1.13.2012

3
A ti, D.J.


Primeiro puseram-te ao meu cuidado sem eu sequer ter tempo para opinar. Não estava preparada, nem sabia ao que ia, mas lá me levaram até ti. Disseram-me que era para meu bem, que ias ser bom para mim, que iam cuidar bem de nós e eu confiei. Demorei para te ter. Estive ali, à espera, a ver-te chegar, mas sem poder fazer nada para acelerar o processo. Vi-te seguires o teu caminho até, por fim, fazeres parte de mim. O que sofremos para estar juntos! Aqueles primeiros dias de sangue, algum suor e bastantes lágrimas. Nesses primeiros dias, sempre que querias sair parecia que havia lâminas a cortar-me a carne, pedindo-me para ficares. Nessa altura pintaram-te muito mal na fotografia: disseram horrores de ti e eu, ainda assim, não queria acreditar, não, comigo não era assim, tinham havido momentos difíceis mas nada que não conseguíssemos ultrapassar juntos. E assim foi. Passámos o Natal, começámos o novo ano juntos, juntinhos, oh, foram 58 dias de comunhão absoluta. Quando algo não te agradava gostavas de me picar, de propósito, e sabias que eu ia logo a correr beber depois disso, pois a carne é fraca e eu não aguentava esse teu mau feitio, as tuas indirectas e mesquinhices. Contigo chorei, naqueles primeiros dias, mas também contigo - oh, tantas e tantas vezes - me mijei a rir.

Hoje tiraram-te de mim. Era o que tinha de ser, já estava avisada desde o início que era temporário, e até me deixaram ficar contigo mais do que o que estava programado. Mas foste. Hoje senti parte de mim a esvair-se. Vi-te ir embora, com um misto de dúvida e alívio. Preparaste-me para o futuro, para quando eu for só, triste e abandonada, e já não me conseguir conter, e por isso tenho de te agradecer.

Vou ter saudades tuas, meu querido...


(Pensavam que me tinham dado brinde no último internamento? Na, que isto nos dias de hoje não se dá nada a ninguém e já cá vieram tirá-lo, ah pois... não que tivessem grandes intenções disso, contrariamente ao que eu estava à espera, mas ninguém resiste aos meus olhinhos de bambi incontinente, que ser incontinente é muito triste e eu já andava farta de passar a vida a correr para a casa de banho. Enfim, caro rim, sós!)

3 Pessoas leram e ainda comentaram!

angie disse...

ve la se prá proxima n te internam noutra especialidade ...lol com um tezto destes já n n digo nda=X

S@ndryn@ disse...

ai como eu assisti aos teus 1os ais com esse teu fiel amigo :p

[nada bonito diga-se]

Anónimo disse...

Pedras no caminho?
Melhor que nos rins...