12.07.2009

0
Red e o (verdadeiro) espírito natalício

Já vos falei da minha árvore, não foi…?

Linda que ela só, toda ela a dar espectáculo numa varanda perto de si, exibindo-se perante uma rua movimentada e sedenta de espírito natalício… Vá, mais ou menos.

Pois não é que um estupor de um vizinho tem uma varanda com mais néons do que têm as casas de meninas na EN-1?!

Pois fique sabendo, meu caro vizinho, que pôr luzes é fácil! Montar uma bela árvore, iluminá-la eficazmente e pô-la a espalhar o espírito natalício por esses transeuntes fora é que é difícil!!! O difícil não é montar a instalação eléctrica do circo chen na varanda, o difícil é fazer com que a malta que vai a passar lá em baixo perceba que é uma árvore de natal e que está ali a espalhar a magia do espírito natalício! Se fosse um concurso já estava desqualificado, seu filho da mãe. Ora agora a roubar as atenções da minha querida árvore… Pois claro que toda a gente olha primeiro para a sua varanda, tem mais néons que um carro de tuning! Estupor. Havia de vir o espírito natalício enfiar-lhe as luzes num sítio que eu cá sei! Aí sim, havia de agradecer por não ter uma árvore à séria!!

Pois fique sabendo que essa sua central eléctrica de árvore não tem nada, é só um amontoado de luzes azuis (ainda por cima!) que parece que piscam e ah e tal e coiso e “o que é aquilo?” “são luzes, senhor, são luzes…” e pois disso não passam. Se as pessoas quisessem luzes o natal era feito de candeeiros.

Ora essa.

Ainda ninguém se deu ao trabalho de comentar...