3.21.2012

0
If I kiss you where it's sore, will you feel better?*


Não gosto que me espetem coisas, não sei se já disse. As minhas veias são muito fofinhas, são sim senhora, mas são minhas e para conservar inteiras e íntegras, se faz favor.

Portanto é perfeitamente normal que não ache muita piada quando, depois de me terem 3 horas a fazer um exame que envolve picadas, me dizem que tenho de voltar para repetir porque não era bem aquilo que me deviam ter feito. Ainda menos graça lhe vejo quando me informam que esse novo exame não vai implicar um, nem dois, mas três furos no meu singelo bracinho. E já se me soltam faíscas dos olhos quando revelam que é tudo no mesmo sítio, que é bom, ao menos só dói um lado, pois, isso, poupemos nas terminações nervosas afectadas, então, só se estraga uma veia, espetar três vezes no mesmo sítio até é bom porque já se abriu o buraco - NOT.

Isto tudo para dizer que eu não sou normal. Quer dizer, as pessoas normais não gostam de picadas, é certo. Agora não é normal que a parte que me ande a custar mais seja a do penso rápido. Sim, o penso. Rápido. Anti-alérgico. Que mais de 5 minutos em cima do furinho me começa a desgraçar o braço de maneira a que quando sai leva pele agarrada e tudo. E lá fica o meu braço dorido. E eu já vou com medo da picada e do penso pós-picada, que ando numa de se me arrepiar mais quando tenho de o tirar do que quando vejo a agulha. E lá venho eu toda marcada, pois, pobre braço.

Só podia ser a minha ilustre pessoa a ter, como única reacção alérgica, alergia a pensos anti-alérgicos, não é? Eu acho que já nasci do contra. Por isso é que sou do Sporting.


*

Ainda ninguém se deu ao trabalho de comentar...