5.04.2010

2
A terriola está a ser vítima de macumba (ou da p*ta da lócura) quando:


a) somos abordados à porta do prédio por velhotas que não conhecemos e que apontam para o 1º esquerdo enquanto pronunciam frases ininteligíveis numa qualquer língua que não cheguei a decifrar, e tudo isto sem nos deixarem ir embora!;

b) vemos carros fazer avenidas inteiras em marcha-atrás em pleno centro da vila;

c) deparamo-nos com um chinês careca todo vestido de branco a fazer os seus exercícios de meditação em pleno largo central da vila (e já bem perto da meia noite):

d) todas as alíneas correctas.


Já para não falar na velhota que se abeirou da minha pessoa na farmácia p'ra me dizer que o Cavaco Silva tinha ajudado a filha dela a arranjar emprego, que agora já não se dava tanto com ele mas que conhecia um médico excelente que mora no bairro Norton de Matos e era só eu procurar o número dele na lista telefónica e dizer-lhe que sou grande amiga da senhora que ele ajudou com a filha no estrangeiro e o homem põe-me em Inglaterra ou na conchichina. Não, nunca tinha visto tal mulher na vida excepto esses longos 10 minutos da fila da farmácia.

Estou, definitivamente, rodeada de gente estranha.

2 Pessoas leram e ainda comentaram!

I. disse...

Ohhh, que fofura. Também tens um iman para gente doida, é? Também te escolhem, ainda que estejas no meio de uma multidão, para virem desabafar os seus delírios e neuroses? Que bom, não sou a única :D

LP disse...

Mais 10 minutos de conversa e já entravas na lista para receberes a herança dela!