6.04.2011

4
Não temeis, meu povo, i'm alive and well and genius as hell!


Eis que se passou um mês. E num mês passa-se muita coisa! Já lá vai uma Queima - a Queima, by the way, que com a última não se brinca -, com direito a tempo de antena na RTP (lá está, Red Maria a fazer serviço público) e muitas figuras tristes sem álcool envolvido (o normal, portanto) - incluindo cenas à Buzz Lightyear em cima de muros alheios, para o infinito e mais alééééém, com papai novamente reportando as perspectivas que você nunca viu (ou papai é, definitivamente, um artista incompreendido, ou tem um fetiche por pés - eu preferia acreditar no artista incompreendido). Já lá vai uma Queima com poucas noites de Parque e muita animação, com vestidos de gala em moçoilas que ainda há uns anitos andavam de rabo de cavalo, calças de ganga e bola debaixo do braço - eu? naaaa, oh pra mim que sempre fui cúmulo da femininice -, com bengaladas em cartolas e marcas de guerra no nariz, com snow angels em esferovite no meio do chão, com touros e garraiadas, com faixas ao peito e capas de super-joaninha e autocolantes a dizer Coimbra é que é. E até a bênção das pastas já foi, com almoço de família respectivo - 1 é pouco, 2 é bom, 3 já chega, 4 é uma multidão, mas oh, a arte da negociação com pais divorciados, que bónito - (evento tão frequente que o apêndice inclusivé teve receio que eu estivesse grávida e estivesse a preparar toda uma anunciação familiar).

E no decurso da dita cuja Queima - eia que semana comprida, ou então não - até uma quick trip a Barcelona por motivos menos felizes se fez, com direito a questionar senhores espanhóis da Pans porque raio é que os espanhóis não comem pastas de atum, delícias, frango, etc, que as nossas Pans têm disso e muito mais e as Pans deles não, o qu'é que se passa, mas somos todos europeios ou não?! E, lá está, ter de aturar pais divorciados em viagem é o delírio, a sério, sobretudo quando eles estão a ficar caducos e há pessoas que usam gel de banho de hotéis para pôr no cabelo à espera de fazer um penteado porreiro e não, pai, eu não digo que foste tu, até porque contado ninguém acredita.

Mas já lá vai Queima, já lá vai a Barcelona de onde eu trouxe recuerdos egocêntricos para a malta - mas é de génio, que com um íman de joaninha a dizer barcelona elas nunca se esquecem que foi a minha pessoa que trouxe quando por lá passou -, já lá vai uma apresentação de caso, já lá vai uma primeira versão de um enquadramento teórico de uma tese, já lá vai um ano lectivo de estágio pertinho pertinho dos finalmentes - oh, que saudades eu vou ter dos meus dias animados de prisão -, já lá vai um curso, quase, e eu aqui tão novinha a comer conguitos enquanto ouço teenage dream e tenciono vegetar em frente à TV a actualizar-me face a qualquer série televisiva da qual perdi o rasto nos últimos meses ao mesmo tempo que me mentalizo que tenho um relatório de estágio para entregar em pouco mais de uma semana e uma tese que dava jeito estar feita em Junho (mas Julho também é um mês bonito, não é?).

Pois que pronto, era só isto, não me parece que se tenha passado muito mais de importante na minha ausência, salvo as belas manchetes que a E. Coli já provocou - não devo ser só eu a achar extremamente badalhocas manchetes tipo Portas usa pepinos para atacar Sócrates ou afinal a culpa não é dos pepinos espanhóis, ou então até sou - e também a rambóia politiqueira que vai para estas bandas com a ajuda do nosso querido Metro Mondego (por-ra-da, por-ra-da, eu quero é sangueeeeee).

Eia, pára tudo, extremamente relevante é que aaai, tão novinha e já tão estragadinha, então não é que tenho mesmo calhaus no rim e, como se já não chegasse, na vesícula? Pois que penso seriamente pedir indemnização a mamãe por danos causados, que isto só me saem duques e senas tristes na rifa e olha pedras, bela m****, não gosto nada disso, diamantes não me calham, não, agora calhaus, aturai-os vós -.-'

Bem, agora mil perdões, caros 2 leitores e meio, mas vou voltar ao meu último fim de semana ocioso dos próximos tempos, sim? É que há-de ser mesmo daqueles em que levantar o rabo do sofá custa até para ir à casa de banho. Acho que amanhã voto pela janela, que com a urna aqui tão perto era só fazer do boletim um aviãozinho et voilá, já estava. Ora então passar bem, sim?

4 Pessoas leram e ainda comentaram!

Andorinha disse...

A minha última Queima também foi de arraso em Coimbra, vieram os Erasmus comigo de Espanha só pra Queima e tudo, de tanto que não me calei o ano todo sobre o quão maravilhoso era o Parque e as tradições e o mimimi, e o baile de gala e tudo e tudo e tudo. Foi em 99 e ainda havia Parque. Yeah, I'm that old. Ah, saudades!

rosa disse...

Dear Red,

Mais um brilhante post da tua autoria, o que compensa claramente a tua ausência temporaria destes meios (fala a meia leitora). XD

No que diz respeito à queima foi realmente fenomenal, também na tua companhia não podia ser de outra forma...`
É verdade que acentuaste ainda mais a tua fama noutra entevista a passar em horario nobre... A fama persegue-te :P
E sim a tua feminilidade ficou ainda mais pronúnciada no teu maravilhoso vestido...

Quanto ao souvenir maravilhoso, tenho a dizer que todos os dias olho para ele e lembro-me de ti.

Já no que diz respeito ao enquadramento da tua tese só me ocorre uma coisa: És genial!! A minha verdadeira idola!! :D

O que ainda não conferi foram as imagens do teu reporter fotográfico... mas estou curiosa quanto ao resultado... XD

Flora Neves disse...

Eu sou uma leitora inteira. nao quer ser a meia.

Polly disse...

Quando se herda alguma coisa dos pais, herda-se sempre as más! :)

Beijinhos