12.29.2009

3
A pescada está de férias.

E é por isso que não há postas.





Não digo para entrarem com o pé direito que eu cá sou esquerdina e não gosto de discriminações.

Agora licencinha aí, que tenho uma tarte de amêndoa para fazer para o ré-vé-iôn que se avizinha.

12.23.2009

2
Merry Christmas everybody!!

Aqui a je está no ir.

Um Natal cheio de coisas boas para as excelências. E para tod'ó mundo, que eu cá podia ser miss.
Ou não, talvez só para alguns, que o meu mau feitio não tem espírito natalício.

12.21.2009

1
Ninguém quer saber dos utentes, pá (ou "mais um post meio sádico")


O ramal da Lousã fecha, por completo, daqui a duas semanas.

Já alguém pensou como é que as pessoas cá da santa terrinha se vão suicidar sem o comboio?!!

Quem sai daqui lesado são os utentes perturbados e a própria CP, que tão depressa não vai ver aqui das vilórias as belas das indemnizações da famelga da vítima, que não só tem de fazer o luto por uma alma que decidiu que já não os queria aturar mais, como ainda tem de pagar uma bela maquia à CP pelos danos causados.

Transportes alternativos?
Check.

Mas atirar-se para debaixo de um autocarro não tem o mesmo impacto e não causa o mesmo estrago que atirar-se para debaixo do comboio. Aliás, atirar-se para debaixo de um autocarro da transdev é um bocadinho cócó. Lá se vai o melhor meio de pôr termo à vida que havia aqui para esta zona... Tão cedo não volto a ficar horas parada no caminho às espera que apanhem todos os bocados de alguém que resolveu ir experimentar o sabor dos carris... É triste, mas é verdade.

Agora se quiserem esborrachar-se em qualquer lado, das duas uma: ou vão até à linha da Figueira em Coimbra-B, que é a mais próxima, ou então optem pelos autocarros que fazem o serviço expresso cá das vilórias até à city, que na via rápida vão até aos 80km/h e já dão para qualquer coisinha. Não tarda são os bombeiros que começam a cobrar comissão por terem de lavar o sangue da estrada.


12.18.2009

2
Cataclismo ou autoclismo? We’ll never know. (ou "mais um título non-sense")


Terramoto/sismo/whatever?
Houve lá agora uma coisa dessas.

O que consta que houve para aí foram pessoas a abanar camas alheias.

Porque se alguém decidisse arrombar uma casa para lá entrar, acredito que a primeira coisa que faria não seria roubar, maltratar ou qualquer outra coisa menos fofa acabada em –ar, mas antes abanar a cama do dono da casa.
E suavemente, ainda por cima. O que não falta por aí são perigosos bandidos a arrombar casas para abanar camas (suavemente) e ainda fazer com que pareça que foi um sismo noutra ponta do país.

Além disso, toda a gente sabe que se tivesse havido realmente um sismo os bonequinhos do presépio não estariam de pé. Aliás, nem sei quem foi o cromo que perdeu tempo a inventar algo tipo, vá, um sismógrafo, quando já há presépio para medir sismos há tantas centenas de anos.


Não, pai, não andava ninguém a abanar a cama.
E não mãe, não se sentiu que chegasse para deitar os bonecos ao chão.

Com uma família destas como é que eu podia ser certa das ideias?! Oh sorte.
Esta noite já fui eu que andei a ouvir coisas. Mas não eram perigosos bandidos a abanar-me a cama suavemente. Digo eu. Parecia mais a minha Kika Maria em cima de mim, quando a bicha estava fechada na cozinha.
Turururururu (X-Files theme)

12.15.2009

2
Melhor declaração de sempre (ou "Red e a sua queda para o romantismo")

Se eu podia viver sem ti?
Podia... Mas não era a mesma coisa!

12.13.2009

1
São eles e o Saramago.


Os médicos são, oficialmente (decreto eu já aqui), dos profissionais mais enriquecedores da nossa tão nobre língua. Os melhores inventores de palavras extraordinariamente grandes e, vá, estúpidas um bocado para o desnecessárias .

Como há terminologias demasiado simples, toca de criar palavras onde caiba o maior número de sílabas possível.

Realmente, quem é o simplório que quer referir-se ao acto de enfiar-um-tubo-pela-goela-abaixo como "endoscopia alta" quando lhe pode chamar esofagogastroduodenoscopia?

12.10.2009

2
E é por conversas destas que há um menu chamado “discurso directo”.

(…) irmão da xana, o homem sem medo!

Lol

Umas cuecas justas e uma capa e temos o super-homem.
Cuja kryptonite são cobras.


Cuecas azuis
ou vermelhas?

Vermelhas. Em fato azul.
dah.
A minha joaninha
[porta-chaves ultra fofo da chave do carro] também tem uma capa.
Por isso
É a super joaninha!!

É. É ela e tu.

Se bem que o apêndice disse que ela era tetraplégica.
E maneta.
Estúpido.
Mas tem uma capa.
Quem é que quer braços e pernas quando se tem uma capa?!!!!

Ninguém! Ora então!! A capa faz com que ela voe!
(voe? parece estranho)

Sim, voe. Exacto.
E com a cara feliz que ela tem não me parece que se importe muito de aterrar com os cotos.

Tadinha... qualquer dia até nem cotos tem também
Vão-se gastando
com tantas aterragens

Não gasta nada, que ela anda de carro.

Qual de carro! Anda de capa!
Quando está para poisar, mete a capa a tapar os cotos
Qualquer dia não tem é capa, então

Mas ela está agarrada à chave do meu bolinhas, por isso quando aterra vai logo para o carro…
Já aterra sentada!



Red e Moreno, num msn perto de si. Ou não.
4 anos a aparvalhar. Juntas. Sozinhas é há mais.

12.07.2009

0
Red e o (verdadeiro) espírito natalício

Já vos falei da minha árvore, não foi…?

Linda que ela só, toda ela a dar espectáculo numa varanda perto de si, exibindo-se perante uma rua movimentada e sedenta de espírito natalício… Vá, mais ou menos.

Pois não é que um estupor de um vizinho tem uma varanda com mais néons do que têm as casas de meninas na EN-1?!

Pois fique sabendo, meu caro vizinho, que pôr luzes é fácil! Montar uma bela árvore, iluminá-la eficazmente e pô-la a espalhar o espírito natalício por esses transeuntes fora é que é difícil!!! O difícil não é montar a instalação eléctrica do circo chen na varanda, o difícil é fazer com que a malta que vai a passar lá em baixo perceba que é uma árvore de natal e que está ali a espalhar a magia do espírito natalício! Se fosse um concurso já estava desqualificado, seu filho da mãe. Ora agora a roubar as atenções da minha querida árvore… Pois claro que toda a gente olha primeiro para a sua varanda, tem mais néons que um carro de tuning! Estupor. Havia de vir o espírito natalício enfiar-lhe as luzes num sítio que eu cá sei! Aí sim, havia de agradecer por não ter uma árvore à séria!!

Pois fique sabendo que essa sua central eléctrica de árvore não tem nada, é só um amontoado de luzes azuis (ainda por cima!) que parece que piscam e ah e tal e coiso e “o que é aquilo?” “são luzes, senhor, são luzes…” e pois disso não passam. Se as pessoas quisessem luzes o natal era feito de candeeiros.

Ora essa.

12.05.2009

1
"I don't do mornings". Já dizia o Garfield.


12.02.2009

2
Só à mete-nojo, 3 palavras para vocês, caros leitores:

Travesseiros
da
Piriquita

Se a minha pessoa não vai até Sintra, Sintra vem até à minha pessoa.
E isto é ser importante.

11.30.2009

5
Pensem comigo:


Vizinha: morena.
Marido da vizinha: muito moreno.
Filho mais velho dos vizinhos: moreníssimo.
Filho mais novo dos vizinhos: quase albino de tão louro que é.

E a questão relevante que eu acho que se deve colocar aqui é:
Será filho do padeiro, do Sr. da Tv Cabo ou será adoptado…?


Acho que este puto é capaz de levar a peito se o irmão algum dia lhe resolver dizer que ele foi encontrado no caixote do lixo ou que o deixaram numa alcofa lá à porta de casa...


(não tivesse tido eu aulinhas sobre alelos de genes recessivos e coisas fofinhas do género e poderia levantar aqui um falso testemunho contra a família vizinha…)

11.26.2009

1
Não se devem enganar assim as pessoas.

Uma pessoa é respeitadora.
Cumpre os semáforos.
Vê o laranja, afrouxa e pára.
Forma-se uma fila bonita atrás dessa pessoa, tudo parado no semáforo.
Fica-se a olhar para o bonequinho verde dos peões.
Espera-se nem dois minutos.
Vai-se a ver e já está verde.
Avança-se.
Uma pessoa preocupa-se porque nem tinha reparado que já estava verde e avança logo com receio da bela apitadela no cu do bolinhas.
Olha-se pelo retrovisor e todo o mundo ficou parado no semáforo.
Não há mais ninguém na estrada.

Conclusão brilhante número um: o semáforo estava verde ou vermelho?! A pessoa já nem sabe! Tão centrada no peãozinho verde, pode-se ter confundido!! E demorou tão pouco tempo no vermelho, ainda não podia ter passado para verde!! Como é que a pessoa viu que estava verde se não podia estar verde?!! A pessoa está taralhoca ou daltónica, uma coisa ou outra.

A pessoa vê que o semáforo do sentido oposto estava verde, sinal de que o seu também estaria verde.
Ainda assim, vai o caminho todo a pensar se passou ou não o sinal vermelho.

Conclusão brilhante número dois: o estupor do carro que ia atrás da pessoa foi abaixo a arrancar no semáforo, e claramente que tudo foi propositado para a pessoa da frente pensar que tinha passado o sinal vermelho porque só ela avançou e toda uma fila de carros ficou parada no semáforo.


Podia não ser essa a ideia do carro perseguidor. Mas eu sou capaz de a aproveitar. Deu resultado.

11.23.2009

2
Um conto de Natal (ou "Red e a mãe ligeiramente narcisista")

_ A nossa árvore não está tão gira?
_ Sim, mãe...
_ E pisca toda, com tantas corzinhas...
_ Vá, são só quatro cores, mas sim, está muito fixe...
_ Devíamos ir lá abaixo ver como é que ela está.
_ Ainda agora tu vens da rua!!
_ Pois, mas ainda não tinha posto aquelas luzinhas a mais...
_ Oh meu Deus. Medo.
_ Não queres mesmo ir lá abaixo ao lixo...?
_ Oh mãe vou agora lá para baixo ver a árvore!!!
_ Mas só ver se está bem...
_ Sim, mãe, 'bora lá arranjar 15 minutos de adoração diária à árvore. Todos os dias às 9 da noite vamos de robe lá para baixo para o passeio, como se tivéssemos ido despejar o lixo, e ficamos a olhar para a árvore em estado de contemplação puro. E depois, como quem não quer a coisa e como se fôssemos umas vizinhas quaisquer, comentamos para as outras pessoas que passam ouvirem que "aaah que árvore tão linda... tão bonita que ela está, não se vê outra assim por aí!". E ficamos feitas parvas a olhar cá para cima. São 15 minutos à Benfica, todos os dias a adorar a árvore.
_ E nem era mal pensado...
_ ...E podíamos promover excursões! Desde que deixassem uma moedinha no pote do presépio.
_ Mas a gente nem tem presépio!
_ Olha fazia-se!
_ Oh. Parva. Bem deixa-me é ir fazer o meu crochet. Mas ora porra, assim tenho de ligar a luz! E depois não se vê bem a árvore!!!
_ Oh meu Deus...



(A minha não é esta mas está, efectivamente, mesmo gira. E menos gorda que esta.)

11.20.2009

5
Devemos começar a pensar na imagem que transmitimos aos outros quando…

(Só uma das alíneas é a correcta)

a) Compramos roupa
b) Nos apetece aparvalhar um bocado. Em público.
c) Admitimos que somos do Sporting
d) No nosso aniversário, as nossas amigas nos dão um livro sobre pedófilos, violadores, sádicos e outros bichos do género.



Ah e tal “e o que é que te deram?”
“Deram-me um pijama, uns brincos e uma carteira… e a ti?”
“Um livro sobre pedófilos… e eu gostei…"

11.18.2009

0
Quero uns óculos daqueles.

tira-27-08-2009-web1

11.14.2009

4
Happy Birthday to meee.

Digamos que se eu quero um bolo, tenho de ser eu a fazê-lo. Por isso sai uma tarte de amêndoa para soprar um fósforo!

11.11.2009

1
Lençóis BiPolares: numa cama perto de si.


Bipolares: pelo menos é o que a minha mãe acha que eles são. Não lhes chega serem polares, ainda são bi. Mas nada de preconceitos, doença mental não é crime, muito menos em lençóis. Realmente eles ora estão frios, ora já estão quentes.

Só da minha mãe.

Mas eu até gosto de inovar e aproveitar boas ideias, e a coisa podia dar para o negócio! Uma marca de lençóis polares. Porque lençóis polares são todos aqueles que vá, são polares, né, e haja algo que os distinga. Eu cá não conheço marcas de lençóis polares, e "bipolares" fica no ouvido!

Até parece que já estou a ver o anúncio, daqueles em que metem um casal sossegado numa cama quentinha e de repente chega lá o raio da criancinha irrequieta que salta para cima da cama deles e se deita por cima dos lençóis, enquanto uma voz-off tranquila diz: "Lençóis bipolares, os lençóis que aquecem dos dois lados!"

Pronto, agora vou só ali registar a patente e já volto.


(E é assim que grandes calinadas dão dinheiro. É mais ou menos o mesmo processo de não saber pontuar frases e ganhar prémio Nobel da literatura. Vá-se lá saber quem é que faz uma coisa dessas...)


(Polar por polar eu cá gosto mais destes...)

11.06.2009

1
O IVA já sabe quem é o novo treinador do sporting e sim, continua a ser deprimente...


0
Hoje só há posts deprimentes.

IVA

Sporting vende naming do banco de suplentes a agência funerária Servilusa

«"Afinal nem tudo corre mal ao Sporting. O mau momento da equipa de Alvalade chamou atenção da agência funerária Servilusa que fez uma proposta irrecusável para dar o nome/patrocinar o banco de suplentes dos leões no Alvalade XXI. Assim, no próximo jogo a equipa técnica e suplentes já se vão sentar no “banco servilusa. Consigo nos momentos difíceis”. IVA falou com Adriano Covinhas da Servilusa que nos explicou esta iniciativa: “Neste momento quem melhor que Paulo Bento a enterrar uma equipa? Exactamente, foi esse o nosso raciocínio. E por isso pretendemos ligar a imagem do treinador do Sporting aos nossos serviços.” IVA sabe que este patrocínio vai também envolver um novo serviço para aqueles que estão mais descontentes com as exibições e que desejam deixar de ser sócios do Sporting. Estes vão poder optar pela modalidade “funeral de sócio” e por apenas 30€ terão direito a um pequeno caixão para o cartão de sócio que será enterrado na área técnica reservada ao treinador junto ao “banco Servilusa”.»

1
O dia-a-dia da vizinhança de um abusador sexual de criancinhas:


_ O abusador está na varanda...
_ Ah é aquele?
_ É sim... Ele continua lá com as plantas, mesmo depois do condomínio ter mandado tirar aquela selva! Às tantas era para espreitar melhor as vizinhas!

...

_ Olhe eu ontem vi fulano-de-tal em Coimbra! Então mas ele pode andar por aí?!
_ Pode, que ele só tem termo de identidade e residência... Tem é de ir à GNR todos os dias!

...

_ Ainda em tal-dia ele saiu com a mulher...
_ Coitada dela, há-de cá ter sido um desgosto...
_ Pois eu nunca mais a vi...
_ E eu não o tinha voltado a ver desde que a PJ veio aí!

...

_ Olhe é aquele que ali vai na rua!!
_ O que será que ele leva naquele saco..?
_ Era onde ele levava os rebuçados para dar às meninas!!!

...

_ Você não está a falar a sério, não foi o meu vizinho...
_ Estou pois! Acha que isso é coisa com que se brinque?! As miúdas eram as filhas de fulano-e-sicrana!
_ Então ele até me vinha visitar e tudo...!

...

_ Porco de homem, era cortar-lhe a pila!!!

...

_Está ali o pai da não-sei-quantas à janela...
_ Eu não sei como é que ele não vai lá a casa e não mata o homem!

...

_ Diz que o pedófilo já tinha tentado aliciar a não-sei-quantos também!!!
_ Mas essa já é velha!
_ Pois, vejam lá, quem é que vai entender a cabeça destes homens nojentos...

...


E a vizinhança nunca mais voltaria a ser a mesma.

E só não andam em cima do senhor para ver quando é que ele vai fazer xixi porque não podem, senão andavam! E talvez aproveitassem esse momento para lhe cortar qualquer coisinha, que a malta não é nada meiga com estas coisas, não...

11.04.2009

5
Oh. Meu. Deus. Como diria a minha avó, "está o mundo perdido"!


Primeiro vem-se no comboio a ouvir um homenzinho cantar sem vergonha nenhuma "quem é o gostosão daqui, sou eu sou eu sou eu".

Se só por si isto já é perturbador, então quando se está a ler bibliografia de crimes sexuais para um trabalho sobre pedofilia...


Depois chega-se a casa e descobre-se que, na santa terrinha (e vizinho da famelga, vejam lá!), também há coisas dessas:

Daqui concluo que mal preciso de sair de casa para arranjar objectos de estudo. Óptimo, que a gasolina está cara.

11.01.2009

3
Por falar em bola, eu cá acho que sou do Sporting errado...


Imagem gentilmente (ou não) cedida por Rudolph, the rednose reindeer.

Tenho de ensinar o meu pai a pentear o cabelo para trás e pronto, fica igual.
E a cara de mau dele também não fica nada atrás...

10.31.2009

0
Porque é Halloween, vá...

10.29.2009

2
Este-post-serve-apenas-para-que-a-bela-imagem-do-José-Cid-nu-não-seja-a-primeira-coisa-a-aparecer-neste-que-pode-não-parecer-mas-é-um-blog-decente

...


Pronto, objectivo cumprido. Para ver o Zé Cid nu tem que se andar com o elevador mais para baixo.


(Para quem não imagina, obviamente que o concerto do homem foi o delírio. Haja favas com chouriço!)

10.28.2009

3
Quais U2, qual quê…

Hoje é o dia de ir vibrar com José Cid, o auto-intitulado “mãe do rock português”. Sim, mãe. Porque dizem que o Rui Veloso é o pai, e então se ele é o pai o Cid diz que é a mãe. Ele lá sabe. Eu cá prefiro não saber o que é que esses dois andaram a fazer para nascer o rock (favas com chouriço, provavelmente), isso é lá da intimidade deles e ninguém tem nada a ver com isso. Estamos num mundo muito liberal e isto já não pode ser encarado preconceituosamente. Se o Cid quer ser a mulher no casal tudo bem, ele é que sabe.

P.S.: partilho aqui com vocês esta bela imagem apenas para não ser a única traumatizada da vida com esta figura. Misery loves company!

10.27.2009

3
A minha pessoa é… (criança, pá, é o que a minha pessoa é…)

Prometem qualquer coisa e pronto, cá estou eu a fazer figura de ursa e a responder a uma-daquelas-coisas-que-eu-ponho-num-nível-só-muito-ligeiramente-acima-dos-mails-em-cadeia, mais conhecida por “desafio”.

Mas eu não tenho culpa..! É que da última vez que as Damas do Paraíso me propuseram um desafio, fizeram-me um avatar todo fixe e eu a modos que sou fácil. Claro que também ajuda o facto de ter dois dead-lines para quinta-feira em que devia estar a trabalhar e não estou; isso também é uma motivação extra para andar a responder a desafios a esta hora.

Ora então, a coisa consiste em revelar 8 características da minha pessoa. Hum. Não é assim tão interessante. Mas vá. Vou aqui e agora revelar em directo e exclusivo 8 aspectos surpreendentes da minha grandiosa personalidade.

Assim sendo vá, consta que a minha pessoa…

… Tem mau-feitio. Calúnias. Eu não sou ruim. Nem reles de vez em quando. Nunca morri por ter mordido a língua.Nem guardo rancor. Não acontece. Eu não sou raivosa.  Não sou GRRR. Eu nunca sou GRRR! Nada disso. Eu sou um amor de pessoa. O resto são as más-línguas que inventam.

… acha que tem piada. Alguém me devia desenganar. Se bem que, orgulhosa como sou, a coisa não ia correr bem. Ou então ia, que eu sou uma pessoa bastante tolerante. O facto de achar que há pessoas neste mundo a respirar usar o oxigénio do povo indevidamente tem apenas a ver com o temor pela saúde da restante humanidade..!

… É a modos que croma. Não é nerd, não é geek, é mesmo croma. So what? A verdade é que eu sei onde é que está o Wally…

… É (mas só um bocadinho) alarve gulosa. MENTIRA. Eu nem gosto de comer. Não tenho culpa que as coisas me apareçam à frente. Não tenho culpa que o chocolate goste de mim. Não tenho culpa de ter sido criada numa família que me ensinou a não estragar comida, sobretudo quando é boa. Não tenho culpa de o meu estômago não ter fundo. Não tenho culpa dos doces virem ter comigo. Não tenho culpa das gambas gostarem do meu prato. Não tenho culpa que os chineses tenham vindo para cá fazer crepes e chop soys! (Já que vieram há que lhes dar trabalho…) Não tenho culpa da base da economia se fazer com a comida. Eu apenas, como cidadã exemplar que sou, gosto de contribuir para a produtividade do meu país: quanto mais eu como, mais comida tem de se fazer. Tudo por um bem maior, claro.

… É agarrada. Egoísta. Egocêntrica. Whatever. Sou sim. Pouco, mas sou. Se bem que quem me vir a falar na terceira pessoa é capaz de ver melhor um alter do que um ego… eheheh (piadinha freudiana fácil, desculpem.). Vá, sou agarrada mas nem é assim tão mau. Também sei ajudar o povo. Sei sim. De forma quase completamente desinteressada!

… Tem muito non-sense para dar. O sol brilha e a relva é verde. Aposto que vocês ainda não tinham reparado.

Não tem papas na língua. Ou seja, a minha pessoa é directa. Nos dias em que não prende o burro. Pronto, nesses dias demora um bocadinho a ser directa. Mas nos outros não. Até falo demais. Gosh, quando estou com a telha não há ninguém que me segure! Por favor, alguém que me arranje um travão. Ou aulas de controlo de raiva. Depois vêm para cá dizer que eu tenho mau-feitio… Tenho nada…

E agora que revelei o meu encanto (o povo há-de ficar a pensar que eu sou intragável!), caras Damas do Paraíso, passem para cá as bolachas de chocolate. E a milka. E a coisa que prometeram à minha humilde pessoa.

(e o Wally está por toda a cidade de Coimbra nos fofinhos cartazes da Latada deste ano…)

10.25.2009

2
Não é que eu seja anti-social, mas…

 

… a parte boa da gripe A (entre outras, como o simples facto da existência de um estado de pânico geral) é que acaba de vez com o hello-kissing, vulgo então-não-me-cumprimentas?-mesmo-depois-de-se-ter-dito-olá-ou-apertado-o-bacalhau-a-toda-a-gente.

Malta, eu cá não gosto de cumprimentar com beijinhos. Excepto a famelga, porque hello-kissing era uma condição que já vinha incluída no meu pacote familiar. Mas de resto, no hello-kissing for me, please. Não é por nada, a sério. Não sou obsessivo-compulsiva com a mania da contaminação. Embora tenha algum receio pela minha saúde com certos dadores de hello-kissings. Também não sou anti-social. Vá, isso talvez seja um bocadinho, mas nada trágico. Também não sou assim tããão mal-educada, senão o meu pai batia-me.

É só que… na. Not my type. Perdoem-me, hello-kissers deste mundo. Não pensem que sou antipática, que também sei ser mas não é assim. Acho que o fundamental da questão é mesmo… eu não ser fofinha. Eu aceno, aperto o bacalhau, grito de um lado da rua para o outro, mostro a luz do telemóvel na janela para a rua à noite, whatever, mas beijinhos não é cá comigo andar a distribuir à borliú por esse mundo fora. Até porque beijinhos meus são extremamente valiosos.

Além de um provável erro de julgamento da imensa-simpatia-e-amabilidade da minha pessoa, também não me afecta muito não gostar de hello-kissings. É só que agora com a gripe A e a teoria do deixar-de-cumprimentar-as-pessoas-fisicamente-não-é-má-educação (mais um belo ensinamento que a gripe nos traz, imediatamente a seguir ao módulo de como-lavar-as-mãos-em-condições)  nem preciso mais de explicar a todo o mundo que eu não sou uma hello-kisser e que isso não faz de mim uma má pessoa (outras coisas farão, decerto).

Mas, também, nunca ninguém disse que eu era fofa, pois não?

10.23.2009

0
É desta que "Uma Aventura" passa a ser leitura obrigatória na escola!

"Isabel Alçada era um nome esperado no Ministério da Educação"

10.20.2009

1
Querida mãezinha,


Desculpa ter deixado o grandioso bolinhas num estacionamento debaixo das árvores no dia em que o tinhas ido lavar com tanto amor e carinho. Desculpa não ter adivinhado que vinha um vendaval que o ia encher de ramos. E desculpa também não ter adivinhado que naquelas árvores moravam 370 pássaros cheios de diarreia.

Prometo que, para a próxima, dormirei dentro do carro e tudo se for preciso, à espera que surja um humilde lugarinho à porta de casa. Isso ou pegarei eu própria no estupor da mota que insiste em ficar atravessada a ocupar o lugar do nosso bolinhas.

Desculpa também ter dito que ele de bolinhas não tinha nada e que tinha muito mais pára-choques de bóbi que de bolinhas; eu juro que não quis insultá-lo.

Desculpa, mãezinha. Prometo que um dia destes me ofereço para aspirar as folhas que foram ter ao banco de trás sabe-se lá como. Prometo também pedir a pressão de ar emprestada ao meu pai e colocar-me em posição de ataque na janela da sala, a fazer pontaria às árvorezinhas.

Sempre tua (pelo menos até ao dia em que me disseres que fui adoptada ou que fui encontrada num caixote do lixo à porta do prédio)

Red

10.19.2009

0
O paizinho ainda não sabe, mas oferece...

... uma recompensa (ou não) a quem tiver um bilhetinho a mais para a bancada sul superior lateral (lol) do grandioso estádio cidade de Coimbra e tencionar vendê-lo por preço dentro do razoável-não-gatuno. É que a sua pessoa já não foi a tempo de arranjar bilhetinho ao pé da filhinha para observar atentamente o grande bono vox a partir tudo dia 02/10/2010. Porque o paizinho é um fixe e, obviamente, gosta de U2.


P.S.: quando eu tiver bilhete para o José Cid na latada, exponho-o aqui com a mesma emoção.

10.17.2009

0
(em princípio, vá) EU VOU!!!

evento-U2-esgotado

10.16.2009

4
Ele há coisas…

 

Depois de uma noite sem dormir na minha cama após  um ataque de pânico muito feio, eis que chego à faculdade e vejo lá isto:

digitalizar0001

Claramente um sinal.

10.14.2009

2
Como é que eu posso pensar em U2 para o ano quando há José Cid daqui a duas semanas?!!!





10.08.2009

2
Porque eu também sou uma pessoa sensível…!


Sabem aquele cheiro característico que se nos vem quando temos o nariz entupido e fungamos…? Aquele cheirinho a gripe…?

Há que séculos que não sentia isso…


("sim, eu sei... que tudo são recordações..."...não..?)

10.07.2009

1
Gripe Ai a porra que já me dói o nariz de tanto me assoar.

À conta do meu excelentíssimo apêndice, que levou até às últimas instâncias a ideia do “não sou o único”, a minha pessoa tem gripe. E juro que me ando a divertir com isso.

Raramente fico doente. E habitualmente é coisa pouca: uma gargantita inflamada, um cérebro a escorrer pelo nariz, uns atchins para aqui e outros atchins para ali.

Mas desta vez a coisa está muito mais divertida. Não é que eu esteja pior, é mesmo só o ranho e o atchim. Mas dizer “gripe A”, de cada vez que espirro dá todo um outro ânimo à coisa. É que, por menos credível que seja eu ter gripe A (mas até podia ter já que ficava despachada! Se bem que me parece que esta agora é a minha gripe da temporada…), lá vejo as mãozinhas do povo a serem esfregadas com desinfectante. E a sério que deliro. Então no comboio, com aquele magote de gente apinhada tipo lata de sardinha a olhar para mim de lado de cada vez que ouvem um nariz a ser assoado, é um must.

Só me apetece esgalhar a rir depois de espirrar para o lenço. Nunca uma gripe foi tão animada.

10.06.2009

2
Tanta dúvida sobre a origem da psicopatia para quê…? É assim que se desenvolvem instintos homicidas…

Estão a ver os jovenzinhos que resolvem chegar à escola/universidade/e-tudo-e-tudo-e-tudo e desatar aos tiros a toda a gente e mais alguma que apareça para a festa...?

Pois. E não conhecem esses a malta das secretarias cá da UC e respectivas faculdades. Ou da CP, também.

Se conhecessem… Aí sim, é que era a sangria…

10.05.2009

2
o IVA é que sabe!

 

IVA

«Pacheco Pereira acusa - Vitórias do Benfica faziam parte da campanha eleitoral do PS

A campanha vitoriosa do Benfica neste inicio de época fazia parte da estratégia eleitoral do PS. Quem o diz é Pacheco Pereira em declarações ao IVA. “O PS controla tudo e todos. As vitórias e exibições do Benfica fazem 6 milhões de portugueses esquecer os reais problemas do País. São 6 milhões de eleitores que estão mais felizes e inconscientemente ligam esse facto ao PS. Como explicam que o comunista Luís Filipe Vieira tenha apoiado publicamente José Sócrates? Como explicam que Paulo Bento se mantenha treinador do Sporting? Como explicam que só agora Hulk tenha começado a jogar ao nível do ano passado? Agora que o PS já ganhou o Benfica vai voltar às exibições vulgares. Não viram ontem? Querem melhor prova? O PS tinha todos os treinadores sob escuta e o Jorge Jesus sabia antecipadamente todas as estratégias dos adversários, agora acabou-se.”»

10.03.2009

2
Porque este é um blog claramente informativo...

... quando eles dizem isto, já eu há muito tinha referido isto. Porque este é um blog informativo e está muito à frente! Mais precisamente, 6 meses à frente! Se bem que, quando se fala em andar enlatado no ramal da Lousã, já podemos falar de anos...


(outras informações - desta vez políticas - em www.portalpimba.com, como o grande hit autárquico "não sou o único" e a descrição de uma dirigente feita xerife a passar a mão no pelo do gato em MC city, e ainda outro sucesso garantido e pertinente para a zona como "não quero ver Coimbra a zero"!)

10.02.2009

3
Coisas e loisas ou então nada disso.

(acho que estou forte nos títulos non-sense)

a) (literalmente) Meio ano depois…

    There it is.

    Afinal nem a) eu estava assim tão horrível que o computador não aceitasse a fotografia, nem b) eles não tinham grande vontade de ma dar…

    (agora já só falta chegar o C.U. e a bela da matrícula. Mas essa acho que nem para o ano cá chega se eu não a for buscar…)

b) Ontem foi a última 5ª feira no dentista.

    Agora vou mudar de dia.

    Acham mesmo que ia conseguir viver sem aquela dosezinha de sadismo semanal?

    c) e – PÁRA TUDO!

      José Cid no último dia da Latada! Até parece que já se me estou a ouvir no meio da caloirada e afins a entoar favas com chouriço em delírio!

      Apreciem um pouco da poesia que me espera:

      E ao minuto e 17, a mais bela declaração de amor.

    9.30.2009

    5
    Não, epá, agora a sério.

    ovos moles

    Estava uma pessoa toda descansadinha e consoladinha a saborear um belo de um ovo mole (e quando digo saborear quero dizer mais precisamente tê-lo metade dentro/metade fora da boca) e eis senão quando o meu querido lábio inferior fica colado à hóstia do dito cujo que, para descolar, lá levou um bocadinho de pele atrás.

    A gula é um pecado mortal. Mesmo. E, pelos vistos, Deus castiga.

    9.29.2009

    4
    Descubra as diferenças

     

     

    O António Vitorino é o Pinguim.

    (e deu show no Gato Fedorento)

    9.26.2009

    2
    “Endo Wars: O Caminho dos Buchos”

    Hoje estreei-me na agradável experiência de ter um tubo enfiado pela goela abaixo. Ah e tal não custa nada. Pois claro que não, as pessoas é que são umas exageradas. Parece lá agora que só falta rodarmos sobre a sonda para assarmos no espeto…

    Mas não custa nada, é verdade. A começar pelo saborosíssimo preparo que nos espirram para a goela para a pseudo-anestesiarem, que a certa altura parece que incha tanto que nem cabe no pescoço (mas é tudo alucinação excepto o sabor, que esse é mesmo horrível). Eu não sei que raio de coisas é que andam a matar para fazer uma mistela daquelas, mas pelo amor de Deus parem. Matem antes morangos.

    Depois também é profundamente animador pensar que a) vou morrer engasgada e nem tenho tempo de chamar nomes ao Duarte Gomes! ou b) o homem está com uma pedalada que leva o meu esófago espetado num pau para um daqueles frasquinhos que habitam os corredores da faculdade de medicina!

    Apesar do desespero, a minha pessoa (como forte que é, que dos fracos não reza a história) aguentou-se à bronca. Pouco me engasguei, não fiz grandes tentativas de regurgitar (sempre quis dizer regurgitar no meu blog), nem piei quando senti que o tubo da endo estava perigosamente perto de seguir caminho e ir sair a um lado diferente de por onde entrou (não tentemarroz_bucho imaginar isto em casa), apesar de uma ou outra lágrima (resultante de um cisco num olho, obviamente) me ter escorrido pela cara abaixo. Muito menos sequer pestanejei quando reparei que o meu estômago parecia mesmo daquele bucho de porco que a  santa avózinha sabe rechear tão bem. Sim, porque eu, apesar de estar no espeto, quis assistir à assadura – e ainda trago uma gravação do momento para casa, que lá há melhor sessão da tarde do que assistir com um balde de pipocas a’O caminho do bucho’…

    Agora estou aqui é com a minha garganta como se tivesse uma amigdalite (amigalite para os amigos) ou, quiçá, gripe A (fujam), porque acho que saiu um bocado de esófago agarrado ao tubo quando o sô doutor estava a desmontar o estaminé de dentro da minha pessoa. O que vale é que, como diz o patrão, o frio é o melhor anti-inflamatório, e só mesmo por causa disso, acho que sai um magnum temptation aqui para a mesa da Red.

    O que uma pessoa não faz pela sua saúde… E estou a falar do magnum, claro.

    9.25.2009

    2
    Eu cá toco muito bem. O Patrick Swayze também tocava. E vomecês?

    Porque há-de ser hilariante de se ver.

    Ao minuto e cinco, Patrick Swayze demonstra a sua habilidade em air guitar

    “How do you call your loverboy?”

    9.23.2009

    3
    Procura-se:

     

    a) Quem raptou o Kinder Bueno e o trocou por uma coisa que diz que é de chocolate branco mas que não engana o meu paladar apuradíssimo.

    Oferece-se recompensa a quem tratar de pôr o original de novo à venda na FPCE. O white pode parecer muito apetitosinho mas não se deixem iludir. Volta bueno, há gente que te ama e espera por ti!!

    b) Funcionário da CP competente & simpático.

    Procura-se funcionário que:

    1. Saiba o que é preciso para resolver certas burocracias de que era suposto estar informado (ou pelo menos que se dê ao trabalho de perguntar);
    2. Consiga referir, de uma só vez, todos os documentos necessários para tratar de certo assunto, em vez de pedir mais um de cada vez que se vai à estação;
    3. Consiga fazer isto tudo sem aquela cara de “ai a porra que faltam 5 minutos para eu sair e veio esta agora aqui chatear-me o juízo”;
    4. Consiga dizer qualquer coisa mais ou menos coerente com o que os outros colegas dizem (ao menos com os que estão na mesma estação);
    5. Saiba informar as pessoas;
    6. Seja minimamente simpático.

    Se encontrarem um destes, chamem-me que eu fotografo essa pessoa para a posteridade, que isso ainda há-de ser mais difícil que encontrar a alma-gémea ou avistar o monstro do Loch Ness.

    Sim, fui hoje pela quarta vez à estação tratar do MESMO assunto porque suas excelências cada dia querem mais um papel. Haja pachorra para os aturar, sola de sapato para andar para trás e para a frente e dinheiro ao fim do mês para lhes encher a mula. Raios partam esta gente.

    9.21.2009

    1
    Hoje tenho de ver o tempo de antena...


    ... e descobrir qual é o partido que quer implementar uma medida "tanto em Portugal como no Alentejo".

    Porque toda a gente sabe que o Alentejo é um país à parte.

    9.16.2009

    3
    Eles lá terão as suas razões…

     

    A minha pessoa tirou a carta em Maio. A carta ainda não chegou à residência da minha pessoa. De facto, a carta da minha pessoa ainda nem sequer saiu de Lisboa.

    Depois da carta, a minha pessoa já fez o CU (aka Cartão Único, actualmente denominado Cartão de Cidadão por alguma mente pervertida que lá vislumbrou algo badalhoco no rótulo anterior), já pediu uma certidãozinha na Universidade (daquelas que demoram uma hora para pedir, 1 mês para estar pronta e mais 1h para levantar), já fez um novo passe (sim, que a minha pessoa é importante e foi chamada aos sub-23), não tarde renova a ADSE e a bela da carta sem me chegar às mãos.

    Aliás, a minha pessoa até já fez uma operação stop com direito a soprar no balão e carta, que é dela. Em compensação, a minha licença é uma coisa bonita, toda cheia de carimbinhos e carimbetas e assinaturas fofinhas e datas e não sei quê. Acho que a licença com maior validade na história das licenças provisórias.

    Consta que é por causa da digitalização da fotografia. Eu diria para também não exagerarem, que não sou assim tão hedionda e até gostei bastante das fotozinhas que tirei para a carta (queria mesmo usá-las para o CU/CC, porque foram das poucas que ficaram decentes, mas eles não gostam de pessoas decentes e não deixam). Más linguas dizem que não ma querem dar. Mas não percebo porquê; a minha pessoa é extremamente segura ao volante.

    chickenroadrage

    9.14.2009

    1
    Uma pessoa sente que está velha quando...

    (velha não; acima na hierarquia...)

    ... em vez de se querer ir praxar caloiros quer-se ir tratar de doutores abusadores e mal trajados...

    9.11.2009

    3
    hihihi este é o post 69 de 2009 hihihi (crianças, pá!)

    1º: Adwhere were you in 9/11? Bem, adonde estava eu? A minha pessoa estava sentadinha no sofá da avó, à hora de almoço, a apreciar em directo (e com cara de parva) o aparato, incluindo a segunda torre gémea a levar com um bonito avião em cima.

    2º: Melh02_1024x768or. Filme. Do ano. Inglourious Basterds, do mestre Tarantino. Ide ver, minha gente, ide ver. A correr, a saltar por cima e a pisar as pessoas da fila, e a chegar à frente, qual primeiro dia do lançamento oficial de um Harry Potter numa megastore da China. Ide e aprendei. Tem sangue a esguichar por todos os lados (“And I want my scalps!”), cabeças partidas com tacos de basebol (não era suposto dizer isto em púb01_1024x768lico, mas eu tenho um que diz anestesia rápida e tudo), muitos tiros, cinemas a arder (vá, é só um), um Brad Pitt a falar italiano com sotaque do Tennessee ("Ari-vederci!"), tem Basterds com ar de pitbull, um Hitler que é a cara do chapada do Herman José, um Cristoph Waltz em grande de tão cínico que é e até tem um Basterd que já fez de polizei-dono-do-Rex,o-cão-polícia. Tem um formato que é o Tarantino em pessoa, incluindo a bela da banda sonora assustadora. Ide ver, meu povo, ide que vale bem o dinheiro do bilhete.

    3º: Ideias sádicas. A excelentíssima senhora minha pessoa está de malas e bagagens no mestrado bolonhês em Psicologia Forense (oh yeah e ora tomem lá morangos que quem manda aqui sou eu). E tenciona, no futuro, estagiar na prisão. Ora tudo isto para aprender com os melhores. E estou a falar dos presos, obviamente. Que eu ainda não desisti de me vir a tornar serial killer. E a sério que o método dos Basterds me agradou...

    9.10.2009

    3
    Uma família de pirómanos.

    O apêndice: “estou a 25 metros de labaredas enormes… era o teu paraíso!”

    A mãe: “Anda aqui um fogo muito grande!!! Mas eu tenho de ir trabalhar…”

    A Red: “Tudo para o fogo e eu em casa sem ver nadinha!”

    O pai: “Só emoção e eu aqui, tadinho, a trabalhar!”

    O irmão: “E não podiam esperar até sábado?!”

    6
    Ah e tal parece que é desta.

    Pois é, meu povo, parece que é desta que o blog está feito. Ou se não está, está mesmo nos finalmentes e completamente operacional para tod'ó mundo. Gostam da minha nova casinha? Que remédio têm vomecês senão dizer que sim, pois que isto me deu uma trabalheira dos diabos.

    Mas digam lá que a coisa não está fofa, com menuzinhos e pintas pretas e não sei quê. Pois claro que está. É meu, é fofo.

    cooltext433032435Bem, as únicas instruções que eu tenho para dar é que há coisas que não dão mesmo para comentar porque vou estar sempre a mudá-las, e por isso podem comentá-las antes nos posts. Partindo do princípio que há gente que se dá ao trabalho de comentar neste blog. Ah, e desculpem lá a confirmação de letras. É que tem andado para aqui spam e o spam é coisa que se me tira do sério.

    Alguma coisa que não funcemine avisem, que descobri (só no meio desta lida toda) que o firefox é melhorzinho do que o explorer. Alguma reclamação é só dizerem, que eu vou pensar seriamente. E depois não vou ligar nenhuma.

    9.07.2009

    5
    A coisa está difícil...

    Esta vida de blogueira está a dar cabo de mim...

    8.19.2009

    Ok, vou mesmo outra vez de férias sem mexer nisto. Ai a preguiça.

    8.18.2009

    1
    É que tenho toda uma série de postas de pescada em stand-by à espera das obras!

    Acho que o metro mondego ainda chega cá primeiro...

    Ai a porra se a próxima posta não é exibida em todo um renovado blog perto de si.


    (tendo em conta que 5ª vou de férias - outra vez hihi - tem de ser rápido. se isto não for assim, nunca o mudo. ai os planos que eu tinha para o meu fundo. mas dão muito trabalho e a minha pessoa está em modo ócio.)


    8.16.2009

    2
    Voltei voltei, voltei de lá


    Ainda ontem estava na Tocha e agora já estou cá.




    7.31.2009

    4
    Agora sim, roam-se. De inveja, óbvio.



    Desta vou mesmo. De férias. Está na altura de me esparregar ao sol uns diazinhos para passar de tom leite com café a tom café com leite!


    Assim, o estaminé encerra por tempo inesperado (vá, coisa de uma semanita), e vamos lá ver se quando voltar tenho paxorra para lhe dar todo um novo ar, que isto já cheira a mofo, já.




    Boas vacances, meu povo!
    (/red acena a dizer adeus à moda da rainha mãe, que isto é todo um blog com nível!)



    P.S.: eu, se fosse gajo, processava a FHM deste mês por todo um trauma que fica para o resto da vida ao observar aquelas imagens. Aliás, até mesmo sendo gaja eu processava, que ter de lerpar com aquela capa nas bancas de revista é do mais deprimente que há! Chiça! Deve andar tudo doido meeesmo. Eu não devo muito à beleza, mas fico feliz do meu nariz não chegar até ao prédio do outro lado da rua.

    7.28.2009

    4
    A minha fama precede-me.


    Ahah, já cá canta. Vocês queriam um destes.


    Mas custou, bolas! Foi uma trabalhosa tentativa de afofinhar este blog! Nada fácil. Era toda uma reputação que estava em jogo. Podem cuscar a odisseia deste desafio privado (que consistia nisto) aqui, aqui e, finalmente, o post aqui (ou podem andar com o cursorzinho da janela para baixo que não dá tanto trabalho e está lá tudo na mesma). Podem também visitar as minhas anfitriãs e, se disserem que vão da minha parte, pode ser que elas vos dêem uma bolacha. Ou uma bolachada, que eu já lhes ando a transmitir a minha sabedoria. Obrigada, meninas :)



    P.S.: é verdade, eu tenho um apêndice. E também um fígado, dois rins e umas tantas outras vísceras.

    1
    À terceira é de vez: Oooolh’a tentativa de post/testamento fofinho!!!

    (ou “ai o que uma pessoa não faz por um prémio personalizado…”)


    A minha pessoa também sabe ser fofa. A minha pessoa inclusive até tem um blog lamechas. A minha pessoa apenas não aprecia dar a conhecer esse seu lado cutchi-cutchi, sobretudo porque pensar que tem um lado cutchi-cutchi proporciona-lhe todo um arranque de vómito (ou uma má-dispodição semelhante à que sofre quando vê os queridos bebezinhos a babarem-se todos (quais bassets ou s. bernardos) e é toda uma salivária a encharcar-lhes os babetes cheios de comida e ranho e afins).
    Assim como assim, a fofura da minha excelentíssima pessoa ocorre mais no sentido de cuspir patas de escaravelho em forma de coração. Têm muito mais a ver comigo, estas demonstrações de ternura, pois que os coleópteros são bichos da minha ordem (piada biologicamente inteligente).
    Mas eis que, vá, a minha pessoa tem o seu quê de lamechas, qual alter-ego maléfico a atormentar-lhe as entranhas. A minha pessoa (foi a minha pessoa, não fui eu!) até soltou meia lagrimita (só meia) quando o Marley morreu, no final do filme!! (spoilei? Wops…)

    Pois então, já que a minha pessoa possui um alter-ego maléfico/lamechas, qual a melhor forma de elaborar um post cutchi-cutchi-MEDO? Toca de ouvir Os Azeitonas e o seu “anda comigo ver os aviões” (bela musicália, sim senhores), e eis o que resulta desta deprimência (não depressão) toda:



    A minha pessoa, apesar de frígida e sem sentimentos, também quer alguém que lhe diga “anda comigo ver os aviões”. A minha pessoa quer alguém que lhe diga ‘anda comigo ver os aviões, nem que seja ali ao aeródromo da Lousã ver os Canader levantar voo para ir acorrer a um qualquer incêndio cá da zona’. A minha pessoa é romélica sim; apenas não diz a ninguém. Mas, se a minha pessoa não quer dizer, digo eu que sou chiba e não sou de vergonhas.

    A minha pessoa atura o seu querido apêndice advogado-estagiário/ladrão-convicto/religiosamente-lampião há uns anitos já. Tantos que até dá vontade de partir pinhas com a testa. Tantos que é mesmo de expôr o crânio. Ainda assim, o apêndice-mestre ainda não teve a brilhante ideia de dizer à minha pessoa “anda comigo ver os aviões, nem que seja na relva do urso do parque a olhar para o céu de Coimbra com avião da publicidade da Expofacic a sobrevoá-lo anunciando os gloriosos dias do certame”. E a minha pessoa sente falta de uma odisseia dessas. Mais romélico só mesmo eu e tu, tu e eu, nós os dois, a fugir desenfreadamente de um louco rato coxo. Ou a desfazer chuquelhas com um pente de pregos. Isso sim. Ainda não tivemos oportunidade, mas é algo que anseio perdidamente.

    A minha pessoa gosta destas coisas romélicas de “anda comigo fotografar os aviões de forma a que pareça que eles vão contra os prédios, qual 11 de Setembro português”. Gosta sim. A minha pessoa possui uma alma gémea, que sou eu, e encontrou no seu apêndice companhia para estas romelices não pegajosas. A minha pessoa é toda "ai meu querido mostrengo". O meu apêndice é todo "tu és a ruindade em pessoa" ou "sentes as veias a engrossar?" (quando eu como algo rico em colesterol). Tudo de amor para cima. Por isso já ficam avisados: se um dia eu desaparecer do mapa, já sabem que nozes dois fugimos juntos para a conchichina, com direito a "anda comigo ver os aviões" e coisas fofas dessas. A minha pessoa é uma pessoa feliz. E eu vou tentando.

    "You know that I could use somebody... Someone like you."

    ...

    Eu até continuava nesta fofura toda, mas eis que se me chegam ameaças dos meus queridos 3 leitores e meio, que “se não te calas faço do teu dedo mindinho carne picada” e coisas fofas dessas e pronto, é melhor parar por aqui, que o dito cujo faz-me falta.



    Então, ganhei o prémio…?
    Mesmo que não, o número de visitas aqui aO Blog já aumentou cerca de 372% com
    a vossa referência, queridas Damas. E vocês já me obrigaram a escrever 2 posts e 1 testamento. E tiveram o trabalho de personalizar um desenhinho fofo aqui para a je xD

    P.S.: afinal sempre foi o apêndice o eleito para o post cutchi-cutchi. Tadinho, ninguém merece.

    7.27.2009

    2
    E como raio é que eu faço um post cutchi-cutchi*?!

    Hipóteses:

    a) Falar de criancinhas.

    NOT. Comigo não funciona. Um post cutchi-cutchi meu pode falar de tudo menos de criancinhas. Pois que o espírito “rai’s partam as criancinhas” não tem muito de fofinho.

    b) Falar de animaizinhos.

    Animaizinhos eu já gosto (ok, agora tive pena das criancinhas, mas foi uma coisa passageira). Mas tendo em conta que a sugestão “pensa em gatinhos atropelados” não funciona para me parar um ataque de riso, não sei se será a melhor ideia.

    c) Falar do apêndice.

    Ora bem, se lhe chamo apêndice, a coisa já não é propriamente fofa.
    Se gozo com ele publicamente publicando os seus belos discursos aqui no estaminé, talvez seja menos ainda.
    Se gozo com o Benfica dele a cada oportunidade, menos fofa é capaz de ser a coisa.
    E se lhe mando fotos de gambas quando ele está a canjinha, então talvez não tenha mesmo nada de cutchi-cutchi.

    d) Falar da famelga.

    Hum… Eles são todos do Benfica… Não me parece possível falar cutchi-cutchimamente deles.


    Conclusão: ai a porra, que eu nem “cutchi-cutchi” consigo escrever à primeira. Sai sempre algo tipo cuthci cuthci. Estou lixada.


    1
    Calma, meu povo. O dito* post cutchi-cutchi-medo está a caminho.

    .
    A saga do apêndice:

    "_ Que é isso?!
    _ São biscoitos de areia.
    _ E isso come-se?!!"


    *http://paraisodoinferno.blogspot.com/2009/07/redindade.html

    7.24.2009

    7
    Vá, não fui nada. De férias. Ainda.

    Querem chuva?
    Experimentem lavar as janelas.
    Já funcionava no tempo da minha avó. (que ainda é este, que a dita senhora ainda está viva e recomenda-se)

    7.22.2009

    3
    Por tempo indeterminado, que a preguiça atinge até as idiotices...




    7.10.2009

    1
    "Ai filha não te desgraces!"

    Este blog vai entrar em obras. Vou começar com invenções em versão html.

    Um ano (e tal) de existência já merece outro layout. É só ter paxorra. Isto anda muito dark. Se bem que já não tenho mais exames nos próximos tempos, pelo que não sei se terei motivação para andar aqui a fazer invenções…
    (correcção: tenho uma melhoria para fazer e um trabalho ainda por entregar. Por isso parece-me a altura perfeita para pensar em invenções para O blog.)


    Vamos lá ver se aqui a casa não desaparece ou, pior (o drama, o horror, a tragédia!), não vira cor-de-rosa-à-benfica.

    0
    Antevemos que o dia vai ser complicado quando…

    …, de manhã, temos de ir de óculos de sol para apanhar a roupa na varanda.

    7.08.2009

    3
    (mais) alguns momentos non-sense na onda "parvalheira? é do calor..."

    1. Pensamento do dia: "Alguma organização isto deve ter. Eu não sei é qual."

    2. Verbo da semana: Estrafegar (ou "este não é um blog sádico").
    (amavelmente dedicado à I. lol)

    Eu estrafego,
    Tu estrafegas,
    Ele estrafega,
    Nós estrafegamos,
    Vós estrafegais,
    Eles estrafegam.

    (Como vêem, ainda sei como é que se conjugam verbos. Contas de dividir é que já é pior. Mas nada de grave. Ainda.)



    3. Desabafo: "Epá, tenho de pôr uns pensos nos calcanhares para não ir ao casório* de sandalocha e calcanhar todo esfolado".

    E eis que mando uma moquencada (palavra bonita. Mas nada de ideias badalhocas, que este blog não é desses) tão grande na sanita (ainda por cima. Mas quem é que vai contra uma sanita?! Contra um poste ainda vá, ou contra um móvel do corredor, que fundiu-se-me a luz e de noite tem de ser às apalpadelas. Agora contra uma sanita... Pior que isso só lá deixar cair o telemóvel. Coisa que nunca me aconteceu!!!) que até vi estrelas e voilá: calcanhar esfolado talvez não, mas uma canela bem negra é capaz de ir, que também é sexy. (e agora vou para ali uivar um bocadinho que a coisa está-se a dar: tenho a perna a ficar vermelha e não é bonito, oh não não é.)


    *oh, vida social agitada. Sábado, casório. Domingo, birthday party. Acho que vou deixar de comer já hoje para guardar espaço, que avizinha-se um fim-de-semana difííícil. hihihi (alarve...? sou nadaaaa)




    4. Final feliz do dia (ou da semana ou do mês, sabe-se lá):

    Nada melhor para fazer numa quarta à tarde do que andar a correr uma clínica inteira para apanhar um pardaleco que veio ter à casa de banho pela conduta da ventilação. Mas eu fiz o salvamento. Custou, mas foi. Quase tão bom como chamar bombeiros para salvar gatos (ninguém está a gozar contigo, almeida. hihihi. De facto, quando a minha kika tiver aqueles instintos suicidas de passear pela varanda do 4º andar já sei quem hei-de chamar.). O bicho piava piava piava, de tão aflito que estava. Mas piava como um mostrengo que aqui há dias me acordou a guinchar às 8 da manhã na minha varanda. E lembrar-me desse mostrengo (não era um pássaro, era um mostrengo) fez vir ao de cima todo um instinto sanguinário e ideias relacionadas com a pressão de ar do meu pai. Mas pronto, lá me lembrei que este bicho não devia ter nada a ver com o mostrengo, que os pardais não são todos família, que o sol brilha e a relva é verde, que blá blá blá whiskas e saquetas e pronto, lá salvei o pobre coitado que bem estava aflito. Red, a madre Teresa dos pássaros*.

    *concerteza se me lembrasse d"Os Pássaros" do Hitchock, não teria intenções tão amigáveis para com os nossos amigos voadores.

    7.06.2009

    2
    Não sou só eu, não...

    Porque as mangas também devem andar a ser falsificadas. Eheheheh. Mas isso já não sou eu que digo…

    Conversa de fim-de-semana de férias:

    _ Olha trouxe uma manga. Queres provar?
    /saboreia.
    _ Tens a certeza que isto é manga..?
    /saboreia outra vez.
    _ Isto não é manga!!
    /saboreia e desconfia.
    _ Tu estás a enganar-me, isto não é manga…
    _ Não estou nada, estou-te a dizer que isso é manga! E ela até está madura… mas se estivesse mais era capaz de te saber melhor…
    /saboreia e medita.
    _ Baaah. Ice tea de manga sabe a manga. Sumol de manga, sabe a manga. Trina de manga…
    _ Há trina de manga..?
    _ …Trina de manga, sabe a manga… Só manga é que não sabe a manga!!
    _ Não será o Ice Tea de manga que não sabe a manga..?
    _ Não!! A manga é que não sabe a manga! Será que se eu espremer isto sabe a manga…?”





    (como vêem, não sou só eu que bato mal. Como diria a minha avó, "quando se arranja uma panela, arranja-se um testo para ela". eheheh)

    7.03.2009

    3
    Ovos estrelados falsificados

    Acho que os ovos estrelados que comemos em locais como churrascos dos centros comerciais são FALSIFICADOS. Sim, falsificados. Bom aspecto? Check. Clara branquinha, gema amarelinha, toda bonita, toda ela a implorar para lá mergulhar a batatinha frita? Check check. E eu que até sou de ovos à espanhola, esturricados e bem. Mas pronto, uma pessoa vê ali assim a gema a pedir e não consegue resistir, né.
    Vou eu, toda pimpolha, toda a salivar, para mergulhar a bela da batata e eis que ela fica lá enterrada. Malta, eu sei o aspecto de uma gema bem passada. Eu amo ovos bem passados. Eu não consigo viver sem um ovo estrelado esturricado. E aquele não tinha nada aspecto de estar bem passado. Parecia um ovo de goma, mas em ponto grande e gorduroso. Aquela era suposto ser uma gema cheia de molhinho, como se eu estivesse a molhar a minha batatinha num poço de colesterol líquido. Mas não era. Pois que me senti ludibriada. Ainda estive para reclamar, que se era para ser bem passada ao menos que fosse bem servida (e quando digo bem servida é esturricada). Mas pronto, lá deixei passar. Mas não me voltam a apanhar com estas coisas.


    E esta conversa toda fez-me querer ir ver o que a minha mãe está ali a inventar para a janta. Agora apetecia-me um ovinho estrelado à espanhola.

    (para quem não sabe o que é um ovo estrelado à espanhola – daaah –, é um ovo que é estrelado dos dois lados. Logo, fica esturricado.)

    7.02.2009

    3
    Até ver...


    (que para a semana começa a época de recurso e sabe-se lá...)



    FÉRIAS!



    (e agora vou para ali só um bocadinho dar pulos de felicidade.)

    6.29.2009

    1
    Questão filosófica do dia:


    Quão deprimente é gostar* de uma música de novela que diz “você não vale nada mas eu gosto de você?”



    * Não é que goste, mas volta e meia lá ando a cantarolar a coisa. Sobretudo naquela altura do horário nobre.


    (“eu quero ver você sofrer só p’ra deixar de ser ruim …”)


    A culpa é da minha mãe que vê novelas da globo!!!

    6.28.2009

    1
    Só à mete-nojo: Oh mar, oh mar oh mar, oh mar oh mar...

    A minha pessoa ainda não está de férias. Mas já teve o seu primeiro cheirinho a praia deste ano.
    Para quem diz que choveu torrencialmente em Coimbra este fim de semana... A meia hora de lá estava-se assim...




    (e agora é estudar para quarta-feira... ai ai férias... quase...)

    6.26.2009

    4
    3ª posta de pescada do dia: chiça, que eu hoje estou-lhe a dar! E falo, falo, falo... Pronto, já chega.

    1)

    Mas falemos de coisas sérias. Como do cagaço que eu já apanhei hoje. Primeiro fui acordada pela minha gata. O que é uma coisa estranha visto ela não sair da cozinha sem eu a deixar. E não é que tenha sido exactamente acordada. Fui, digamos que.. Bem, dei um salto quando senti algo saltar para cima de mim. Depois ouvi passos no corredor. Outra coisa estranha visto eu estar sozinha em casa. Toda eu já ficava stressada, a pensar que raio é que andava praí. Até que ouço unhas na madeira. Aaaaaaah, evadiram-se os dois!

    E porque é que é tão mau terem-se evadido os meus bichos, perguntam vocês? Pois que meu belo Snoopy tratou de ir marcar território para a sala. Acho que me faço entender.



    2)

    Uma vez que o meu karma andou muito estranho esta semana, e já que há vários planos que foram por água abaixo em apenas 4 dias, exijo um 18 por cada sardinha que eu não comi no grandioso S. João aqui da santa terrinha.

    E olhem que costumam ser 4 sardinhas (aquilo é só ceia, malta, também não é para alarvices! E com a broa e o azeite e tal uma pessoa enche e pronto, eu sou menina de 3 ou 4 sardinhas…).

    Visto eu ter 6 cadeiras este semestre, não era nada mau. Vá, S. João, toca a espalhar a tua magia.



    3)

    Epá eu tinha mais qualquer coisa estúpida para dizer, mas não me lembro. Vou apenas referir então que os meus olhinhos até luzem quando ouço a expressão "broca de osso". É uma coisa que me excita, portanto. NÃO NUM SENTIDO BADALHOCO. É num sentido puramente sádico. (o que é muito melhor, pois claro). Não sei se tem a ver com o facto de eu achar que todas as manchas vermelhas do Rorschach (sim, que também há rorschach a cores) hão-de ter a ver com sangue.

    Ontem foi dia de trabalho árduo, pois que foi. E quando chega esta altura do programa de saúde oral (vulgo cheque dentista), até se me dão dores de barriga e de cabeça de manhã como presságio da tarde difícil que virá a seguir (não dão nada, mas podiam dar). Ontem ao fim do dia bem que já estava a benzer-me toda que todas as criancinhas vistas tinham sido pacíficas e fáceis de aturar e não havia mais criancinhas chatas na agenda e puuuff, fez-se o chocapic.

    Mas uma pessoa não se pode rir muito. Pelo menos, muito tempo. Toda eu contente que o dia estava a horas e só faltava uma pessoa. Toda eu contente que as criancinhas abriram a bocarra e deu para eu aspirar tudinho sem ficar sem dedos.

    Eia que chega o diabo em puto lá ao santo consultório. Uma emergência, diz a mãezinha. E os avós. E a irmã. Poi que quando vi o circo montado na sala de espera já devia ter adivinhado. Mas naaa, olhem para mim ingénua, que acredito nas pessoas. "É só uma coisinha, este dentito aqui, que está a abanar, é só tirar, só que ele não quer tirar sozinho, e como está a nascer o outro...". Criancinha gira até, um puto loirinho de 7 anos. Eu tenho uma queda por putos loirinhos e pronto. Lá entra o bicho para o consultório.

    Sentar na cadeira calmamente?
    Check.
    Aceitar a ideia de que tem de se tirar o dente?
    Check.
    Aceitar mais ou menos que se tem de dar uma pica para lhe adormecer o dentinho (ai que paciência que aquele homem tem para aturar esta malta, chiça), que vai doer um bocadinho pouco e que depois já não dói mais nada?
    Check.
    Começar a dar a anestesia?
    Check.
    Dar a anestesia?
    Check, com algum choro. Nada de estranho.

    Então o que é que falhou aqui, perguntam vocês?

    Eis que depois da anestesia (sim, depois de ela estar dada, que o puto já nem para deitar fora a água de bochechar acertava na pia) é que começa o berreiro. Berreiro daquele bom para animar a malta que está na sala de espera. Berreiro a sério. E eu ali ao lado, os meus tímpanos estiveram perto de chorar. E era pontapés na cadeira, e era "mas e dóóóói", e tudo e tudo e tudo que seja possível numa boa birra.

    Ainda quase tive pena do puto, que todo ele tremia de nervos. Mas ai a porra, foi um momento de fraqueza e a pena passou-me logo. Era a mãezinha a segurar a mãozinha do menino para ele não ter medo. Era o médico a dizer que o pior já tinha passado. Era o avô, pior que um papagaio, a repetir o que o médico dizia. Era a mãe e sua cara de desespero. E mimo mimo mimo p'ra cima do puto. Nem a minha prima fala para o filho de 3 anos como a mãe falava para aquele diabo em figuras de gente. O puto puxava a tosse. O puto dizia que a gente o aleijava quando ainda estávamos a 1 metro dele. O puto bochechava para o chão. A mãe segurava no puto. A mãe segurava nos braços, o avô segurava nas pernas. Ai a merda. Já me estava a passar. Por trás do meu ar calmo estava a bela da vontade de dar uma chapada no puto, que se era para chorar ao menos que fosse com razão.

    Era o médico a dizer que era mimo a mais. Era o avô a concordar que sim, que era mimo a mais, que já lhe tinha dito. E o médico dizia que ela só o estava a estragar, por mais bem intencionada que estivesse. E o papagaio lá dizia que sim, que estava a estragá-lo.

    Bem, 20 minutos neste desespero. O dente já estava quase solto. Mas não deu p'ra mais. Desistiu o médico e desistimos todos, pois. Eis senão quando, para quem tinha dúvidas que era puro mimo e má educação, o puto salta da cadeira e se vai agarrar ao colo da mãe. E quando digo colo é mesmo colo. Um puto com 7 anos, quase maior que a mãe, que ela nem podia com ele. O médico fica de boca aberta. A minha vontade de dar uma chapada ao puto passa a vontade de dar uma chapada à mãe. "Colo? Colo?! Com esta idade?!! Pois como é que há-de querer fazer alguma coisa dele?!!!". E o avô só dizia que o mal foi ela entrar, que se o puto tivesse vindo só com ele fazia tudo e nem piava. "Sai do colo da mãe", não sei das quantas, dizia ela. Sai o tanas. foi o avô tirá-lo à força que o puto não largava. E mesmo quando saiu trouxe cabelo da mãe agarrado.

    Dass!

    Por favor espanquem-me com um pau cravado de pregos se me virem a fazer destas quando eu tiver um puto. Se me virem a ir pelo caminho do mimo ou de não lhe pôr os pontos nos "i". Pelo amor de Deus, vão à minha procura e espanquem-me até eu ganhar juízo. Que os putos de hoje são inaturáveis. E eu não quero que os meus sejam assim tão maus. God help me na árdua tarefa de os educar! Se as criancinhas saírem tortas das ideias, que não seja por falta de educação que eu lhes dê!


    Fiquei traumatizada para o resto do dia. Para safar o ânimo na última consulta só uma coisa me podia animar: broca de osso. Era suposto arrancar uma raiz de um dente que aparecia no raio-x. Mas o dente, aliás, o que restava do dente, não estava na boca da senhora. Quer dizer, estar estava. Mas a coisa estava tão difícil que teve de ser tirado a ferros. E lá entra a broca de osso, querida amiga, companheira de arrancar dentes difíceis. Tirar osso à volta para a raiz poder sair, e pronto, foi um momento bonito, cheio de sangue, com pontos e tudo, e a única dor que a senhora levou para casa foi a sensação de que lhe tinham tirado o maxilar do sítio tal foi a força aplicada na sua boca.

    Por isso foi bonito. Eu descarreguei o stress, a mulher não teve dores e pronto, saímos todos a ganhar.

    1
    2º post do dia: parabéns (atrasados) à flora. E os posts de hoje são dedicados a ela, companheira de parvalheira e de conversas da treta.

    Porque nem há uma coisa chamada telemóvel, pois não.

    À falta de mensagem idiota neste ano (como dizer que a tua mãe é que passou as passas do algarve para tu nasceres, tu só tiveste o trabalho de sair) e de um esposo para a tua leopoldina (não, não há esposo para a leopoldina), cá fica uma posta de pescada para ti. Que isto de uma pessoa não se ver faz com que meio mundo (este blog só funciona no hemisfério norte) venha a saber que tu fizeste anos. Ou seja, que estás a ficar caduca.

    Cá fica a velhinha dedicatória de amizade que só faz sentido para ti (sobretudo porque as outras não se dão muito bem com inglês.):

    Me and You Are Friends.
    You fight, I fight.
    You hurt, I hurt.
    You cry, I cry.
    You jump of a bridge...
    I'm gonna miss your dumb ass!


    xD

    Mas ficam aqui 30 segundos de fugees para compôr a coisa.
    E uma foto de um bolinho de chicolate para relembrar os bons velhos tempos do Cores. Se não gostares, come menos, que a coisa engorda.
    Não necessariamente por esta ordem. LOOL

    (porque é de comemorar o facto de fazeres anos no dia europeu da segurança nas passagens de nível.)









    (e toca a cantar drops of jupiter numas quaisquer escadas para relembrar os bons velhos tempos)

    8
    1º post do dia: Olha que original falar do Jackie.

    Génio? Talvez.
    Freak? Sem dúvida.
    O preto mais branco da América? Definitely.

    Não é que eu amasse o homem. Nem por sombras. Credo, ele metia medo!

    Quando usava a máscara era mais pela segurança das outras pessoas do que pela dele. Quando era preto não era assim tão feio. Havia de ter um distúrbio de personalidade qualquer. Vulgo, pancada da grande. Mas pronto. Não é qualquer um que inventa um passo de dança (com um nome com estilo e tudo. Por mais que eu tente nunca consegui fazer aquilo. Quer dizer, não que alguma vez tenha tentado, porque é que eu havia de tentar. oh meu Deus.). E não é qualquer um que tem o álbum mais vendido de tod'ó sempre. Não, não é. Também não é qualquer um que vai à lixívia e morre aos 50 anos. Graças a Deus não há muitos com esta panca.

    Não é que eu goste especialmente da coisa, digo, do senhor. O vídeo do thriller fez-me ter medo dele ainda antes dele ser branco. Mas Billie Jean e You rock my world nunca saem do meu mp3. E o bad e o beat it estão na playlistzinha do WMP.

    Por isso vai-te lá homem. É uma pena, mas com tanta porra não podias esperar muito mais. A câmara de oxigénio safou-te, safou, mas foi de morreres aos 30. Ao menos deixas cá a boa música. E já era tempo de deixares as criancinhas em paz. (eish, sou tão ruim.)

    (e oh meu Deus, já o comparam ao Elvis. Daaaaah, o Jackie morreu, não foi abduzido por ETs. -.-)