo ontem foi humilhação pura. Nem sei como o Jesualdo sobreviveu. Se não tivessem havido uns falhanços à Nuno Gomes, tinham levado era 7 ou 8...