7.08.2009

3
(mais) alguns momentos non-sense na onda "parvalheira? é do calor..."

1. Pensamento do dia: "Alguma organização isto deve ter. Eu não sei é qual."

2. Verbo da semana: Estrafegar (ou "este não é um blog sádico").
(amavelmente dedicado à I. lol)

Eu estrafego,
Tu estrafegas,
Ele estrafega,
Nós estrafegamos,
Vós estrafegais,
Eles estrafegam.

(Como vêem, ainda sei como é que se conjugam verbos. Contas de dividir é que já é pior. Mas nada de grave. Ainda.)



3. Desabafo: "Epá, tenho de pôr uns pensos nos calcanhares para não ir ao casório* de sandalocha e calcanhar todo esfolado".

E eis que mando uma moquencada (palavra bonita. Mas nada de ideias badalhocas, que este blog não é desses) tão grande na sanita (ainda por cima. Mas quem é que vai contra uma sanita?! Contra um poste ainda vá, ou contra um móvel do corredor, que fundiu-se-me a luz e de noite tem de ser às apalpadelas. Agora contra uma sanita... Pior que isso só lá deixar cair o telemóvel. Coisa que nunca me aconteceu!!!) que até vi estrelas e voilá: calcanhar esfolado talvez não, mas uma canela bem negra é capaz de ir, que também é sexy. (e agora vou para ali uivar um bocadinho que a coisa está-se a dar: tenho a perna a ficar vermelha e não é bonito, oh não não é.)


*oh, vida social agitada. Sábado, casório. Domingo, birthday party. Acho que vou deixar de comer já hoje para guardar espaço, que avizinha-se um fim-de-semana difííícil. hihihi (alarve...? sou nadaaaa)




4. Final feliz do dia (ou da semana ou do mês, sabe-se lá):

Nada melhor para fazer numa quarta à tarde do que andar a correr uma clínica inteira para apanhar um pardaleco que veio ter à casa de banho pela conduta da ventilação. Mas eu fiz o salvamento. Custou, mas foi. Quase tão bom como chamar bombeiros para salvar gatos (ninguém está a gozar contigo, almeida. hihihi. De facto, quando a minha kika tiver aqueles instintos suicidas de passear pela varanda do 4º andar já sei quem hei-de chamar.). O bicho piava piava piava, de tão aflito que estava. Mas piava como um mostrengo que aqui há dias me acordou a guinchar às 8 da manhã na minha varanda. E lembrar-me desse mostrengo (não era um pássaro, era um mostrengo) fez vir ao de cima todo um instinto sanguinário e ideias relacionadas com a pressão de ar do meu pai. Mas pronto, lá me lembrei que este bicho não devia ter nada a ver com o mostrengo, que os pardais não são todos família, que o sol brilha e a relva é verde, que blá blá blá whiskas e saquetas e pronto, lá salvei o pobre coitado que bem estava aflito. Red, a madre Teresa dos pássaros*.

*concerteza se me lembrasse d"Os Pássaros" do Hitchock, não teria intenções tão amigáveis para com os nossos amigos voadores.

3 Pessoas leram e ainda comentaram!

Dy@ disse...

Tu es um maximo :D
Ning vai mesm contra muma sanita xD
So TU!!

Big Muah, e goza as ferias com [pouco] juizo xD

I. disse...

Adoro o pensamento do dia. Tanto a ver com o meu local de trabalho.

Eu vou contra tudo: esquinas de cama, móveis, postes e também sanitas, mas a banheira já me causou mais nódoas negras que a sanita. Por isso raramente uso saia no verão: mal curo uma, arranjo outra negra.

E adoro o verbo estrafegar. Adoro. Nunca apliquei, mas é bonito de dizer :D bigada!

LP disse...

Também faltei à aula onde se ensinou como fazer contas de dividir! :D

Beijinhos