12.30.2010

2
Dava jeito um destes... Para abrir frascos, levar o lixo, passear o cão...

Nem eu nem mamãe conseguíamos abrir o frasco dos pickles. Estritamente necessário para a receita em questão. Força e nada. Mãe vermelha e nada. A ajuda de um pano e nem um deslizezinho da dita cuja. Mamãe tentou, eu tentei. Ficámos vermelhas da força, demos cabo da mãe, por fim desistimos com um suave podíamos ir pedir ao vizinho..., forte e jovem, o homem dos 7 ofícios que põe tudo a funcionar no prédio de certeza que também consegue abrir o raio da tampa de um frasco maléfico.

"Vai lá, anda", tenta mamãe, mas eu obviamente tenho vergonha na cara e vai tu que eu não quero passar vergonhas com o vizinho!, E lá vai mamãe, avental posto e frasco de pickles na mão, enquanto o tacho está ao lume e eu espreito atrás da porta da rua. Vizinha abre a porta, olá vizinha, ah e tal "está aí o teu filho? É que nem eu nem a minha filha conseguimos abrir isto" e bolas, o vizinho não está, e agora o drama, o horror, a tragédia, que será de nós e da nossa ilustre sapateira sem os pickles?!

O vizinho não está mas descansai vizinha, que eu trato disso, afiança a ilustre companheira de prédio - e a vizinha segura no frasco, manda o puto de 10 anos rodar a tampa e puff, o frasco abre-se.

Um puto. De 10 anos. Contra eu e a minha mãe.

Não, epá, agora a sério.

Um puto de 10 anos?!!!!

-.-'

12.24.2010

0
Well I don't feel like Christmas...


... but you should!


Por isso aqui a lontra deseja a todos* um big

Merry Christmas!
*(ou será só a alguns? Muahahahah you'll never know)

12.22.2010

3
Então como é que foi o dia hoje? ... Nada de especial...


Foi só um misto de uma insónia de meio da noite, um adormecimento sem ir p'ró estágio, uma corrida até aos CTT fechados antes da hora para uma tentativa improfícua de levantamento de encomendas natalícias, uma ida ao estágio à senhora da asneira, visto que o meu recluso de hoje lá achou mais interessante ficar a ver a novela do que ir ter comigo quando o chamei, o conhecimento de um senhor que matou a mãe, a cortou às postas e a guardou no congelador (menos entusiasmo, Red, menos), uma ida ao orientador de tese (e em que sofrimento antecipatório eu andava!!), que mais uma vez tinha tempo p'ra tudo menos p'ra mim.
Um belo dia, culminado com uma ligadela pró amigo p'ra me ajudar a tentar entrar em casa de uma forma menos, digamos, convencional, visto ter-me esquecido da chave em casa - coisa que não acontece, tal como não acontecia deixar a chave do carro em sítios públicos e ter de lá deixar o bicho e ir de bus p'ra casa. E tudo porque eu pelos vistos gosto mais de homicidas do que invasores de propriedades alheias, senão tinha conseguido abrir a porta sozinha. Tenho de começar a pedir umas dicas lá no estabelecimento.

Um dia normal, portanto.

(só por via das dúvidas devia começar a andar com radiografias dentro da mala, sei lá, pode dar jeito)

12.21.2010

1
"Hoje já não levas rojões!", ameaçou Luís Filipe Vieira.


Devido a ocorrências no túnel da luz, águia milhafre Vitória obrigada a rescindir contrato com os lampiões.

Não se sabem ainda os contornos da saída, mas é possível que a bicha venha a abrilhantar a próxima tour dos Eagles.

Em primeira mão, Vitória avança em exclusivo para o Não é um blog, é O blog que "sempre é mais agradável - e másculo - voar ao som de Hotel California do que passar a vida a ouvir dizer que os benfiquistas são papoilas saltitantes".

12.15.2010

2
O pai...


... anda armado em betinho a ir para o autocarro de manhã bebendo o seu iogurte.

Esquece-se que tem bigode.

E depois fica a fazer figuras em frente a vidros de carros alheios - ou camiões com condutores lá dentro - porque se esquece de levar guardanapos.

-.-'

12.14.2010

3
É por pérolas destas que há um submenu neste blog chamado discurso directo (não actualizado por preguiça, não por falta de conteúdo...)


_ Conheces a pastelaria Marques?
_ Onde é?
_ Na Manutenção, mesmo ao pé dos semáforos da Sá da Bandeira...
_ Ah, já sei, é uma em que se entra lá p'ra dentro, não é?

...

As the appendix said: "Não, mãe, fica-se à porta..." -.-'

12.06.2010

3
EU QUERO EU QUERO EU QUERO!!!!

12.04.2010

4
Vou mas só porque sou bem ed'HUCada (e mais uma piada com HUCs e alguém me espeta um catéter num olho -.- )


Ooooh, diz que aparentemente já estou de saída, parece que só paguei estadia p'ra uma semana, que cheiro mal e não me querem ver mais por perto, que os (demasiados) meninos de medicina que me vêm usar para estudo de caso atrapalham aqui o serviço porque são mais que as mães de volta de mim. Diz também que como demais, que levo o hospital à falência, que estou muito tempo no chuveiro com a pressãozinha da água a dar-se-me nas cruzes. Diz que desde que cá estou já roubaram um menino Jesus e um burro, mas eu juro que não fui eu, não fui, não sei, e até tenho raiva de quem sabe. Diz que tive uma pielonefrite - uma quem?!, nome mai'lindo - mas que já se foram as dores - que vão p'ró diabo que as carregue - e as febres e todas essas coisas giras. Diz que até tive tempo de ganhar uma gastroenterite viral - descarrega Red, nunca o "deita cá p'ra fora" foi tão certeiro, mas que agora já está tudo limpo e que o meu rim está pronto p'ra outra, que fica lá com a cicatrizinha só para eu não me esquecer do intenso amor por ele. Diz que o contraste da TAC podia dar um gostinho a camarão mas só deu o calor do whisky. Diz que já não tenho veias para pôr catéteres, que os antibióticos as comem, que é dose demasiado cavalar de antibiótico e estou a romper com o stock da farmácia hospitalar, pois que 2 a mandar p'ra veia 3 vezes ao dia não é de anjinho. Diz também que a candonga de bolachas, sumos e leites achocolatados que vai p'raqui no meu armário é ilegal, bem como os pastéis de nata do pai e os cones de chantilly da Raquel. Ainda por cima já pus uma das velhotas aqui do lado a ler uma revista (aos 87 e sem óculos), parece que estou a estragar aqui o esquema do serviço, que as senhoras até estão mais arrebitadas desde que eu cheguei. Diz que dou prejuízo, que mal cai aqui alguma coisa vai logo para a gaveta (um arsenal de doces para pão e de bolachas maria), pois nem que não se goste distribui-se para a família, que nada se perde, tudo se transforma - ou será mais "não se passa nada, consome-se tudo".

Por isso diz que sim, que vou embora segunda-feira, vá lá ver se não me prendem aqui, que eu sou tão jovem e boa rapariga e eles nunca se viram noutra - gaja nova, pá, tão nova e já tão estragadinha (calúnias, sou fresca que nem uma alface). Diz que vou ainda com mais uma semana de antibiótico (oral, vá, que já estou farta de mandar p'ra veia) e pseudo-repouso, porque as defesas estão fraquinhas e tenho de beber muita água e blá blá blá whiskas saquetas, mas ai que eu lá fora não tenho vida para andar a fazer xixi a toda a hora como aqui - nem vida nem penico!, fora o de caloira, que esse ainda anda p'ra lá perdido algutres no quarto.

A ver vamos.

12.01.2010

4
Isto é d'HUCaneco.


Pois diz que dava jeito um manual do primeiro internamento, que eu só dou barraca.

Ah e tal que vai estar frio e chuva e neve e coiso - ora eu que não tenho dinheiro para férias em sítio mais tropical, escolhi os HUC, que assim como assim são um sítio quentinho onde há cama, comida e roupa lavada (esta mais a cargo de mamãe, vá), quase melhor tratamento do que o hotel em Braga (mais uma barraca a contar posteriormente, quiçá, ou não, qu'eu cá não sou provinciana sou concelhia, no máximo). Ah que está um gelo e não sei quê - pois, diz que sim, que anda p'raí uma corrente de ar lixada, eu cá não sei, que vendo bem as coisas aqui só se está bem de manga curta e na caminha qu'é bom e eu passo a vida alagada em água.

Ainda têm pena e tal e não sei quê, mas eu tenho muito que fazer, há até quem diga como é possível que andes ocupada durante o internamento?! mas sim é, é possível, e ainda por cima agora o apêndice trouxe-me o vermelhusco e net - oh, que bela vida esta - e eu nem tenho tempo para tanto que tenho para pôr em dia (a minha leitura, agora uns blogs, e talvez jogar uns Sims), entre o levantar, comer, casinha, tomar banho, deitar, levantar, casinha, comer, deitar... vida difícil, esta! (fora o catéter no braço que é chato, é sim senhor, nada agradável).

(e pois que o apêndice é fofinho e traz a net para a lontra se actualizar do qué pasa no mundo, que desde domingo que só vejo a rua pela janela.)

11.22.2010

0
Fico sempre feliz de saber que não sou só eu. 'Cause misery loves company!


Depois de uma notícia de estrada cortada e fila de 20km de trânsito numa estrada movimentada, vá, mas não tanto, e porque nem só do meu mau génio vive o sadismo ou a curiosidade mórbida, é giro ouvir a senhora do lugar ao lado dizer exactamente o que a Redzinha pensa ao ver um veículo encostado com um toquezito no capô, tipo, "Então mas é isto? Tanta coisa só por causa disto?!!".
E vai-se a ver e não somos só nós, porque uma pessoa vê as notícias na RTP e dá logo de caras com uma manchete "Avião aterra em aeroporto de Nova Iorque sem incêndio e sem feridos", e eu ao ler isto já estou a visualizar a pena com que os repórteres escreveram isto, tipo "porra, só isto?!", Porque não é de boas notícias que se faz um telejornal e há que dar drama à coisa. Até porque não é todos os dias que aterra um avião num aeroporto de Nova Iorque sem fogo a bordo e sem feridos. Há sempre uma chamazinha para celebrar a aterragem. E um ferido ou outro que dêem uso às máscaras de que tanto se fala.

-.-'

Melhor melhor só o brilhozinho dos meus olhos - é triste, mas ele existe - quando o boss dentista me pede a broca de osso.

11.18.2010

4
O multi castiga e a Red paga?


Era o que mais faltava. Mas é que era mesmo.

Amanhã estreio o meu belo nome (até vou arredondar a letra) num livro de reclamações.
E não descanso enquanto não rehouver o dinheiro que me tiraram por um cartão que me comeram.

É que era o que mais faltava. Vocês nunca me viram varada, senhores dos bancos. Daqui fala a Red, aquela que não paga aquilo que não tem de pagar. E que quer o seu dinheiro de volta porque se o sistema é incompetente eu não o sou. Está na altura de armar a p*** verem com quantos paus se faz uma canoa.

Um dia vou mandar vir a sério. Amanhã é o dia.

Acho que até vou mais cedo. P'ra mandar vir esqueço o mau acordar e até me levanto de madrugada se for preciso - aliás, quanto pior acordar, melhor. P*ta que os pariu!

11.15.2010

1
Deus O Multi castiga.


Pois que aposto que é da sua inteira responsabilidade esta joga-joga de 2 meses de cartão-multibanco-capturado / cartão-que-anda-não-se-sabe-onde / cartão-cancelado-porque-anda-não-se-sabe-onde / cartão-que-depois-acaba-por-aparecer-quando-já-foi-cancelado / pedido-de-cartão-novo / pedido-não-respondido-por-término-do-acordo-do-banco-com-a-universidade / novo-pedido-de-cartão-novo / chegada-de-cartão-novo / utilização-de-cartão-novo-com-o-respectivo-código-a-não-ser-aceite / captura-do-cartão-novo / Red-em-fúria / novo-pedido-de-cartão-novo.

Estou a um passo de me aproximar do meu primeiro homicida. E desatar a tratar dos senhores dos bancos à paulada. Depois de 2 meses mais 3 semanas sem cartão? Paulada é pouco.


Claramente karma por ter insultado o novo boneco do multibanco. Desculpa, boneco, não és nada estúpido com os braços abertos. Estavas apenas à espera de receber o meu cartão com muito amor e carinho e cheiro a sovaco -.-

11.14.2010

4
22.







11.12.2010

3
Duas coisas:


1. De quem devo ter mais medo?

a) dos reclusos homicidas
b) dos reclusos violadores
c) dos reclusos em geral, vá
d) dos guardas*
e) dos condutores dos SMTUC
f) do sr. que vi na cantina envergando um casaco de peles comprido, cor de leopardo, com uns sapatos bicudos de pele de cobra/crocodilo/um-réptil-do-género**
g) as opções d), e) e f) estão correctas


* é sempre tão interessante circular pela prisão e ouvir "E você é...?" ...Estagiária de Psicologia, sr. guarda... " Você é a Joana?" ... Sou, sr. guarda, sou pois (da-última-vez-que-vi-era-senhor-guarda-e-segundo-a-vontade-de-mamãe-papai-e-irmão-e-de-acordo-com-o-fundo-do-meu-blog-sou-Joana-sim-mas-o-que-é-que-eu-fiz-eu-juro-que-não-fiz-nada-e-deixei-mesmo-o-telemóvel-no-cacifo-e-o-chapéu-no-balde-da-entrada-e-não-sei-porque-é-que-as-botas-apitam-no-detector-de-metais-não-gosto-de-droga-e-juro-que-não-ando-metida-com-nenhum-preso)
** tive taaanto medo quando vi aquilo à minha frente.



2. O meu ego incita-me a ir ver o filme Red (com este nome, só pode ser bom). Mas o apêndice não pode ver nada, ao género se-ela-tem-um-filme-chamado-Red-eu-também-quero-um-filme-com-o-meu-nick e pronto, eis que vai estrear não sei quando um filme chamado Eagle. Really, apêndice? Coisa feia, a inveja, chiça que não podes mesmo ver nada -.-

(mas aposto que o meu é melhor que o teu -.- )

11.07.2010

0
Sundays.


11.03.2010

0
Quase 22 anos a dar barracas aracnofóbicas:


"Mas oh mãe, aquela era diferente, era amarela e gorda!!"


11.02.2010

1
Vai sair um novo marcador: há dois tipos de pessoas... #2


...as que desejam "boa sorte" e as que desejam "bom trabalho".

Eu desejo boa sorte. E trabalho que me farto!

11.01.2010

1
.





10.26.2010

2
Digo-vos eu! (ou a minha mente badalhoca)


Melhor. Frase Nicola. De sempre.




E sei do que falo, que gosto bastante dos pacotes Nicola.

10.23.2010

5
Só ideias brilhantes. Parvas, mas brilhantes.


Pois que a missão de uma psicóloga-forense-estagiária passa por dar o seu contributo ao desenvolvimento da área.


E se os componentes de treino de competências são tão importantes na intervenção com a malta delinquente – diz que esse povo é agressivo, impulsivo, com fracas capacidades empáticas e umas estratégias de resolução de problemas muito… fraquinhas… –, eu, Red Maria, aposto em toda uma nova estratégia fácil, rápida e económica de avaliar as capacidades de adiamento da recompensa/tolerância à frustração dos sujeitinhos.


Aposto assim em todo um novo instrumento de avaliação psicológica, doravante conhecido como


“o Teste da Romã (TR; Red, 2010)”


A teoria que suporta esta técnica baseia-se no conhecimento actual da existência de dois tipos de pessoas: as que comem a romã enquanto a descascam e as que descascam a romã toda primeiro para depois comerem tudo à colherada.


É que as que descascam primeiro – como mamãe – mal aproveitam o saborzinho, porque no meio de tanto trabalho vão pondo uns grãezitos para a boca e nem lhes sentem o sabor. São pessoas impulsivas, que não conseguem resistir à tendência para buscarem a gratificação imediata dos seus desejos e necessidades, sendo tal frequentemente acompanhada por um baixo nível de tolerância à frustração (como quando mamãe refila quando acidentalmente deixa cair grãezinhos para o chão, que teve tanto trabalho a descascá-los e acaba por ser o cachorro a aproveitar-se deles).


Já o segundo grupo de pessoas consegue resistir à tentação de ir comendo os grãezinhos, recolhendo-os meticulosamente para uma tigela para posteriormente serem comidos de uma vez, podendo assim ser saboreados em cada colheradazinha (como eu, que estou ali uma eternidade a depenicar grãezinhos para comê-los todos depois). Estas pessoas, além de inteligentes, são pessoas que compreendem a gratificação existente no prémio que se segue ao trabalho árduo, compreendem a necessidade de resistir a algumas tentações por um bem maior, são meticulosas e esforçadas, são resistentes e agradecidas pelas dádivas que obtêm.


Eu, obviamente , faço parte do segundo grupo.


Daquele grupo das pessoas inteligentes que desesperam por estar de penitência 10 minutos a descascar a porcaria de uma romã para depois finalmente demorarem 2 a comê-la à colher de uma taça. Vá, digam agora que eu sou uma tirana impaciente só porque ao fim de 30 segundos do intervalo das criancinhas na escola primária apetece-me ir para a varanda com uma carabina fazer pontaria a miolos infantis alheios!!! Ou porque ao chinfrim das obras do andar de cima apetece-me responder enfiando-lhes uma vassoura pelo sítio que eu cá sei acima. É perfeitamente compreensível! Não tem mal nenhum e não deixo de ser uma pessoa extremamente paciente e tolerante por causa disso –.- Excepto com o estupor que não é do meu prédio e estaciona a mota a ocupar o espaço de um carro ou dois e me faz ter de deixar o carro no cu de judas, com esse não sou muito tolerante, e qualquer dia quero lá saber do meu ferrari e levo-lhe a porcaria da mota à frente.


Dass, que trabalheira. A outra quando se queixava que tinha de ser a empregada a tirar-lhe as graínhas das uvas ainda não tinha visto o cu à carriça. Ou então não deve saber o que é uma romã.

10.18.2010

3
6ª eram os ovos mexidos... sábado um cachorro da pans... ontem waffles... hoje apetecem-me romãs e ovos moles...

Acho que vou criar aqui uma página de comida. Tipo "desejo da semana". Porque sempre se ouviu dizer: "diz-me as porcarias que comes, eu te direi o colesterol que tens". Se bem que "desejo da semana" é curto. Quando estiver grávida ninguém me atura.

10.12.2010

3
Bonnie & Clyde? Fraquinhos, fraquinhos...


Muito melhores, eu apresento-vos...

minhaFoto

Snoopy José & Kika Maria

Não só dominam uma cadeira da cozinha, como a varanda também é deles. Há ainda uma apetência especial da Kika pela mesa e banca da cozinha, um je ne sais quoi a que ela não consegue resistir e pronto. Ora o facto de ela conseguir chegar à banca da cozinha e ele não podia ser apenas uma mera curiosidade acerca da vida caseira destes grandes bichanos, mas – desenganem-se, meu povo! – quem pensa na inocência da gata-suicida ou do cão-que-lambe-portas-de-varanda não está a ver bem o esquema.

Ora pois que tudo o que está em cima da banca é atentamente fiscalizado pela minha Felis silvestris catus (porquê chamar-lhe simplesmente "gata" quando é tão giro ir ver nomes de espécies à wikipédia) que, após intensa conferenciação com o canídeo (nome de família, claro), prepara o assalto aos itens alimentares acidental – e tragicamente – esquecidos em cima da banca da cozinha.

E como se processa o acto?, perguntam vossas ilustres pessoas.
Em trabalho de equipa.

Uma gata e um cão, oh ancestrais inimigos!, organizados num vil assalto ao frigorífico? Não pode ser!, antevejo a vossa admiração.
Pois que aqui não é o céu o limite, mas antes o frigorífico.

Eis que (simplesmente exemplificando, claro, tal nunca aconteceu…) jaz por, oh, trágico infortúnio, na banca da cozinha uma saca cheia de ossos de leitão e com uma tupperware de leitão p'ra janta – coisa que, racionalmente, nunca seria olvidada em tão arriscado local!. Pata ante pata, com as suas luvas brancas para não deixar marcas no local, há uma felídea que desenvolve o primeiro assalto. Dirige-se à saca, roçando-se contra ela e atirando-a friamente para o chão da cozinha, onde el canídeo aguarda impacientemente pela sua fase de actuação. Daí para a frente é um conluio para rebentar os sacos, ganhando o Canis lupus familiaris o rico manjar de ossos gigantes de porco-bebé, em troca de quaisquer favores que a felídea queira em troca e que eu sinceramente dispenso imaginar.

E é com tal onda de destruição, um autêntico palco de escavação arqueológica repleto de ossadas e bocados de plástico – devidamente marcado territorialmente, se é que me entendem – que se depara uma dona menos atenta quando vai para, cheia de boas intenções, fazer uma festa à bicha e dar um osso ao canito. E deparo-me com uma taça de leitão, que jaz inerte no chão da cozinha, abandonada a um canto após as infrutíferas presumíveis tentativas animalescas (literalmente) de a abrir.

Vá lá, não fiquei sem jantar. Vale que eles são espertos, mas não têm mãos. Perigosos, é o que vos digo. Daqui resulte um novo conselho do dia para malta que tenha bichanos tão inteligentes como os meus (que saem à dona, claro está): não deixar leitão em cima da banca. Nem abandonar a taça de chocapic por menos segundos que sejam (os cães também tomam pequeno-almoço, pelos vistos). E deixar cair uma pílula no chão da cozinha também não me parece boa ideia (não resultou muito, que o Snoopy, apesar de praticamente puro e casto, já foi pai e tudo). Vis, este bichanos, unidos num complô contra as donas (eu e mamãe). Sabem-na toda.

10.07.2010

3
Alguém ficou sem anestesia hoje.*


a) deitei-me rija e acordei doente

b) carro na oficina, que ontem tinha de encostá-lo a cada 5 minutos de viagem (oh pra mim de saia e a xana maria de saltos, duas marias amélias no parque do coimbra shopping, à chuva, a olhar para um capot aberto tentando ganhar coragem para abrir a tampa do reservatório da água que estava a ferver para o atestar mais uma vez) - e isto cheira-me a karma por gozar com o triste do sócio-mobile. E as voltas que eu tinha que dar e o estupor do carro lá aquecia demais e eu encostada à espera que arrefeça, e aquela porra quase no vermelho a cada vez que eu parava ficava ali sem respirar com medo que o bafo aquecesse ainda mais o motor e eu já só alucinava com imagens de fumo a sair do capot - como o sócio-mobile - e o pára-arranca de cidade e era tipo "saiam da frente seus empata-f**** que eu não posso paraaaaar" (não haviam passadeiras ontem, temos pena, e muito treino em asneira verbal tive eu) - e o pânico quando apanhava semáforos ou quando vi a fila na rua do Brasil - o drama, o horror, a tragédia, que eu já só estava a ver o bicho a pegar fogo em pleno coração da cidade de Coimbra - e debaixo duma chuvinha que já molhava bastante - e aaai que p'ra ir de um sítio para o outro tinha de parar no caminho pró bicho arrefecer e nem 5litros de água no radiador me safavam e porra que só a descrição cansou-me quase tanto como a exaustão mental de um dia inteiro nisto. Junta-te a mim, I., eu com o bicho caliente no meio dos semáforos e tu com a tua direcção desassistida.

c) não só o meu belo cartão ainda não apareceu, como não sabem mesmo dele porque não está como retido no sistema. E se eu me quero desenmerdar - porque já estou um bocadinho (mas só um bocadinho...) possessa - toca de mandar vir um novo à minha conta. Mas ou eu não me chame Joana ou esta m**** não acaba assim, que não é por causa dos 5€ de um novo cartão (ou das voltas que já dei e dos telefonemas que já fiz e do tempo que já perdi em agências de bancos e a pedir documentos que afinal não servem p'ra nada porque ninguém - excepto eu que o lá deixei - sabe onde está o dito cartão, ou até mesmo porque já estou há um mês sem ele - e vou estar mais 15 dias) - ou até é exactamente por isso tudo! Porque eu não tenho paxorra para gente incompetente, juro que não tenho, e os meus instintos sanguinários só me dizem "espanca os senhores da CCA com um pau cravado de pregos até as paredes ficarem tingidas de vermelho e carne" e já estou mesmo a ver "Oh nobre Red, mau feitio, nem sei porque é que estás com essas coisas, que um cartão multibanco/de estudante nem faz falta nenhuma, né..." - raios partam se não ia lá de propósito só para me estrear num livro de reclamações (que é coisa para eu achar giro) - mas sou muito mais à frente e segue carta registada para a agência central, que se eles são incompetentes e o sistema deles tem falhas não sou eu que as hei-de pagar - ou vá, provavelmente pagarei, não sou assim tão crente, pelo menos que o meu descontentamento fique registado, nem que seja com buracos de balas nas paredes da agência ou com um novo papel de parede feito de tripas e sangue de bancário (sim, eu sei, sou um amor de pessoa, mas ao menos tenho todo um nível de empatia com os que da outra vez se barricaram no BES).

E badamerda com eles. Bela merda, o que eles (não me) andaram a fazer. Não gosto nada disso.

* Não deviam chatear a pessoa que está responsável pelas anestesias lá no dentista... ou pelo menos não deviam escolher o único e exacto dia na semana em que essa ilustre pessoa lá está... Pode correr mal, digo eu, não sei.

10.04.2010

4
Definitivamente, um concertão! - greatest show ever!

2010-10-04
Walk on, walk on
What you got they can't deny it, can't sell it or buy it
Walk on, walk on, stay safe tonight
And I know it aches and your heart it breaks
And you can only take so much
Walk on, walk on...


10.03.2010

0
That's my city.


Passo a explicar.


Desde sempre:

Cidade de Coimbra



Nos últimos anos:

Universidade de Coimbra



Neste ano lectivo:

Estabelecimento Prisional de Coimbra





HOJE:


U2 360º TOUR.
Estádio Cidade de Coimbra

10.01.2010

1
The end is near (ou "Red é uma sportinguista tããão descrente")


O rei Ghob dizia que o mundo acabava em Dezembro de 2012, mas se for a contar com isso já vai tarde, que cá p'ra mim o mundo deve estar mesmo mesmo no fimzinho. Mas no fimzinho tipo... hum... agora já.

E se resta alguma dúvida depois de constatar que o Sporting ganhou 4 5-0 (facto que só por si deixa qualquer comum mortal de pé atrás), basta pensar que um desses golos foi - meu Deus - do Postiga - a loucura total, até mandou outra à barra e oh, eu amo-o tanto NOOOOT.
Mas, como almas cépticas que somos (que não cremos em qualquer sinal como evidência do fim dos tempos), se ainda assim estivermos reticentes - mas estão lá todos os sinais, meu povo, mais claro que luzes no céu ou círculos no milho ou imagens que choram ou a cara de Jesus reflectida numa montanha - pensemos, em conjunto: foi o Maniche, o texugo ambulante (esse mesmo) que abriu o marcador.

A sério, meu povo, beware. Acho que antes do último dilúvio não havia tantos avisos. Já o Sporting ganha por 4 5 (tão descrente eu sou que já só digo 4 em vez de 5), já o Postiga marca... e até o Maniche. Tenham medo. Muito medo.

9.24.2010

2
Porque são fashion (eram, há 30 anos atrás)? Porque ah e tal dão com o meu dark blonde hair? Porque me permitem ver sem ser vista?

Podia ser.
Mas é mais porque
BABYYYYYY
BELIEVE ME I KNOOOOOW IIIIT

...me fazem cantar isto com toda a emoção:

Pode-se dizer que p'ra mim os óculos de sol só fazem sentido com banda sonora.

Os meus dear Jackie Ohh II que, apesar de brancos, são tããão Amália (barco negro, claro).
Os grandes vermelhuscos Wayfarer: Video killed the radio star. Provavelmente cortesia dos concertos do Mr. David Fonseca.
E agora uns aviator dourados (o apêndice estraga-me...): sem banda sonora do Top Gun não estão completos (de preferência a imitar a cena do Tom Cruise a cantar do vídeo acima. Righteous Brothers com you've lost that lovin' feeling ou Berlin com take my breath away - clássicos - é o delírio, pronto).


(E todos os óculos que não fazem lembrar mais nada em especial fazem sempre lembrar Natércia Barreto. Podia também ser músicas de vampiros, que o sol arde-me nos olhos.)

Aaaai. Eu sou tão... croma eu.
Me likey!
You've lost that lovin' feeling
Ooooh that looovin' feeeeeling
You've lost that lovin'feeling
And now it's gone, gone gone, woo wo wooo...

9.23.2010

8
Só para que conste...


Hoje havia no bar da Faculdade um panike (vulgo "folhado") de chocolate.

Quer dizer, ainda não havia, estava para sair.
E eu pedi para guardar.
Quando eu voltei
havia no bar da Faculdade
um panike de chocolate.
Para mim.
Guardado para mim.
Com o meu nome.
Mesmo o meu nome.
E com um smile por baixo do meu nome.
Um smile!! :]
Em cima do panike.
E sem ser escrito por mim.
Exposto no bar da faculdade.
Um panike.
Com o meu nome.
E um smile.
No bar da Faculdade.



Pronto, era só isto.


(Eu já era conhecida no bar. Por querer sempre dois pacotes de açúcar. Por me queixar que não há comida. Por ser a "sem salada, se faz favor". E por ser a "só morninho, se faz favor". Agora vou ser também "a que tinha um panike com o seu nome". E vou ficar para a história do bar da FPCE. Porque tive um panike com o meu nome.)

9.17.2010

4
De volta à assistência dentária



Não se preocupe que só dói até desmaiar, depois já não sente mais nada.


9.10.2010

0
A partir de quantas vezes se pode considerar um padrão? Bem, eu não sei, mas acho que começo a encontrar um...


Nomeadamente, uma certa tendência para deixar coisas em locais públicos.


Ah, porque é um divertimento giro não saber, depois, como reaver o objecto perdido. É coisa divertida, perder a cabeça à procura sabe-se lá onde. É pu*a da loucura (puRa, mentes sórdidas) fazer múltiplas ligações telefónicas para senhores que deviam estar a fazer tudo menos pelamordedeus! atender telefones (eu atraio, minha gente, eu atraio empatas - isso e papa-reformas) a tentar encontrar uma agulha num palheiro (ou um banco numa ATM) - e, se é tão verdade que as coisas estão sempre no último lugar em que se procura nem que seja no último número de uma lista de agências bancárias, devo começar a procurar pelo fim?

Eis que uma querida ATM lá deve ter ficado tão entusiasmada com a foto do meu cartãozinho que me comeu o multibanco (perdão, reteve o meu cartão de estudante/débito, que isto de passar o dia a falar p'ra bancos é coisa para afectar uma pessoa) assim, sem mais nem menos, sem dó nem piedade, sem sequer dizer "ahah eu comi". Eu ainda estava na dúvida, mas 2 segundos e passou-me - que ver escrito na máquina "introduza o seu cartão" depois de já o ter introduzido não pode querer dizer boa coisa.

Oh, vis vozes que se insurgiram!, ai o drama, o horror, a tragédia, que blá blá blá whiskas saquetas devia ter passado o prazo do bicho ou eu pus o código errado ou pus o cartão ao contrário - not, minha gente, sou maluca, mas não estou doida (ainda). A máquina comeu o meu cartão - e posso dizê-lo assim!, sem censuras, que é o que sinto, que o meu cartãozinho foi devorado sem se pensar duas vezes, assim, de rompante, a sangue-frio, sem qualquer espécie de misericórdia e sem sinal de vida-morte. E porque a máquina foi amiga e quis comê-lo, vou ter de esperar uma semaninha até o ter de volta (oh, doce cartão, volte a mamãe que está aqui esperando sem poder levantar dinheiro livremente). E sim, isto é a melhor das hipóteses e a volta mais curta. Digamos que o percurso normal da coisa demoraria mais que um mês.

Aceito sugestões de mais coisas giras (e mesmo úteis) para deixar em sítios públicos. Podia começar a fazer uma espécie de caça-ao-tesouro! Qual peddy-pastelarias, qual quê, isso é para alarves (oh que saudades de umzinho...), agora o divertimento é outro. Segue-se deixar o telemóvel num centro comercial, parece-me coisa p'ra ser emocionante. Se bem que aí a expectativa de sorte não é bem como a das chaves do pópó ou o raça do cartão. Pronto, reformulo: venha aí o "deixar coisas importantes - mas recuperáveis - em locais públicos".
Big Brother?! Isso é p'ra meninos.

9.02.2010

3
"Como perder um homem em 10 dias", "Como treinar o seu dragão"... E agora, num blog perto de si, 23 ideias sobre "como abandonar o carro e vir embora"


Na noite passada a minha máquina infernal (vulgo veículo) dormiu na city porque:

a) uns gatunos assaltaram-me e levaram-me a chave
b) uns gatunos assaltaram-me e levaram-me o carro
c) ele simplesmente resolveu não sair do sítio
d) fui responsável e deixei-o lá por estar demasiado alcoolizada para o levar para casa
e) achei que ele precisava de descanso
f) não tinha dinheiro para o estacionamento
g) já estava com saudades de vir de autocarro p'ra casa
h) fiquei sem gasópia
i) começou a deitar fumo (não seria a primeira vez, mas não este...)
j) estava alcoolizada e perdi as chaves
l) o bicho foi rebocado
m) não sabia dele
n) deixei as chaves dentro da mala, a qual só abre mesmo com chave
o) a minha mãe levou-o e deixou-me a pé
p) esqueci-me que o tinha levado
q) ficou mal travado numa descida e foi ao banho ao rio Mondego
r) ficou no parque de estacionamento depois de este fechar
s) a polícia municipal bloqueou o dito cujo
t) aconteceu uma emergência
u) fui de férias e deixei-o lá
v) um moço jeitoso deu-me boleia (claro que não, dear apêndice!!)
x) fui raptada
z) esqueci-me das chaves num local de atendimento ao público que fechou antes de eu vir embora.


E o conselho verdadeiramente útil do dia é... (oooh, digam lá se não tinham saudades dos serviço público deste blog!!!)

Não se esqueçam de coisas importantes (tipo as chaves do carro...) em a) locais de atendimento ao público b) que pertençam ao Estado, como, sei lá, hipoteticamente, gabinetes da Universidade.
É que o funcionário público sai às 5 e depois é chato, só no dia a seguir.
E nop, não estava alcoolizada.

8.31.2010

2
Sei que é O amor quando...


... o apêndice pesquisa "lontra" em vários idiomas. Sinto-me tão mais culta agora.
Isso ou ele está a aproveitar para me insultar discretamente.



(O apêndice é o Eládio Clímaco. Tenho dito.)

8.28.2010

4
Voltei voltei, voltei de lá


Ainda agora estava mau tempo na Tocha e agora já está bom lá. Raios partam o karma.

Depois de uma semana na praia em que só pus os pés na areia três tardes (shame on you, S. Pedro), eis que chega o momento de me arrastar entre a cama e o sofá, com curtas passagens pela casa-de-banho e pela cozinha, em todo um fim-de-semana cheio de actividades (televisivas, claro). Se eu podia não ser tão lontra? Podia, mas não era a mesma coisa. Um colesterol como o meu não se mantém a correr por aí, não. E o meu sofá tem qualquer coisa irresistível, não tenho culpa, é mais forte do que eu.


(Buááááá eu não quero ter exames :,( devia ser proibido ter exames em Setembro. Ao menos são todos depois das 10h... Ninguém aguenta...)

8.20.2010

2
Das férias (ou do que resta delas):



Se eu podia...

ir para uma praia paradisíaca de areia muito branca e água muito azul, para uma pousada numa serra relaxante, para uma casa de xisto ao lado de uma catarata, para um spa suspenso em cima de água, para uma cidade agitada cheia de coisas para ver, para um safari pelas savanas africanas, para um hotel 5 estrelas daqueles em que nem é preciso sair do hotel, para a costa marítima nacional e dos arredores a bordo de um iate, para um cruzeiro nas Bahamas, para uma rede em palmeiras nas Maldivas, para as florestas da Tailândia, para uma ilha tropical no meio do Pacífico, para a Polinésia Francesa!, para um inter-rail pela Europa, para vários países em couch-surfing, para o Disneyland Resort Paris, para o Hawai com uma indumentária de palha e cocos danças o hula ou para uma universidade de verão americana cultivar-me...?

Podia, mas
a) não era a mesma coisa
b) depois quem é que ia p'ra Tocha?!!


(Dear gatunos, beware: vou andar pela praia à procura dos calções do apêndice e da toalha com dálmatas que me roubaram há dois anos do estendal. Escondam-nos bem, que eu vou atrás. E mordo.)



Só como miminho pré-férias (sou uma mãos largas quando estou de mochila aviada) apresento-vos, em primeiríssima mão! (ou pata), o apêndice e a minha pessoa. Digam lá que não somos almas gémeas?




FUI!

8.14.2010

2
Red avista Perseidas


_ Hoje é noite de chuva de estrelas!
_ Onde?
[...!]
_ No céu, né mãe...
_ Mas nem há estrelas hoje!
_ Sabes, como vão cair todas...

Vantagens de ver chuvas de estrelas deitada em cima do capot do carro:
a) Não se ganha um torcicolo, que o céu sempre fica mais pararelinho.
b) Limpa-se o capot. E, com sorte, o pára-brisas.

8.13.2010

3
Diário da Volta a Portugal 2010 em Miranda City:


Olha vêm ali!!!!
Olha já foram...



Obviamente que, sabendo estarem a chegar a tão nobre localidade, deviam ter abrandado por respeito à minha pessoa, deixando-me chegar antecipadamente ao meu local estratégico. Nem estratégico nem meio estratégico! Mas também, é certo, vá, quando a organização previu os horários para a passagem em cada localidade estava a contar com uma velocidade média que tivesse em conta o grande esforço de subir à Torre na etapa anterior. Visto que a etapa da Torre este ano foi para meninos, os senhores ciclistas não se cansaram e hoje lá deram ao pedal, chegando aqui (que nem meio da etapa era) quase vinte minutos adiantados e com 10km/h a mais. Excusado será dizer que já não apanhei grande coisa. Vá lá, ainda vi o pelotão e o camisola amarela (Cândido nem vê-lo, mas isso já se torna frequente nas etapas da Volta...)... e o grande carro vassoura!

8.10.2010

1
6ª feira passa por aqui:



Vamos sonhar
Correr o mundo nesta nave a pedal
E ao segundo conquistar Portugal
Mas chegar ao final já é vencer
Queres brilhar
Ser o herói de cada meta a cortar
Veste a amarela, ergue os braços no ar
P’ra mostrar está na Volta a RTPêêêêê


Sim, habitualmente ando a assobiar isto desde Julho, enquanto espero ad aeternum que
a) o Cândido Barbosa ganhe nem que seja só uma voltinha e
b) haja uma meta aqui p'ra estas bandas.

8.05.2010

0
Gosto de Pessoa(s às vezes)


2
É porque é mesmo bom, raios.

8.02.2010

4
PÁRA TUDO, PÁRA TUDO, PÁRA TUDOOO!!

Será um pássaro? Será um avião? Será o Super-Homem? Naaa, é só um novo submarino.




E pronto, era só isto. Acho que é idiota que chegue.

Aaah, desculpem, eu é que não compreendo a profundidade - 20 mil léguas submarinas, no mínimo - da ameaça terrorista subaquática. Hum... será que o capitão do Tridente também se vai chamar Nemo...? Nada como ver um pacote de pastilhas a ser comandado por um peixe-palhaço. Acho que peixe-palhaço é a escolha adequada para comandar um investimento destes. Se pensar melhor concerteza lembrar-me-ei de algum caranguejo-gigante-pirata-com-mau-feitio que é absolutamente necessário combater antes que desate a trilhar pés por esse Portugal fora.


(Fora a idiotice, os submarinos são fixes. Valha-nos isso. E até parece que estamos num filme do 007 em que o Pierce Brosnan tem de se livrar de uma qualquer ameaça russa e onde é que eu já vi isto. Mas acho que o melhor contributo dos submarinos vai mesmo ser a logorreia de idiotice - como este preciso post exemplifica - que se vai ler por este país fora. Haja algo que contribua para o imaginário colectivo.)

8.01.2010

3
♫ Tan tantan taaan... ♪


They're back.

Há praí 2 meses e muito - quando trouxe as vuvuzelas do Porto para comemorar o campeonato do Benfica em plena Queima da irmã - O Sócio chegou-me a casa com um grande ♫ "TAN TANTAN TAAAAAN... TAN TAN TAAAAAN.... TANANANANANAN... TANANANANA...". Desde então foi a loucura a assobiarmos isto em todo o lado. Ora pois que estou mortinha p'ra ver pelos dois. Fica só o arranjo espectacular do mesmo homem que fez o main theme do Forrest Gump, enquanto vou ali ver o Inception e já venho (para o despachar da lista must see e poder ir ver estes meninos).


Adenda: E o Inception é tããão fixe.

7.31.2010

1
Muito boa aluna, eu!


Pois que psicologices não são tretas - tem dias - e os exercícios de relaxamento e controlo da respiração que se vão aprendendo pela faculdade servem efectivamente para alguma coisa. Tão bons, mas tão bons que, além de conseguir controlar-me p'ra não cabritar no autocarro numa viagem de mais de meia hora pelas belas curvas da estrada da beira, ainda tive o bónus - not - de assentar arraiais junto à sanita p'ra vomitar p'ra ficar melhor e não sair nadinha. Será isto que eles pretendem com o "adquirir competências para a vida"? Pois, hoje foi. Tão bem executados tais exercícios que quando foi preciso nem o pastel de nata do lanche se viu, bolas. Se eu podia ser mais bulímica e pôr os dedos à boca? Podia, mas eu sou fraquinha não era a mesma coisa.

Nota: só uma pessoa extremamente croma à frente é que vai agarrada às paredes até casa, a ver tudo meio lusco-fusco a dançar à frente dos olhos e com uma imensa vontadinha de deitar todos os almoços do último mês fora ("deita cá p'ra fora!!"), a entoar psicologicamente "vomit free since '93". (só por causa disso agora apetece-me ir ver How I Met Your Mother)

Eu vá, não é vomit free since '93 mas é desde 2008, que é quase a mesma coisa. Aliás, 2009, que já passava da meia noite. Ah, que belos momentos, esses...

7.30.2010

1
Always look on the bright side of life



Ohhh Zé... Ohhhh Zé!! Tou a sentir-me em baixo!!

Conversa da Treta


Ora bolas, que gostei tanto de o ver n'Os melhores sketches dos Monty Python... (embora continuasse a ser mais feliz se não tivesse visto o rabo dele atrás do avental. Mas o do Mourato traumatizou-me mais, vá.) - aliás, tenho presente na memória o medo que ele atirasse MESMO o bolo à plateia (porque esta gente não é certa das ideias). E pensava que ainda ia a tempo de ver uma Conversa da Treta ao vivo... Mas pensamos estar a tempo de muita coisa e não estamos. Tóni, é favor procurar O Sócio por aí que ele também era do catano, do camandro, do caneco. Chegou-se a altura de vocês confirmarem a teoria do Zézé. É que...

...no reino do Senhor não há noite nem há dia, é sempre meio dia... e está sempre tudo a almoçar!

7.28.2010

2
Conselho (útil) do dia:


Quando mais nada funcionar, leia o livro de instruções.


"Eu não sei como é que hei-de fazer, tenho de ir com o telefone a uma loja para me arranjarem isto!!"
Claro que sim, pai...

7.26.2010

3
Eu a vocês não me ria...


O meu arcaboiço de lontra teve o primeiro contacto do ano com o mar gélido do Norte (leia-se, ali da Tocha, vá) e porra, a água dói nas articulações.

Mas fiquem sabendo que se a água aí em baixo nos All-garves é quentinha é porque as correntes vão p'ra sul e a malta cá em cima aprecia imenso a arte de fazer xixi no mar.

Ora tomem e embrulhem.

7.20.2010

2
Ora bolas, destes não há cá na city, não...

... mas pronto, lá estarei.

Em Setembro, num Estabelecimento Prisional perto de si.

Até lá, introduzo-me à coisa no contacto com petits delinquentes de centro educativo. Primeiro os jovenzinhos mal comportados. Agora jovenzinhos delinquentes a sério. Em Setembro os adultos, oh, os meus queridos adultos agressores.

(será que depois de entrar me deixam sair? É melhor não contar a ninguém que antes do Dexter existir já eu queria ser como ele. Pode ser que lá dentro me ensinem umas coisas.)

7.14.2010

2
Acordar, meter os pés no chão... - Eu prometo que este blog volta ao normal. Sabe-se lá quando, mas volta.


Até porque já chega de depressões, que O Sócio (119970!) não era nada dessas coisas. O último estado que ele tem no FB até é contente, as he always was, por isso siga lá p'ra frente. Aliás, a tendinite que tenho no ombro deve ser ele a castigar-me sabe-se lá de onde, p'ra eu não andar praí que nem a carpideira.

E isto começa - devagar - a voltar à idiotice habitual com a última contribuição d'O Sócio para o Discurso Directo, a 09/06/2010.

(porque a parvoíce devia ser genética, que eu não sei quem é pior. Bem, sei sim. Era ele. Claramente. Depois os pais lá viram que tinham de se empenhar mais e saiu esta coisa esperta que sou eu. E que agora ficou cá sozinha para os aturar. )

And brother, you did it right.

7.11.2010

2
Parece que foi ontem. Parece que foi há uma eternidade. Parece que não foi. Mas já lá vai um mês...Sometimes everything is wrong...


7.06.2010

1
"you never know how strong you are until being strong is the only choice you have"

Fechei os olhos e tentei dormir
Aquela dor não deixou...
Ó meu anjo da guarda, faz-me voltar a sonhar
Faz-me ser astronauta e voar

Tim e Rui Veloso - Voar

6.25.2010

Surreal. That's how grief is.

6.13.2010

11.06.2010.



Oh where oh where can my brother be?
The Lord took him away from me
He's gone to heaven so I've got to be good
So I can see my brother when I leave this world


O blog está fechado por tempo indeterminado.

6.07.2010

7
Amei a ideia. De paixão, mesmo.



Em breve, num mundo real perto de si, mulheres que matam aranhas só com o olhar.

Gostei da sugestão. Vou já começar a treinar. Mas a distância a que o George Clooney está é capaz de ser curta demais p'ra mim... Não vá o diabo tecê-las, já que algumas espécies de aranhas podem ter 8 olhos e eu só tenho 2...

6.05.2010

3
Mas que o mundo está perdido já a gente sabe.


Estava a ler umas postas velhas, como uma em que dizia...

... Mas vá, não se assustem, o caso não é assim tão grave. Ainda não cheguei ao ponto de pintar as unhas dos pés. Nem usar argolas/poleiros de periquitos nas orelhas. Aí sim, atingirei o fundo. Cruzes.

..., enquanto observava as minhas vermelhuscas unhas dos pés. Mas acho que bater no fundo eram só as argolas de periquito.
Hum... Pois, deve ser.

6.03.2010

4
Estou a entrar em summer mode. Ou summer mood, como preferirem.




Saem uns Wayfarer vermelhuscos e uns Jackie Ohh (ou óculos-versão-Amália) branquinhos aqui p'ra Red.
Pela mão do apêndice, claro está, transformado num autêntico homem de negócios - que é como quem diz, num belo d'um gatuno, ou não fosse o dito advogado-estagiário.


Porque o Verão não se faz só de cerejas e férias e morangos e gelatina-de-ananás e experimentar-sushi e praia e sol e all-stars e rabo-de-cavalo e sal e mar e rio e crepes-com-chantilly-e-chocolate e gambas-fritas e vento e tops e água-fresca e chupa-chupas e calor e hot-dogs e o-parque-verde e chinelos e gelados-de-baunilha e limonadas e biscoitos-caseiros e waffles e pipocas e sandálias e mp3 e livros e t-shirts e saídas e dormir-até-às-tantas e sardinhadas e feriados e algodão-doce e grelhados e janelas-abertas e esplanadas e calções-brancos e saladas e crepes-do-chinês e iogurtes e cafés e chop-soy e pudins e relva e mergulhos e gambas-com-alho e cinema e caracóis-ao-fim-da-tarde e groselha e marginais-com-palmeiras e pontes e bikinis e namorar-ao-fundo-da-escada e bolachas e sundaes e ventoinhas e noitadas e ice-tea e almoços e jantares e fotos e magnum-double e ananás e massa-fria e emanha e gambas-com-molho-de-ostras e beijinhos e sumo-de-laranja e música e claridade e dias-longos e noites-curtas e noites-em-claro e poucos-lençóis e longos-passeios e suor e cansaço...


...e creio que o Saramago acaba de reencarnar em mim. Deve ser do calor. Se eu também podia ganhar um Prémio Nobel a escrever sem pontuação decente? Podia, mas não era a mesma coisa.

5.31.2010

1
"Ah e tal mas tu também tens uma!" - hum... mas alguém vos perguntou alguma coisa?! Mau Maria...


Quem inventou a vuvuzela com certeza não sabe o drama que é morar em frente (ou atrás, depende da perspectiva) de uma escola primária.


Apesar de não saber, temo que deva ser, ainda assim, queimado vivo.
Ou espancado com um pau cravado de pregos.
Uma coisa ou outra. Eu não sou esquisita.

5.30.2010

2
Num mundo perfeito...


... as nuvens seriam feitas de algodão doce. E os aviões viajariam com as janelas abertas. E eu viajaria de avião.



Segundo o apêndice, convinha viajar com a cabeça de fora da janela e com a boca aberta. Mas, sendo eu a escolher o mundo perfeito, nem seria preciso, pois o algodão viria claramente ter à minha boca sem qualquer esforço.





(Já lá vai o meu último dia de aulas de tod'ó sempre. Oh, que estou a ficar velha. Nada melhor para comemorar o último dia do que ver meninas com a saia nos joelhos e as cuecas de fora. Deve ser a nova moda.
E bolas, acho que vou ter saudades do Capitão Haddock, que pr'ó ano chega bem a Faculdade para trabalhar quando for preciso, na quero mais saber das matemáticas.)

5.28.2010

1
Schindler, seu narcísico, anda cá à mãe! (ou "eu não sou dessas")


Se eu podia ter uma perturbação narcísica da personalidade? Podia, mas não era a mesma coisa.

(este post até podia ser para a Xana em homenagem às nossas horas de trabalho árduo, mas... isso era demasiado altruísta.)

Ora e porque é que eu não tenho uma narcissistic disorder? (ND é tão mai'bonito do que PNP)

1. Não tenho um sentimento grandioso de auto-importância ou uma exigência de estatuto sem fundamentação realista. Não tenho sentimento grandioso nenhum. Até me auto-intitulo como pequeno génio, em vez de grande. Se eu fosse narcísica era logo "grande génio", não fazia a coisa por menos, obviamente. Além disso, as minhas fundamentações são bastante realistas, até.

2. Não me preocupo com fantasias de sucesso ilimitado. Não são fantasias. São realidades perfeitamente alcançáveis.

3. Não creio que seja especial e única e que tenha de estar associada a pessoas de elevado estatuto. Elevado estatuto é pouco. Acima de mim só Deus e é enquanto eu não souber quem Ele é.

4. Não requiro admiração excessiva. Lá isso é verdade. Mais nunca é demais.

5. Não sinto que tenha tratamento especial. Pois não sinto e isso deprime-me, que é sinal que o mundo está perdido e que já não se liga aos pequenos génios.

6. Tirar partido dos outros. Jamais em tempo algum. Eles é que tiram partido de mim quando se aproveitam das minhas competências de gestão de recursos humanos! Ainda por cima consomem o meu querido oxigénio. Guilhotina com eles!

7. Ausência de empatia. Eu sou altamente empática. Compreendo perfeitamente as necessidades dos outros. Sobretudo quando as minhas estão primeiro. Compreendo tanto que sou adepta de matá-los antes que sofram.

8. Invejo os outros ou penso que eles me invejam. Não penso nada. Tenho a certeza. Então, sendo eu um pequeno génio...

9. Demonstrações de arrogância, comportamentos ou atitudes altivas. Not. Never. Not me. Mais humilde que eu é impossível, sobretudo pelo que está descrito acima.


Dear Schindler, não sejas tu um belo de um narcísico (apesar de fofo e big boss do Esquadrão Classe-A noutra produção cinematográfica corrente) e eu juro que te desenterro só para te matar outra vez.

5.26.2010

1
Soube-me a pouco, mas oh, já se foi. Acabaram-se os perdidos, foram todos encontrados*.


Lost is possibly still airing in a parallel dimension somewhere.
We just need to find our way out of here.



*(não é spoiler, é só idiotice)

5.23.2010

1
It's coming, it's coming!!!!


Há uns, há os outros, e há uns que não são uns nem outros.
Eles chegaram à ilha, eles sairam da ilha, eles morreram na ilha, eles ressuscitaram na ilha, eles ficaram doentes na ilha, eles curaram-se na ilha.
Há aviões para chegar à ilha, há submarinos para sair da ilha, e, entretanto, há jangadas para andar às voltas à ilha.
Houve nascimentos na ilha, houve mortes na ilha, houve romances na ilha, houve discussões na ilha, houve sexo na ilha, houve um bocadinho de tudo na ilha, vá.
Houve monstros na ilha, até ursos polares houve na ilha!, há fumos na ilha (black smoke, black smoke!!!), há guardiões que protegem a ilha e há malta que só a quer deitar abaixo/explorar/afundar/explodir/whatever.
Ele há coisas altamente esquisitas na ilha, a ilha muda de lugar, a ilha muda de tempo, há fantasmas na ilha, há sons esquisitos na ilha, há estátuas gigantes na ilha, a ilha é muito uuuuuuuh.
Há electromagnetismo na ilha (deve ser por isso que os pêlos não crescem na ilha e andam p'ra lá há uma porrada de anos sem fazer depilação...), há um projecto para estudar a ilha, há estações subterrâneas na ilha, há bombas na ilha, há pequenas aldeolas na ilha!, há uns números muito importantes para a ilha, pois que na ilha há de tudo e não há nada.
Eles estão perdidos na ilha, eles encontram-se na ilha, eles desbravam caminhos na ilha, eles têm esconderijos na ilha, afinal até há outras ilhas!, ninguém sabe onde eles estão, mas toda a gente os encontra.

E, afinal, eles estão é no Hawaii (xulos) há 6 anos (eish, e eu vejo desde o iníciozinho!!!) a gravar uma das melhores e mais viciantes séries de sempre.


In the end, it's all about the island.




Estou mortinha por isto, raios. Amanha já cá canta.


5.22.2010

2
Queridos senhores que regulam as mensagens que vão passando nas cruzes luminosas das farmácias

Eu estou-me a c**** para o Maio ser o mês do coração e haver rastreios gratuitos. O que eu precisava mesmo de saber eram as horas, meus senhores, p'ra isso é que a cruz serve, para dar horas e temperaturas!!

And, by the way, perdi o autocarro nesse dia por um minutinho assim.

5.18.2010

3
RIP ao sócio-móbile. Descansa em paz, minha (do sócio, vá) máquina infernal.


Relembro agora (mas só agora) com saudade os tempos em que nos deixaste apeados no meio do nada a comer cerejas à beira da estrada enquanto esperávamos pelo pronto-socorro.

Relembro também a atenção de não teres parido na minha mão naquela viagem a Coimbra na semana passada.

Relembro ainda o cheiro a bicho morto que emanava da tua mala, porque o exmo Sócio num dia se lá esqueceu de qualquer utensílio cheio de carne.

Já sinto saudades do fumo que saía dos teus interiores quando se andava um bocado mais que o que devia. Saudades do cheiro a queimado quando arrancavas depois de andares demais... Saudades da luz do óleo a piscar incessantemente... Saudades de raramente pegares à primeira e de assustar os senhores do McDrive com tamanhas acelerações...

Only the good die young, mas tu eras mais velho que o cagar, por isso paz à tua alma que resolveu partir numa bela segunda-feira de manhã num semáforo deste mundo. Eu e o Sócio estaremos sempre contigo. Ele vai estar, pelo menos até ires para o abate.

5.11.2010

3
O Blog informa (porque é um blog de serviço público):


1. Dear Gui, alcachofras não são coisas-que-parecem-sardinhas-só-que-cheiram-muito-mal. Isso são anchovas. An-chovas. Bebe menos que isso passa.

2. Domingo, cortejo, bocejo, os meus pais vêm cá... Já lá vai. Começa a countdown do último ano não tarda nada. AAAAAI.

3. O Papa tem um ar mais simpático do que o que parecia. Será que ele tem noção que havia mais gente no Marquês no Domingo do que hoje no Terreiro do Paço...?

4. Creio que mais de dois terços do povo em peregrinação a Fátima (e são mais que as mães. e não devem saber que é semana de Queima em Coimbra, senão tinham juízo e desviavam-se da city) são benfiquistas em promessa. Creio também que desde Domingo aumentou exponencialmente o número de peregrinos em agradecimento a acontecimentos recentes.

5. O Papa devia querer conhecer [o] Jesus. Digo eu. Milagre por milagre...

6. Alguém dizia que há tantos benfiquistas como pessoas. Confirma-se (eu não sou uma pessoa, sou um génio). Eu diria mais. Diria até que há mais portistas do que pessoas, que eu conheço muitos tripeiros animais por aí.

7. A minha vuvuzela já vuvuzelou muito, mas não andou por aí a comemorar campeonatos. Obviamente. A minha pessoa não comemora campeonatos alheios. Apenas estava próxima dos festejos conimbricenses para controlar o apêndice enquanto ele tentava deitar um 24t abaixo na Praça da República. Fujam dos lampiões em festa que eles são um perigo. Já nós, sportinguistas, não temos desses problemas. Há um bom tempo que não temos nada que festejar.

8. Red não salta em comemorações. Red finca os pés no chão quando o Sócio e o Apêndice a tentam elevar nos festejos. Red apenas sucumbe quando o Ecoponto pega nela que nem saco de batatas e a obriga a tirar os pés do chão.

9. Queremos o Papa na Garraiada. 13 de Maio, EU VOU! À garraiada, claro.

10. Qualquer imagem da minha pessoa com um cachecol do benfica é uma ADULTERAÇÃO da realidade, uma CALÚNIA grave e seriamente DANOSA da minha ilustre personalidade. Obrigaram-me, puseram-no em cima de mim quando eu estava fraca e não via. Que fique aqui assente que foi contra-vontade, conforme comprova o meu dedo do meio (não, paizinho, eu nem sei o que é um pirete, não faço dessas coisas, eu sou jovem e inocente).

11. Temo pelo coração do meu apêndice. Há toda uma felicidade pululante naquele rapaz, que até dançava Quim Barreiros no Domingo. Medo. Os olhinhos brilham, todo ele é luz e papoila saltitante. Excepto a parte de eu achar "são papoilas saltitantes" um bocadinho gay.

12. As vuvuzelas (ou serão zuzuelas?) compradas pelo Sócio para eles (lampiões) comemorarem o campeonato foram compradas na Galp do estádio do dragão, visto já estarem esgotadas em Coimbra. Parece-me bastante evidente o porquê de não terem esgotado no estádio do dragão.....

13. Impressão minha ou o Jesus fez madeixas...? Pai, aprende.

14. Como fazer alguém despistar-se de forma a parecer um acidente: pôr uma aranha na porta do carro de um condutor aracnofóbico. É suficientemente longe do pára-brisas para que ele se distraia a olhar para o lado e suficientemente perto para desenvolver todo um belo ataque de pânico. Eu não sei, ouvi dizer.

15. Paulo Sérgio é Bento XVII na dinastia sportinguista, no seguimento do Papa Bento XVI e de Paulo Bento XV.

16. "Benfica TV tinha programado filme A Paixão de Cristo como alternativa aos festejos do campeonato". Não sou eu que digo, é o IVA.

17. Só mesmo com a vinda do Papa é que o Queiroz pode explicar que raio é esta selecção. Esperam-se milagres. Ou não, que o tempo que o Papa cá está não me parece suficiente para os milagres de que a selecção precisa.

18. Da última vez que o Papa cá veio (2000) o Sporting foi campeão. Hum. O milagre deste ano foi para os lampiões. Espero que não tenhamos de esperar até o homem cá voltar. Sobretudo porque o João Paulo II já morreu.

19. Um pássaro cagou-me no traje enquanto ele estava a secar. Vou só ali buscar a pressão de ar e já volto.

20. Um ano de carta, dois sopros no balão. Devo ter cara de alcóolica, eu.

21. Aproveito a pressão de ar para calar as criancinhas da escola primária. Morar em frente à escola primária é um karma. Já não chega a chinfrineira do intervalo das 10 da manhã (e da uma da tarde, e das três, e das cinco, E DO RAIO QUE PARTA!) e ainda me andam a cantar músicas do benfica?! Pressão de ar com eles, as crianças deste país precisam de educação!

22. Acho que o Papa fala melhor português do que o Cristiano Ronaldo.

23. O meu avô tinha irmãos menos parecidos com ele do que o Papa.

24. Este blog encontra-se em stand-by por tempo indeterminado (é Queima, minha gente, e eu ando a habituar-me ao blhargh vinho), assim como o meu cérebro.

5.08.2010

1
Hoje é noite de ir ver os aviões*.


*Anda comigo ver os automóveis à avenida
A rasgar nas curvas, A queimar pneus
Um dia vamos ver os foguetões levantar voo
A rasgar as núvens, A rasgar o céu...

Um dia eu ganho o totobola
Ou pego na pistola
Mas que eu morra que aqui
Mulher tu sabes o quanto eu te amo
O quanto eu gosto de ti
E que eu morra aqui
Se um dia eu não te levo à lua
Nem que eu roube a lua,
Só para ti


Vamos ver os aviões* não num aeródromo, mas sim no Queimódromo. O Sócio diz que leva a broa e o vinho. Os Azeitonas já lá hão-de estar. Esta Queima deixa-me um tanto ou quanto atarantada!

5.07.2010

0
"Venham daí rapaziada, começa a festa não tarda nada. E esta noite é sempre a abrir porque pró ano ainda está pra vir"*






*Despe e Siga - Festa

5.05.2010

4
O drama, a tragédia, o horror.


Queridos 2 leitores e meio,

Escrevo aqui no meu grandioso estaminé muito provavelmente pela última vez.

Oh, fechai a torneira e não chorais mais!
Pronto, chorem só um bocadinho.

Acontece que a minha vida deu uma grande volta do dia para a noite e eu temo muito seriamente o que o futuro próximo me reserva. O meu mundo acabou de desabar na minha cabeça e eu não consigo aparvalhar em condições enquanto sinto o tic-tac a dar-me sinal de que o meu tempo se esgota. Tudo aquilo que eu acreditava...

Primeiro ainda pensei que fosse uma fase, esta depressão que atravesso. Pensei que com um chocolatinho me esquecia um bocadinho do assunto. Pensei que podia comer outras coisas durante uns tempos, que depois tudo voltava ao normal como era dantes. Por outro lado, pensei que, se não comesse durante muito tempo, depois ia conseguir atingir os meus objectivos. Pensei que era só querer mais um bocadinho, com muita força.

Mas hoje caí na real. Assumo, está na altura de assumir. Assumir que tenho um problema. Assumir que, por si só, não chega querer comer ou pensar que tenho fome. Assumi que devo estar realmente doente. Só posso estar muito doente. É grave, tem de ser grave, não há outra possibilidade e eu estou farta de negar. Hoje assumo e venho aqui dizer a toda a gente, mostrar que sou eu, que sou forte, que reconheço os meus problemas e que quero lutar contra eles. Não se admirem se este for o último post. O fim do mundo como eu o conheço só pode estar próximo do fim, mesmo.

Dear malta, eu... eu enjoei do Mac. Pronto, está dito. Really. Eu, alarve confessa, orgulhosa trituradora de hamburgueres no pão, assumo: eu enjoei do Mac. Sim, eu, alegre devoradora de big macs e 2 e 3 cheeses de 1€, amante dos big tasty e fiel seguidora dos too cheese. Eu, que lá vou de propósito por causa das batatinhas e dos sundaes. Eu, alarve Red Maria, enjoei do Mac e mal consigo comer um hamburguerzinho inteiro. E quando consigo é mesmo por culpa, oh, tão vil culpa, essa que se me assoma e me corrói a alma por não conseguir degustar o belo do hamburguer com a voracidade de outrora.

Daí, meu povo, eu vos dizer: não sei o que o futuro me reserva. Isto não augura nada de bom. Temo pela minha vida, receio a existência de qualquer condição terminal que me exige agora a redenção extrema como forma de carpir os meus pecados mortais da gula nos momentos finais da minha tão curta primavera. E porque só uma cruel doença galopante pode explicar a tão intensa provação por que passo, eu receio bem que esta seja a última posta de pescada aqui no estaminé, pois que amanhã já deverei ter batido a bota com qualquer enfermidade aguda que se mostra sintomática com hamburgueres. Se não for amanhã, certamente será no fim de semana, que já a minha mãezinha dizia que dá três dias antes de morrer. E pois que, se não sou eu que estou para morrer, é o mundo que está para acabar, de certezinha absoluta.

5.04.2010

2
A terriola está a ser vítima de macumba (ou da p*ta da lócura) quando:


a) somos abordados à porta do prédio por velhotas que não conhecemos e que apontam para o 1º esquerdo enquanto pronunciam frases ininteligíveis numa qualquer língua que não cheguei a decifrar, e tudo isto sem nos deixarem ir embora!;

b) vemos carros fazer avenidas inteiras em marcha-atrás em pleno centro da vila;

c) deparamo-nos com um chinês careca todo vestido de branco a fazer os seus exercícios de meditação em pleno largo central da vila (e já bem perto da meia noite):

d) todas as alíneas correctas.


Já para não falar na velhota que se abeirou da minha pessoa na farmácia p'ra me dizer que o Cavaco Silva tinha ajudado a filha dela a arranjar emprego, que agora já não se dava tanto com ele mas que conhecia um médico excelente que mora no bairro Norton de Matos e era só eu procurar o número dele na lista telefónica e dizer-lhe que sou grande amiga da senhora que ele ajudou com a filha no estrangeiro e o homem põe-me em Inglaterra ou na conchichina. Não, nunca tinha visto tal mulher na vida excepto esses longos 10 minutos da fila da farmácia.

Estou, definitivamente, rodeada de gente estranha.

5.03.2010

1
Vá, eu admito.



Eu tentei ficar contente, a sério que tentei.

Mas a minha veia anti-tripeira não conseguiu. Oh mundo cruel. Ainda por cima uma pessoa ali, a torcer afincadamente pelo árbitro, e tanto cartão amarelinho sem uma única esguichadela de sangue. Ora bolas, assim não vale a pena. Se é para levar cartões que se partam pernas e coisas assim que faz muito mais sentido e só se estraga uma viagem. Para o balneário.


(pior pior só mesmo o facto de, por mais que o rodapé passasse, quem não passava do zero era o sporting... acho que me vou dedicar à pesca submarina.)