1.31.2011

2
Mas é que já me sinto muito mais segura!


Gosto especialmente daqueles presos que "ah e tal que vou a casa" e que, acidentalmente, se esquecem de voltar. Vulgo saídas-precárias-que-dão-em-ausências-ilegítimas. Mas gosto mais ainda quando eles descrevem as coisas que fizeram lá fora.

Como o senhor que saiu para ir passar o Natal a casa e acabou por ir para a Madeira na passagem de ano tocar numa banda. Coitado, foi só ganhar uns trocos, então. Há que fazer pela vida, mais mandado de captura menos mandado de captura... Fofo é que o senhor foi à Madeira - e voltou - e ok, no problem. Só teve o azar de uns dias depois andar em contra-mão com um amigo num carro roubado em plena baixa da cidade. Coitado do senhor recluso, filho da pouca sorte, tinha de ser logo apanhado.

Folgo também em saber que é possível um senhor andar por aí evadido durante 3 anos, a residir na sua própria casa, a trabalhar e tudo, mandado parar várias vezes pela polícia em operações STOP (tendo tido inclusive um acidente), tudo normal, mostra documentos verdadeiros, ok-pode-seguir, não-queremos-cá-saber-de-ser-um-recluso-que-devia-estar-a-cumprir-uma-pena-mas-que-se-esqueceu-de-voltar-para-a-choldra. Pois, eu compreendo, fundamental é se o homem levava a inspecção do carro, agora não ter ido lá à inspecção na prisa quando acabou a validade da precária, na, isso já é com polícias a sério, não tendes nada a ver com isso.

Assim como assim, mandados de captura há muitos.

2 Pessoas leram e ainda comentaram!

I. disse...

Então, se calhar sofria de asma e precisava de apanhar ar! E a polícia, enquanto não tiver acesso a bases de dados com mandados de captura, pouco pode fazer nas operações stop. É a real confusão, pá.

Red disse...

pois. Quando a própria polícia não tem, quem mais pode ter? É, no mínimo, caricato. Lol