10.23.2010

5
Só ideias brilhantes. Parvas, mas brilhantes.


Pois que a missão de uma psicóloga-forense-estagiária passa por dar o seu contributo ao desenvolvimento da área.


E se os componentes de treino de competências são tão importantes na intervenção com a malta delinquente – diz que esse povo é agressivo, impulsivo, com fracas capacidades empáticas e umas estratégias de resolução de problemas muito… fraquinhas… –, eu, Red Maria, aposto em toda uma nova estratégia fácil, rápida e económica de avaliar as capacidades de adiamento da recompensa/tolerância à frustração dos sujeitinhos.


Aposto assim em todo um novo instrumento de avaliação psicológica, doravante conhecido como


“o Teste da Romã (TR; Red, 2010)”


A teoria que suporta esta técnica baseia-se no conhecimento actual da existência de dois tipos de pessoas: as que comem a romã enquanto a descascam e as que descascam a romã toda primeiro para depois comerem tudo à colherada.


É que as que descascam primeiro – como mamãe – mal aproveitam o saborzinho, porque no meio de tanto trabalho vão pondo uns grãezitos para a boca e nem lhes sentem o sabor. São pessoas impulsivas, que não conseguem resistir à tendência para buscarem a gratificação imediata dos seus desejos e necessidades, sendo tal frequentemente acompanhada por um baixo nível de tolerância à frustração (como quando mamãe refila quando acidentalmente deixa cair grãezinhos para o chão, que teve tanto trabalho a descascá-los e acaba por ser o cachorro a aproveitar-se deles).


Já o segundo grupo de pessoas consegue resistir à tentação de ir comendo os grãezinhos, recolhendo-os meticulosamente para uma tigela para posteriormente serem comidos de uma vez, podendo assim ser saboreados em cada colheradazinha (como eu, que estou ali uma eternidade a depenicar grãezinhos para comê-los todos depois). Estas pessoas, além de inteligentes, são pessoas que compreendem a gratificação existente no prémio que se segue ao trabalho árduo, compreendem a necessidade de resistir a algumas tentações por um bem maior, são meticulosas e esforçadas, são resistentes e agradecidas pelas dádivas que obtêm.


Eu, obviamente , faço parte do segundo grupo.


Daquele grupo das pessoas inteligentes que desesperam por estar de penitência 10 minutos a descascar a porcaria de uma romã para depois finalmente demorarem 2 a comê-la à colher de uma taça. Vá, digam agora que eu sou uma tirana impaciente só porque ao fim de 30 segundos do intervalo das criancinhas na escola primária apetece-me ir para a varanda com uma carabina fazer pontaria a miolos infantis alheios!!! Ou porque ao chinfrim das obras do andar de cima apetece-me responder enfiando-lhes uma vassoura pelo sítio que eu cá sei acima. É perfeitamente compreensível! Não tem mal nenhum e não deixo de ser uma pessoa extremamente paciente e tolerante por causa disso –.- Excepto com o estupor que não é do meu prédio e estaciona a mota a ocupar o espaço de um carro ou dois e me faz ter de deixar o carro no cu de judas, com esse não sou muito tolerante, e qualquer dia quero lá saber do meu ferrari e levo-lhe a porcaria da mota à frente.


Dass, que trabalheira. A outra quando se queixava que tinha de ser a empregada a tirar-lhe as graínhas das uvas ainda não tinha visto o cu à carriça. Ou então não deve saber o que é uma romã.

5 Pessoas leram e ainda comentaram!

LP disse...

Eu, chacinadora frequente e viciada no belo fruto da romã, vermelhinha e sumarenta como se quer, pertenço ao segundo grupo de estudados e como tal, ofereço-me como voluntária para uma investigação mais aprofundada. Obviamente sobre a condição de ser-me dada à prova as ditas romãs conforme dita a minha vontade e gula!

I. disse...

pertenço ao grupo das pessoas abnegadas que descascam a romãzinha toda, sacam todos os pedacitos de pele que ficam agarrados, e depois come, calma e apreciativamente, à colherada. Somos, portanto, o expoente máximo da evolução ;)

Mariana & Roberta disse...

Fiquei contente ao ler este post pois descobri que, como membro do segundo grupo de "descascadores de romãs", estou muito à frente dos simples descascadores impulsivos e impacientes!

angie disse...

epah..e pensar que tenho uma tacinha com os baginhos no frigorico...deu uma trabalheira mas agora é so comer (ideia de mamae tb). ja metest açucar? hummmm ca bom...

lucinda disse...

http://fantes.com/pomegranate.html

Caso ainda alguém venha ler este post, descobri um acessório fantástico para descascar romãs, que realmente funciona. Comprei-o num supermercado em Lisboa, mas penso que é possível encomendar pela net junto do fabricante.
Lucinda